Sífilis em privados de liberdade em uma unidade prisional no interior de Rondônia / Syphilis in private liberty in one unit prisional inside Rondônia

Sheila Carminati de Lima Soares, Odival Spagno, Clodoaldo Souza, Angela Antunes de Morais Lima, Emilly Karine Ventura de Lima

Abstract


 

A sífilis é uma enfermidade sistêmica, doença infecciosa produzida por uma bactéria chamada Treponema pallidum, de transmissão predominantemente sexual, comumente encontrada na população privada de liberdade devido constante exposição às situações que aumentam sua vulnerabilidade às infecções sexualmente transmissíveis. Este estudo investigou os casos de sífilis em privados de liberdade da casa de detenção em Cacoal-RO, nos anos de 2016 e 2017. Trata-se de um estudo documental, retrospectivo de natureza básica, com abordagem quantitativa, realizada nos meses de fevereiro e março de 2018, através da análise de 486 prontuários de privados de liberdade em cumprimento de pena.  Da amostra analisada, foram identificados 35 casos reagentes de sífilis, sendo todos tratados onde 28 (80%) concluíram o tratamento na unidade prisional e o restante foi transferido após a segunda dose mas com a garantia de continuidade do tratamento. Predominou o gênero masculino em 71% dos prontuários, idade média de 30 anos, 42,85% de cor de pele parda, 91% com estado civil solteiro e 85% com ensino fundamental incompleto. Dos casos diagnosticados, os resultados apontaram que 86% desconheciam a sífilis e 74% praticaram atividade sexual sem uso de preservativos. O estudo indica a necessidade de que gestores públicos e profissionais de saúde desenvolvam estratégias efetivas em prol da prevenção da sífilis em unidade prisionais.   


Keywords


Sistema prisional; Privados de liberdade; Sífilis.

References


ARAUJO, Telma Maria Evangelista; ARAUJO FILHO, Augusto Cezar Antunes;

FEITOSA, Karla Vivianne Araújo. Prevalência de sífilis em mulheres do sistema prisional de uma capital do nordeste brasileiro. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 17, n. 4. 2015. Acesso em 25/04/2018.

BET, Graciela Mendonça dos Santos. Incidência de sífilis e HIV e avaliação do tratamento em indivíduos privados de liberdade do Estado do Mato Grosso do Sul, UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS/DOURADOS MS. Brasil. 2016

BRASIL. Ministério da Saúde Secretária de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Sífilis: Estratégias para Diagnóstico no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, Coordenação de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. 2010. 100 p. (Série TELELAB).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Departamento de DST,

Aids e Hepatites virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção

Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Manual de Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis. 2014.

BRASIL. Boletim Epidemiológico/Secretaria de Vigilância em Saúde − Ministério da Saúde Volume 48 N° 36 - 2017 ISSN 2358-9450 2017. Disponível em : http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/13/BE-2017-038-BoletimSifilis-11-2017-publicacao-.pdf

EVANGELISTA. Filho, Augusto Cezar Antunes; FEITOSA, Karla Viviane Araújo Prevalência de Sífilis em Mulheres do Sistema Prisional de uma Capital Nordestina. In: 17º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem - CBCEnf, Belém - PA. Anais online do 17º CBCEnf, 2014.

FURTADO, Diolene Borges Machado. Estratégias midiáticas na aprendizagem do tema DST/AIDS: ações em rede para reduzir vulnerabilidades de adolescentes e jovens da comunidade de Mãe Luiza, Natal-RN. 2014. 116p. Dissertação (Mestrado em Comunicação midiática: práticas sociais e produção de sentido). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. 2014.

MURTA, Genilda Ferreira. Saberes e práticas: guia para ensino e aprendizagem de enfermagem – 9. Ed – São Caetano do Sul, SP: Difusão Editora, 2015.

NEGREIROS, Daiany Elen Holanda; VIEIRA, Deusilene Souza. Prevalência de hepatites b, c, sífilis e hiv em privados de liberdade-Porto Velho, Rondônia. Revista Interdisciplinar, v. 10, n. 1, p. 43-52, 2017.

NICOLAU, Ana Izabel Oliveira et al.. Retrato da realidade socioeconômica e sexual de mulheres presidiárias. Acta paul. enferm., São Paulo , v. 25, n. 3, p. 386-392, 2012. Disponível em . acessos em 06 mar. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000300011.

OLIVEIRA, Ellen Araújo, T. Prevalência da Sífilis em Internos do Sistema Prisional de Teresina. Disponível em: Acesso em: 25 de outubro de 2015.

PORTELA, Ronaldo. P843a Avaliação da soroprevalência e dos fatores de risco de infecção por sífilis em indivíduos privados de liberdade do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia [manuscrito] / Ronaldo Portela. – 2014.

SANTOS, Gabriel Zanotto; TERRA, Márcia Regina. Sífilis e Seus Diferentes Estágios Infecciosos. 2016 disponíveis em:

www.inesul.edu.br/revista/arquivos/arqidvol_47_1486421703.pdf.

STRAZZA, Leila et al. Estudo de comportamento associado à infecção pelo HIV e HCV em detentas de um presídio de São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 23, n. 1, p. 197-205, jan. 2007 . Disponível em . acessos em 06 mar. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007000100021.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.