Gravidez não planejada e os fatores associados à prática do aborto: revisão de literatura / Unplanned pregnancy and factors associated with abortion: a literature review

Vanessa Gonçalves Delgado, Ewelyn dos Santos Oliveira, Elisângela de Fátima Ponte Frota, Andreana Rodrigues Dias Neta, Raí Ferreira Chaves, Glenda de Oliveira Batista do Nascimento, Antônia Evilânnia Cavalcante Maciel, Frandison Gean Souza Soares

Abstract


Introdução. A gravidez não planejada pode ser definida como a gravidez que não foi programada pelo casal ou pelo menos pela mulher e é indesejada, quando está fora das expectativas do casal, ou inoportuna, quando não vem no momento conveniente. Objetivo: Descrever os fatores associados à prática do aborto em gravidez não planejada. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo revisão integrativa da literatura. Foram considerados artigos científicos completos publicados encontrados nas bases de dados Scientific Electronic Library Online (SCIELO) e National Library of Medicine National Institutes of Health (PUBMED). Foram utilizados os descritores “Gravidez Indesejada”, “Saúde da mulher” e “Aborto”, com análise de estudos publicados em Inglês e Português, publicados entre 2012 e 2019. Resultado: No total, foram entrevistadas 1.569 mulheres que relataram ter realizado a prática do aborto. Os resultados mostraram que os fatores relacionados a esta prática são, entre outros: se separar ou se divorciar, baixo nível de escolaridade, gravidez indesejada, ter 1 a 2 partos anteriores, alto número de parceiros sexuais nos últimos doze meses, baixo nível socioeconômico, falta de apoio por parte do companheiro, alta importância de morar sozinha e jovens mais novas também estiveram associadas ao maior índice de aborto. Conclusão: Percebemos que os fatores associados ao aborto induzido são baixo nível socioeconômico, baixa escolaridade, multiparidade, gravidez indesejada e falta de apoio do parceiro. Assim, sugere-se que as políticas públicas voltadas para o aborto abranjam maior atenção à essas mulheres com o intuito de diminuir o índice de mortalidade materna.


Keywords


Gravidez Indesejada, Saúde da Mulher, Aborto.

References


AMÉRICO, C. F. et al. Conhecimento de usuárias de anticoncepcional oral combinado de baixa dose sobre o método. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 21, n. 4, p. 1-7, 2013.

BRASIL. Decreto-Lei 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 31 dez. 1940

CHAE, S et al. Reasons why women have induced abortions: a synthesis of findings from 14 countries. Contraception v. 96, n. 4, p. 233–41 , 2017.

CHITARRA, C. A. et al. Perfil clínico obstétrico das parturientes atendidas em um hospital universitário, quanto à indicação do tipo de parto. Brazilian Journal of health Review. v. 3, n. 4, p. 7893-7909, 2020

CLEEVE, A et al. Abortion as agentive action: reproductive agency among young women seeking post-abortion care in Uganda. Cult Health Sex v. 19, n. 11, p. 1286–300 , 2017.

ESHRE Capri Workshop Group. Induced abortion. Human Reproduction, Vol.32, No.6 pp. 1160–1169, 2017

EVANGELISTA, C. B. et al. Gravidez não planejada e fatores associados à participação em programa de planejamento familiar. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online. v. 7, n. 2, p. 2464-2474, 2015.

HOSSEINI, H. et al. Factors Associated with Incidence of Induced Abortion in Hamedan, Iran. Archives of Iranian Medicine v. 20, n. 5, p. 282–287, 2017.

KANT, S. et al. Induced abortion in villages of Ballabgarh HDSS: rates, trends, causes and determinants. Reproductive Health. v. 12, n. 51, p. 2-7, 2015.

LIMA, H. G. S.; PEREIRA, I. S. S. D. Aborto Induzido: Um Problema de Saúde Pública. Revista Diálogos Possíveis. v. 15, n. 1, p. 102-109, 2016.

LOI, U. R. et al. Decision-making preceding induced abortion: a qualitative study of women’s experiences in Kisumu, Kenya. Reprod. Health. v. 15, n. 1, p. 1-12, 2018.

LORENTE-MARRÓN, M. et al. Contextual determinants of induced abortion: a panel analysis. Rev Saúde Pública v. 50, n. 8, p. 1–10 , 2016.

MAINA, B. W. et al. Factors associated with repeat induced abortion in Kenya. BMC Public Health. v. 15, p. 1-8, 2015.

MILANEZ, N. et al. Gravidez indesejada e tentativa de aborto: práticas e contextos. Sexualidad, Salud y Sociedad - Revista Latinoamericana. n. 22, p. 129-147, 2016.

NEIVA-SILVA, L. et al. Experiência de gravidez e aborto em crianças, adolescentes e jovens em situação de rua. Ciênc. saúde coletiva, v. 23, n. 4, p. 10-55-1066, 2018.

PARCERO, S. M. J. et al. Características do relacionamento entre a mulher e seu parceiro na ocorrência de gravidez não planejada. Revista Baiana de Enfermagem‏, v. 31, n. 2, P. 1-11, 2017.

RODRIGUES, C. D. S.; LOPES, A. O. S. A Gravidez não planejada de mulheres atendidas no pré-natal das Unidades Básicas de Saúde. Id on Line Revista de psicologia, v. 10, n. 32, p. 70-87, 2016.

SANTOS, A. P. V. et al. Factors Associated with Abortion in Women of Reproductive Age. Rev Bras Ginecol Obstet. v. 38, n. 6, p. 273-279, 2016.

SANTOS, V. C. et al. Criminalização do aborto no Brasil e implicações à saúde pública. Rev Bioét (Impr.). v. 21, n. 3, p. 494-508, 2013.

SILVA, R. S.; ANDREONI, S. Fatores associados ao aborto induzido entre jovens pobres na cidade de São Paulo, 2007. R. bras. Est. Pop. V. 29, N. 2, 409-419, 2012

STREFLING, I. S. S. et al. Cuidado de enfermagem à mulher em situação de aborto: revisão integrativa. Rev Enferm UFSM. v. 5, n. 1, p. 169-177, 2015.

YI, S. et al. Factors associated with induced abortion among female entertainment workers: a cross-sectional study in Cambodia. BMJ. 5:e007947, p. 1-8, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-077

Refbacks

  • There are currently no refbacks.