Desenvolvimento dométodo de Dissolução da forma farmacêutica comprimido do Benznidazol 12,5 mg Lafepe / Development method of dissolution of the tablet pharmaceutical form of Benznidazole 12.5 mg Lafepe

Cecília Regina do Nascimento Silva Cabra, Breno Gomes do Nascimento Lopes, Severino Grangeiro Junior, Deborah Bezerra Monteiro, Bruno Aires dos Santos, Aíla Karla Mota Santana

Abstract


A doença de Chagas é uma infecção causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e pode ser transmitida por via oral ou até mesmo por meio de transplantes de órgãos, transfusões de hemocomponentes e transmissão congênita. Para o tratamento da doença de Chagas no Brasil, o único medicamento utilizado e autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o benznidazol que é produzido pelo Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (LAFEPE) e distribuído gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), nas apresentações farmacêuticas de 12,5 mg e 100 mg. O objetivo deste trabalho foi avaliar a solubilidade do fármaco benznidazol utilizando o método shake–flask e desenvolver um método de dissolução para o medicamento na apresentação 12,5 mg do LAFEPE. Para ambos os ensaios, foram utilizados diferentes meios que abrangem o potencial hidrogeniônico (pH) fisiológico de 1,2 a 6,8, com e sem a presença de tensoativo em diferentes concentrações. Através do ensaio de solubilidade, o fármaco apresenta baixa solubilidade, como descrito na literatura. Entre os meios utilizados nos perfis de dissoluções, o suco gástrico simulado pH 1,2 foi a melhor escolha para as análises, apresentando uma liberação do fármaco de 55,14 % no primeiro tempo de coleta e 104,13 % no tempo final do ensaio, consiste em um meio de fácil manipulação para os ensaios de rotina na indústria e simula o sítio de dissolução do medicamento no organismo.


Keywords


Doença de Chagas; Benznidazol; Lafepe; Solubilidade; Dissolução.

References


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITÁRIA (ANVISA). Recomendações para realização de ensaios de dissolução para formas farmacêuticas sólidas orais de liberação imediata (FFSOLI). Brasília, DF, 2002.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITÁRIA (ANVISA). RESOLUÇÃO-RDC Nº 31, DE 11 DE AGOSTO DE 2010 - Dispõe sobre a realização dos Estudos de Equivalência Farmacêutica e de Perfil de Dissolução Comparativo.Brasília, DF, 2010.

BRASIL, Farmacopeia brasileira. 5a Ed. vol 2. 904p. Brasília: Anvisa, 2010a.

BRASIL, Farmacopeia brasileira. 5a Ed. vol 1. 546p. Brasília: Anvisa, 2010b.

BRASIL. Nota Técnica nº 003, de 16 de abril de 2013. Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), 2013.

DAVANÇO, M. G.; CAMPOS, M. L.; ROSA, T. A.; PADILHA, E. C.; ALZATE, A. H.; ROLIM, L. A.; ROLIM, P.J. N.; PECCININ, R. G. Benznidazole Extended-Release Tablets for Improved Treatmentof Chagas Disease: Preclinical Pharmacokinetic Study. Journal Antimicrob Agents Chemother, 60(4): 2492–2498, 2016.

MALAFAIA, G.; RODRIGUES, A. S. L.; Centenário do descobrimento da doença de Chagas: desafios e perspectivas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 43(5):483-485, 2010.

MARCOLONGO, R. Dissolução de medicamentos: fundamentos, aplicações, aspectos regulatórios e perspectivas na área farmacêutica. Dissertação para Mestrado em Produção e Controle Farmacêuticos, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2003.

MARTINS - MELO, F. R.; ALENCAR, C. H.; RAMOS, A. N.; HEUKELBACH, J. Epidemiology of Mortality Related to Chagas' Disease in Brazil, 1999 – 2007. PLOS Neglected Tropical Diseases, 6: e1508, 2012.

OLIVEIRA, G. B. F.; AVEZUM, A.; MATTOS, A. J. C. Perspectives in Chagas Disease Treatment. GLOBAL HEART, v. 10, n. 3, p. 189-192, 2015.

RAAFLAUB, J.; ZIEGLER, W. H. Single-dose pharmacokinetics of the trypanosomide benznidazole in man. Arzneimittelforschung, v. 29, p. 1611-1614, 1979.

UNITED STATES PHARMACOPEIA. 33ª edição, United States Pharmacopeial Convention: Rockville, 2010.

VARGAS, M. R. W.; RAFFIN, F. N.; MOURA, T. F. A. L.; Strategies used for to improve aqueous solubility of simvastatin: a systematic review. Journal Science Pharmaceutical Basic Apply. 2, p.497-507, 2012.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.