Fortalecimento muscular respiratório nos portadores da doença pulmonar obstrutiva crônica / Respiratory muscle strengthening in patients with chronic obstructive pulmonary disease

Iandra Geovana Dantas dos Santos, Jamilly Thais Souza Sena, Aida Carla Santana de Melo Costa

Abstract


Introdução: A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é considerada um problema de saúde pública, de modo que é responsável pelo aumento da morbimortalidade, principalmente em adultos acima de quarenta anos. Assim, a principal característica desta patologia é o comprometimento do parênquima pulmonar. Diante das repercussões físicas, fisiológicas e psicológicas geradas pela DPOC, a atuação fisioterapêutica é indispensável para a reabilitação dos músculos respiratórios. Para tanto, tal categoria profissional utiliza métodos e técnicas, dentre eles o ThresholdInspiratoryMuscleTrainer (IMT), responsável por promover o fortalecimento da musculatura inspiratória dos indivíduos acometidos por esse agravo. Objetivo: Explanar o que a literatura traz sobre o uso do Threshold IMT nos portadores de DPOC. Metodologia: Trata-se de uma revisão sistemática da literatura científica, realizada durante o ano de 2018, sendo feitas buscas em bases de dados através do PubMed, Medline eScielo, de artigos que retratam a temática abordada, com o recorte temporal dos últimos cinco anos. Resultados e Discussão: DPOC é um conjunto de alterações no fluxo aéreo, o qual se encontra obstruído, podendo ter relação com uma hiperatividade das vias aéreas. Essa situação promove alterações como a disfunção da musculatura respiratória, doenças esqueléticas, déficits sensoriais e cognitivos, hipoxemia, depressão e disfunção sexual. Dessa maneira, torna-se nítida a necessidade de uma intervenção multidisciplinar onde o fisioterapeuta irá atuar no fortalecimento muscular respiratório. Para isso, pode ser utilizado o aparelho Threshold IMT, o qual promove uma carga inspiratória constante, sem variação da pressão, que independe do fluxo e padrão respiratório, fornecendo ao paciente respostas eficazes. Conclusão: Em virtude dos fatos mencionados, percebe-se que o uso do Threshold IMT demonstra resultados favoráveis no que diz respeito ao aumento da força muscular inspiratória, endurance, maior tolerância ao exercício global e alívio da dispneia.

 


Keywords


Fisioterapia. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Fortalecimento.

References


BATISTA, A.C. et al. O uso do Threshold IMT no fortalecimento da musculatura inspiratória: Uma Revisão. Faculdade de educação e meio ambiente-FAEMA. p.46. 2016.

DAVASHI, B. et al. The Relationship between Diaphragmatic Movements in Sonographic Assessment and Disease Severity in Patients with Stable Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD). Journal of cardi-thoracic medicine,v.2. p.187-192, 2014.

GARCIA, S. et al. Treino de músculos inspiratórios em doentes com DPOC.Revista portuguesa de pneumologia, v.14, n.2, p.177-194, 2014.

IKE, D. et al. Efeitos do exercício resistido de membros superiores na força muscular periférica e na capacidade funcional do paciente com DPOC. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 23, n. 3, p. 429-437, 2010.

LOTTERMANN, P. C. et al. Programas de exercício físico para pessoas com dpoc: uma revisão sistemática. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 21, n. 1, p, 65-75, jan./abr. 2017.

MENESES, N.C.S. et al. Efeito do treinamento muscular respiratório com Threshold em pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Universidade do Vale do Paraíba. p.6, 2011.

NIERO, N.C; COSTA,C.S. Avaliação dos efeitos e análise biomecânica da musculatura inspiratória acessória de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica submetidos ao treinamento com Threshold IMT- Uma análise comparativa. Universidade do extremo Sul Catarinense-UNESC. p.61, 2010.

SAMPAIO,A.C.S. et al. Treinamento de força muscular na reabilitação pulmonar em pacientes com DPOC: Uma revisão descritiva. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, v.15, n.4, 2016.

TORRES, R.D.P. et al. Tendências de mortalidade por doença pulmonar obstrutiva crônica no Rio de Janeiro e em Porto Alegre. Rio de Janeiro, 2018.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.