Manutenção do potencial doador de órgãos e tecidos: atuação do profissional enfermeiro/Maintenance of the potential donor of organs and tissues: performance of the professional nurse

Nadilânia Oliveira da Silva, Antônia Thamara Ferreira dos Santos, Natália Henrique Fonseca, Amana da Silva Figueiredo, Bruna Bandeira Oliveira Marinho, Francisco Alan Nascimento Bonifácio, Shura do Prado Farias Borges, Woneska Rodrigues Pinheiro

Abstract


Objetivou-se identificar a atuação do profissional enfermeiro frente a manutenção do potencial doador de órgãos e tecidos. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada nas bases de dados MEDLINE, BDENF, LILACS e SCIELO. Foram utilizados os descritores cuidados de enfermagem, morte encefálica e doadores de tecidos e nursing care, brain death e tissue donors com o operador booleano AND. O cruzamento resultou em 102 estudos, após a aplicação dos filtros texto completo, idioma português, inglês e espanhol, artigos atemporais e critérios de inclusão: artigos originais, disponíveis na íntegra e estudos nacionais e de exclusão estudos de outra natureza, artigos fora do tema, repetidos e que abordassem o cuidado de enfermagem somente pela visão bioética, restaram 5 artigos para análise. Cabe ao enfermeiro planejar, executar, coordenar, supervisionar e avaliar os procedimentos prestados aos pacientes com Morte Encefálica. Na assistência direta à manutenção do potencial doador objetiva-se a monitorização e viabilização dos órgãos propiciando o suporte hemodinâmico capaz de manter a viabilidade dos órgãos e tecidos, buscando a estabilização e manutenção da temperatura, ventilação mecânica de qualidade e permeabilidade das vias aéreas, manutenção da pressão arterial estável, controle da reposição de líquidos e dos valores glicêmicos e monitorização da função renal. Assim, identifica-se a relevância da atuação do enfermeiro em todo o processo de doação e transplante de órgãos, com destaque para o suporte dispensado ao potencial doador devido as alterações fisiopatológicas decorrentes da morte encefálica.


Keywords


Cuidados de enfermagem, Morte encefálica, Doadores de tecidos.

References


ALMEIDA, A. M; CARVALHO, E. S. S; CORDEIRO, G. M. Cuidado ao potencial doador: percepções de uma equipe de enfermagem. Rev. baiana enferm, Salvador, v. 29, n. 4, p. 328-338, out./dez. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v29i4.13641. Acesso em: 13 mai 2020.

AMORIM V. C. D; AVELAR T. A. B. A; BRANDÃO G. M. O. N. A otimização da assistência de enfermagem ao paciente em morte encefálica: Potencial doador de múltiplos órgãos. Rev enferm UFPE on line, v. 4, n. 1, p. 221-229, jan./mar. 2010. DOI: 10.5205/reuol.726-5680-1-LE.0401201029. Acesso em: 13 mai 2020

CAVALCANTE, L. P, et al. Cuidados de enfermagem ao paciente em morte encefálica e potencial doador de órgãos. Acta Paul Enferm, v. 27, n. 6, p. 567-572, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/19820194201400092. Acesso em: 13 mai 2020

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM (COFEN). Resolução Cofen nº 292 de 7 de junho de 2004. Normatiza a atuação do enfermeiro na captação e transplante de órgãos e tecidos. Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-2922004_4328.html. Acesso em: Acesso em: 13 mai 2020.

FARIAS. P, et al. Construção de protocolo assistencial de enfermagem para o potencial doador de órgãos em morte encefálica. Rev enferm UFPE on line, Recife, v. 11, n. 9, p. 3492-3496, set, 2017. DOI: DOI: 10.5205/reuol.11135-99435-1-ED.1108sup201717. Acesso em: 13 mai 2020.

FRONTERA J. A. How I manage the adult potential organ donor: donation after neurological death (part 2). Neurocrit Care, v. 12, n. 1, p. 111-116, 2010. Acesso em: 13 mai 2020.

GARCIA, C. D; PEREIRA, J. D; GARCIA, V. D. Doação e transplante de órgãos e tecidos. São Paulo, ed. Segmento Farma, outubro, 2015.

GOIS, R. S. S., et al. Efetividade do processo de doação de órgãos para transplantes. Acta Paul Enferm, São Paulo, v. 30, n. 6, p. 621-627, 2017. Disponível: https://doi.org/10.1590/1982-0194201700089. Acesso em: 13 mai 2020.

GUIMARÃES, J. B., et al. Conhecimento dos enfermeiros sobre condutas na prevenção, manutenção e no controle da temperatura de potenciais doadores de órgãos. J Health Sci Inst, v. 30, n. 4, p. 365-8, 2012. Acesso em: 13 mai 2020.

IRWIN RS, RIPPE JM. Irwin and Rippe’s: intensive care medicine. 6th ed. Lippincott Williams & Wilkins: Philadelphia, 2008.

LEMES, M. M. D. D; BASTOS, M. A. R. Os cuidados de manutenção dos potenciais doadores de órgãos: Estudo etnográfico sobre a vivência da equipe de enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem, v. 15, n. 5, set-out, 2007. Disponível em: www.eerp.usp.br/rlae. Acesso em: 13 mai 2020.

MAGALHÃES A. L. P. Gerência do cuidado de enfermagem ao paciente em morte encefálica. Rev enferm UFPE on line, Recife, v. 13, n. 4, p. 1124-32, abr., 2019. Acesso em: 13 de dez 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i04a2384336p1124-1132-2019. Acesso em: 13 mai 2020.

MCKEOWN, D. W., BONSER, R. S., KELLUM, J. A. Management of the heartbeating brain-dead organ donor. Br J Anaesth 108 (Suppl 1): i96-107, 2012. DOI: 10.1093/bja/aer351. Acesso em: 13 mai 2020.

NEGREIROS, F. D. S., et al. Captação do fígado do doador para o transplante: Uma proposta de protocolo para o enfermeiro. Esc Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p.38-47, 2016. DOI: 10.5935/1414-8145.20160006. Acesso em: 13 mai 2020.

RECH, T. H., et al. Management of the brain-dead organ donor: a systematic review and meta-analysis. Transplantation, v. 95, n. 7, p. 966-974, 15 abr.,2013. Acesso em: 13 mai 2020.

RECH, T. H; RODRIGUES FILHO, E. M. Manuseio do potencial doador de múltiplos órgãos. Rev. bras. ter. intensiva, v. 19, n. 2, p. 197-204, abr-jun., 2007. Acesso em: 13 mai 2020.

RODRIGUES, Y. C. S. J. Ventilação mecânica: evidências para cuidado de enfermagem. Esc Anna Nery, v. 16, n. 4, p. 789-795, out – dez, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-81452012000400021. Acesso em: 13 mai 2020.

WESTPHAL, G. A., et al. Diretrizes para manutenção de múltiplos órgãos no potencial doador adulto falecido: parte II. Ventilação mecânica, controle endócrino metabólico e aspectos hematológicos e infecciosos. Rev Bras Ter Intensiva, São Paulo; v. 23, n. 3, p. 269-282, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-507X2011000300004. Acesso em: 13 mai 2020

WESTPHAL, G. A., et al. Diretrizes para manutenção de múltiplos órgãos no potencial doador adulto falecido: parte I. Aspectos gerais e suporte hemodinâmico. Rev Bras Ter Intensiva, São Paulo; v. 23, n. 3, p. 255-268, jul-set, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-507X2011000300003. Acesso em: 13 mai 2020.

WOOD, K. E., et al. Care of the potential organ donor. N Engl J Med; v. 351, n. 26, p. 2730-2739, 23 dez, 2004. Disponível em: www.nejm.org. Acesso em: 13 mai 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-094

Refbacks

  • There are currently no refbacks.