Causas de afastamento previdenciário por transtornos mentais nos trabalhadores de Enfermagem: Pesquisa bibliográfica / Causes of Social Security Removal due to Mental Disorders in Nursing Workers: Bibliographic research

Miria Polonio, Marcele Pescuma Capeletti Padula

Abstract


Introdução: O trabalho em serviços de saúde tem sido associado à grande sobrecarga psíquica, com elevado número de afastamentos em razão de transtornos mentais. Estes agravos à saúde, especialmente em trabalhadores da enfermagem causam prejuízos não só aos profissionais, mas também às instituições empregadoras e assistenciais em todo o mundo. No Brasil, os transtornos mentais estão entre as principais causas de dias perdidos no trabalho, ocupando nos últimos anos o terceiro principal motivo de concessão de benefício auxílio-doença por incapacidade laborativa. Objetivo: Identificar as causas que levam trabalhadores de Enfermagem ao Afastamento Previdenciário por Transtornos Mentais. Método: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica descritiva. Foram utilizados como descritores (DeCS) específicos “Transtornos Mentais”, “Estresse psicológico” e “Saúde Mental”, cruzando com os descritores (DeCS) gerais: “Profissionais de Enfermagem, “Previdência Social”, no Idioma Português, Artigos disponíveis gratuitamente na íntegra, utilizando o limite de “Adulto”, publicados entre janeiro de 2014 e julho de 2019. A coleta de dados foi realizada nos meses de setembro e outubro de 2019 após a aprovação do projeto pela Comissão Científica do Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – FCMSCSP. Resultados: As causas foram categorizadas em 2 fatores: os inerentes ao trabalhador de enfermagem: Síndrome de Burnout, depressão, ansiedade e alterações de humor, estresse, uso de álcool e outras drogas, dificuldades de lidar com a morte, dor e sofrimento do outro, falta de tempo para atividades de lazer e vida pessoal, ausência de cuidado de si, prevalentemente no sexo feminino  e os fatores relacionados ambiente de trabalho: baixo poder de decisão, falta de apoio social, falta de suporte psicossocial, falta de valorização e aprimoramento profissional, sobrecargas física, emocional e profissional, relacionamento interpessoal ineficaz, acúmulo de tarefas, número insuficiente de colegas trabalhando, excesso de responsabilidades, sentimento de incompetência diante da dor e morte, cobrança das chefias, carga horária exaustiva e excessiva de trabalho, infraestrutura inadequada, desorganização do serviço, risco de acidente biológico e duplo vínculo. Conclusão: Nos artigos houve predominância do adoecimento mental em trabalhadores da enfermagem com o ambiente de trabalho, especialmente pela sobrecarga. A Síndrome de Burnout, a depressão associada ao uso de álcool e outras drogas, seguida do estresse foram os principais sofrimentos encontrados neste estudo.


Keywords


Transtornos mentais, Estresse psicológico, Saúde mental, Profissionais de enfermagem, Previdência social.

References


Ribeiro RP, Martins JT, Marziale MHP, Robazzi MLCC. O adoecer pelo trabalho na enfermagem: uma revisão integrativa. Rev Esc Enferm USP 2012; 46(2):495-504.

Centro Colaborador da Vigilância dos Agravos à Saúde do Trabalhador. Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho no Brasil, 2006–2017. Boletim Epidemiológico [Internet]. 2019. [citado 2019 abr 25];13:1-5. Disponível em: https://sinait.org.br/docs/boletim_epidemiologico_do_programa_integrado_em_saude_ambiental_e_do_trabalhador.pdf

Gibert MAP, Cury VE. Saúde mental e trabalho: um estudo fenomenológico com psicólogos organizacionais. Boletim de Psicologia 2009;59(130):45-60.

Oliveira RD, Neves EB, Kaio CH, Ulbrich L. Afastamento do trabalho em profissionais de enfermagem por etiologias psicológicas. Rev Bras Promoc Saude. 2013;26(4):554-62.

Faria NMX, Klosinski RFS, Rustick G, Oliveira LM. Saúde mental dos trabalhadores da saúde pública em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Rev Bras Med Trab. 2018;16(2):145-57.

Pentado PE. Retorno ao trabalho de trabalhadores de enfermagem oncológica após afastamento por transtornos mentais [dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2014.

Carvalho LSF, Matos RCS, Souza NVDO, Ferreira REDS. Motivos de afastamento por licença de saúde dos trabalhadores de enfermagem. Cienc Cuid Saude. 2010;9(1):60-6.

Silva-Junior JS, Fischer FM. Afastamento do trabalho por transtornos mentais e estressores psicossociais ocupacionais. Rev Bras Epidemiol [online]. 2015;18(4):735-44.

Associação Nacional de Medicina do Trabalho. Transtornos mentais estão entre as maiores causas de afastamento do trabalho. [Internet]. 2019. [citado 2019 abr 25]. Disponível em: https://www.anamt.org.br/portal/2019/04/22/transtornos-mentais-estao-entre-as-maiores-causas-de-afastamento-do-trabalho/

Silva SM, Baptista PCP. A incapacidade vivenciada por trabalhadores de enfermagem no retorno ao trabalho. Cienc Cuid Saude 2013;12(3):522-8.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2018, 6a ed. p.28.

Oliveira PP, Amaral JG, Silva LS, Fonseca DF, Silveira EAA, Amaral RA, et al. Esgotamento profissional e transtornos mentais comuns em enfermeiros oncológicos. Rev enferm UFPE on line, Recife. 2018:12(9):2442-50.

Bertussi VC, Junqueira MAB, Giuliani CD, Calçado RM, Miranda FJS, Santos MA, et al. Substâncias psicoativas e saúde mental em profissionais de enfermagem da Estratégia Saúde da Família. Rev Eletr Enf. 2018;20:1-9.

Kestenberg CCF, Felipe ICV, Rossone FO, Delphim LM, Teotonio MC. O estresse do trabalhador de enfermagem: estudo em diferentes unidades de um hospital universitário. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2015;23(1):45-51.

Junqueira MAB, Santos MA, Araújo LB, Ferreira MCM, Giuliani CD, Pillon SC. Sintomas depressivos e uso de drogas entre profissionais da equipe de enfermagem. Esc Anna Nery 2018;22(4):e20180129.

Rodrigues CCFM, Salvador PTCO, Assis YMS, Gomes ATL, Bezerril MS, Santos VEP. Estresse entre os membros da equipe de enfermagem. Rev enferm UFPE on line., Recife. 2017;11(2):601-8.

Ferreira NN, Lucca SR. Síndrome de Burnout em técnicos de enfermagem de um hospital público do Estado de São Paulo. Rev Bras Epidemiol. 2015;18(1):68-79.

Ferreira ES, Souza MB, Souza NVDO, Tavares KFA, Pires AS. A relevância do cuidado de si para profissionais de enfermagem. Cienc Cuid Saude 2015 Jan/Mar; 14(1):978-985.

Abreu RMD, Gonçalves RMD, Simões ALA. Motivos atribuídos por profissionais de uma Unidade de Terapia Intensiva para ausência ao trabalho. Rev Bras Enferm. 2014;67(3):386-93.

Dutra HS, Gomes PAL, Garcia RN, Oliveira HC, Freitas SC, Guirardello EB. Burnout entre profissionais de enfermagem em hospitais no Brasil. Rev Cuid. 2019;10(1):e585.

Paiva JDM, Cordeiro JJ, Silva KKM, Azevedo GS, Bastos RAA, Bezerra CMB, et al. Fatores desencadeantes da síndrome de burnout em enfermeiros. Rev enferm UFPE on line., Recife. 2019;13(1):483-90.

Santos EM, França IJS, Vilas Boas LL, Miranda AP. Saúde do trabalhador no ambiente hospitalar: fatores de risco para síndrome de burnout. Nursing. 2018;22(248)259-13.

Campos ICM, Angélico AP, Oliveira MS, Oliveira DCR. Fatores sociodemográficos e ocupacionais associados à Síndrome de Burnout em profissionais de Enfermagem. Psicologia: Reflexão e Crítica. 2015;28(4):764-71.

Santana LL, Sarquis LMM, Brev C, Miranda FMD, Felli VEA. Absenteísmo por transtornos mentais em trabalhadores de saúde em um hospital no sul do Brasil. Ver Gaúcha Enferm. 2016;37(1):e53485.

Ticas AR, Medina MT, Mesa X, Paredes Y, Barahona Y, Sierra M. Estudio de síndrome de “burnout”, depresion y factores asociados en los practicantes internos del hospital escuela. Rev Fac Cienc Med. 2012;9(1):14-20.

Elias EA, Souza IEO, Vieira LB. Significados do cuidado-de-si-mesmas de mulheres profissionais de enfermagem em uma unidade de pronto atendimento. Esc Anna Nery 2014;18(3):415-20




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-048

Refbacks

  • There are currently no refbacks.