Aleitamento Materno e COVID-19: Revisão Sistemática da Literatura / Breastfeeding and COVID -19: Systematic Literature Review

Amanda Leondy Santana da Silva, João Vitor Oliveira Amorim, Luiz Augusto Oliveira Amorim, Larissa Silvestre da Silva, Milena Passos Victor, Mariana Santos Guimaraes, Valkyria de Prado Costa, Maria Eduarda Soares Barros

Abstract


Introdução: A amamentação é uma potencial via de infecção para o recém-nascido, devido a transmissibilidade vertical de algumas doenças. Devido a isso, em determinadas circunstâncias, a lactante deve ser orientada a não promover a amamentação. No entanto, ao passo que existe a necessidade de se evitar o aleitamento, existe a discussão acerca da importância desse processo para a criação de laços afetivos com a figura materna e para o desenvolvimento biológico e psíquico da criança. Nesse contexto, considerando-se a realidade da pandemia, surge a necessidade de investigação dos impactos do SARS-CoV-2 no aleitamento. Objetivo: Compreender os impactos do SARS-CoV-2 no aleitamento materno. Metodologia: Buscou-se por artigos e revisões no PubMED, utilizando os descritores “breastfeeding” e “COVID-19”. Preliminarmente, os artigos e revisões foram selecionados por meio da leitura do título e resumo. Ao final da busca, foram encontrados 6 artigos que satisfaziam os critérios de análise utilizados nesta pesquisa, sendo estes publicados no período de abril de 2020 a maio de 2020. Resultados: O novo coronavírus, o SARS-CoV-2, surgiu na China em dezembro de 2019, e a hipótese da possível transmissão vertical surgiu após o primeiro teste positivo de um recém-nascido, em fevereiro deste ano. Neste mesmo mês, a NHFPC recomendou que os neonatos de mães com exames positivos para o COVID-19 fossem isolados e sua amamentação proibida por pelo menos 2 semanas. Em contrapartida, a OMS defende que a amamentação nesses casos deverá ser coordenada a partir de uma decisão entre os profissionais de saúde e a família, ressaltando a necessidade também de todos os procedimentos de higiene e distanciamento já recomendados. Existem, atualmente, apenas 8 estudos analisando a presença de código génetico do SARS-CoV-2 no leite materno, em um total de 24 gestantes com diagnóstico positivo para o novo coronavírus no terceiro trimestre da gestação. Todas as amostras de leite analisadas por meio do teste RT-PCR deram resultado negativo. Conclusão: Dessa forma, não há indícios de transmissão do COVID-19 pelo aleitamento materno. Apesar disso, são necessários estudos com maior amostragem para que se forme uma orientação padrão.


Keywords


Aleitamento, Covid-19.

References


- Amatya, S., Corr, T.E., Gandhi, C.K. et al. Management of newborns exposed to mothers with confirmed or suspected COVID-19. J Perinatol. 2020; doi:https://doi.org/10.1038/s41372-020-0695-0

- Davanzo, R., Moro, G., Sandro, F, et al. Breastfeeding and coronavirus disease-2019: Ad interim indications of the Italian Society of Neonatology endorsed by the Union of European Neonatal & Perinatal Societies. Maternal & Child Nutrition. 2020; doi:10.1111/mcn.13010

- Tomori,C., Gribble K., Gross, MS., et al. When Separation is not the Answer: Breastfeeding Mothers and Infants affected by COVID19. Maternal & Child Nutrition. 2020; doi: 10.1111/mcn.13033

- Martins-Filho, PR., Santos, VS., Júnior, HPS. To breastfeed or not to breastfeed? Lack of evidence on the presence of SARS-CoV-2 in breastmilk of pregnant women with COVID-19. Revista Panamericana de Salud Publica. 2020; doi: https://doi.org/10.26633/RPSP.2020.59

- Guan-jing LANG, Hong ZHAO. Can SARS-CoV-2-infected women breastfeed after viral clearance?. Journal of Zhejiang University-SCIENCE B. 2020; doi: https://doi.org/10.1631/jzus.B2000095

- Lackey, AK., Pace, RM., Williams, EJ., et al. SARS-CoV-2 and human milk: what is the evidence?. Maternal & Child Nutrition. 2020; doi: 10.1101/2020.04.07.20056812.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-075

Refbacks

  • There are currently no refbacks.