Importância do enfermeiro na classificação de risco em serviços de urgência e emergências / Importance of nurses in risk classification in emergency and emergency services

Kelly Mikaelly de Souza Gomes Lima, Heilton José dos Santos, Poliana Regina da Silva, Suely Maria de Melo dos Santos, Suzane Jeanete Gomes de Souza, Audilene Demetrio Amorim da Silva, Ana Cláudia da Silva

Abstract


Este trabalho objetiva uma ampla compreensão a respeito da importância da classificação de risco (CR) nos serviços de urgência e emergências (SUE) e o fundamental papel do enfermeiro na implementação do protocolo de Manchester nos serviços de urgência e emergência (SUE). Enfatiza a classificação de risco como um processo dinâmico e sistematizado que busca a identificação das necessidades de cuidados imediatos, priorizando os pacientes de acordo com a gravidade do quadro clinica. No entanto, ha dificuldades em relação ao desenvolvimento dessa atividade pelo enfermeiro. É um estudo de revisão bibliográfica com caráter exploratório, composto por 13 artigos, realizado através das bases de dados LILACS, MEDLINE e BDENF. Concluiu-se que o enfermeiro da classificação de risco (CR) dos serviços de urgência e emergência (SUE) é parte fundamental do processo na assistência, tomada de decisões, monitoramento dos pacientes, registros, gerenciamento, educação e resolubilidade dos problemas. Espera-se contribuir para melhor compreensão acerca da atuação do enfermeiro nesses ambientes.

Keywords


Emergência, Classificação de risco, Enfermagem na classificação de risco.

References


Conselho Federal De Enfermagem. Resolução nº 358, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a sistematização da assistência de enfermagem e a implementação do processo de enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado de enfermagem e dá outras provi¬dências. Brasília: COFEN [Internet]; 2009 [acesso em 17 Jan. 2020]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html.

QUARESMA A. S.; XAVIER D. M.; VAZ M. R. C. O papel do enfermeiro na classificação de risco nos serviços de urgência e emergência. REVISTA ENFERMAGEM ATUAL IN DERME - ESPECIAL 2019; 87.

SOUZA C. C. et al. Classificação de risco em pronto-socorro: concordância entre um protocolo institucional brasileiro e Manchester. Rev. Latino-Am. Enfermagem [internet]. 2011; 19(1). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n1/pt_05.pdf.

BELLUCCI J. J. A.; MATSUDA L. M. Implantação do acolhi¬mento com classificação de risco em serviço hospitalar de emergência: atuação do enfermeiro. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2012 [acesso em 29 mar 2018]; 11(2):396-401. Disponível em: http://ojs.uem.br/ojs/index.php/CiencCuid¬Saude/article/viewFile/14922/pdf.

GONÇALVES A. V. F.; BIERHALS C. C. K.; PASKULIN L. M. G. Embracement with risk classification in the emergency department from perspective of olders adults. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2015 [acesso em 29 mar 2018]; 36(3):14-20. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfer¬magem/article/view/52422/35042.

ROSSANEIS, M. et al. Caracterização do atendimento após im¬plantação do acolhimento, avaliação e classificação de ris¬co em hospital público. Rev Eletr Enferm [Internet]. 2011 [acesso em 20 fev 2018]; 13(4):648-56. Disponível em: ht-tps://www.fen.ufg.br/revista/v13/n4/pdf/v13n4a08.pdf.

JIMÉNES G. Clasificación de pacientes em los servicios de urgencias y emergencias: hacia um modelo de triaje estructurado de urgencias y emergencias. Emerg. 2003;15:165-74.

BITTENCOURT R. J.; HORTALE V. A. Intervenções para solucionar a superlotação nos serviços de emergência hospitalar: uma revisão sistemática. Cad Saude Publica. 2009; 25(7):1439-54. DOI:10.1590/S0102-311X2009000700002.

HERMIDA P. et al. Acolhimento com classificação de risco em unidade de pronto atendimento: estudo avaliativo. REEUSP [Internet]. 1jan. 2018 [citado 19mar.2019];52:e03318. Available from: https://www.revistas.usp.br/reeusp/article/ view/145277.

PAI, D. D.; LAUTERT, L. Sofrimento no trabalho de enfermagem: reflexos do “discurso vazio” no acolhimento com classificação de risco. Esc Anna Nery, Rio de Janeiro, jul/set, v.15, n.3, p.524-530, 2011.

SOUZA, C. C., Atuação do Enfermeiro na classificação de risco em serviços de urgência e emergência e a segurança do paciente, Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro 2017;7/1110.

FARROHKNIA N. et al. Emergency Department Triage Scales and Their Components: a systematic review of the scientific evidence. Scand J Trauma Resusc Emerg Med. 2015;19(42):2-13. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21718476.

SILVA M. F. N et al. Protocolo de avaliação e classificação de risco de pacientes em unidade de emergência. Rev. Latino-Am. Enfermagem [internet]. 2014; 22(2): 218-25. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v22n2/pt_0104-1169-rlae-22-02-00218.pdf.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-071

Refbacks

  • There are currently no refbacks.