Assistência de enfermagem em unidade de terapia intensiva nas alterações sistêmicas causadas pela sepse / Nursing assistance in intensive therapy unit in the systemic changes caused by sepse

Auriléia Perdigão Costa de Souza, Ricardo Amorim de Souza Garcia, Mario Felisberto da Silva Neto

Abstract


Introdução: Dentre as patologias que acometem pacientes críticos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) a sepse, o choque séptico e a disfunção de múltiplos órgão são as maiores causas de morte. A sepse é definida pela ocorrência de uma reação inflamatória sistêmica, a síndrome da resposta inflamatória sistêmica (SIRS), com um foco infeccioso presumido ou evidente. A associação de sepse com disfunção orgânica caracteriza a sepse grave. Revisão de literatura: Este estudo trata-se de uma revisão de literatura, com artigos publicados entre 2014-2018 com base nos periódicos SCIELO e Lilacs. As principais ações de enfermagem identificadas diante de uma suspeita de quadro infeccioso com evolução para a SIRS foram: observação da frequência cardíaca; verificação da PVC, saturação venosa de oxigênio, gasometria arterial, monitorização da hipoperfusão, hipoxemia e oligúria, coleta de hemocultura e administração de antibióticos conforme protocolo. A demora na administração de antibióticos aumenta o risco de óbito. Desta forma, não se deve esperar o resultado das culturas para iniciá-lo, ao identificar o agente agressor troca-se de antimicrobiano caso necessário. É importante que o enfermeiro na sua abordagem inicial observe as manifestações clínicas de hipoperfusão apresentadas pelo paciente como a hipotensão, hipoxemia e oligúria. Conclusão: Conclui-se que a enfermagem trabalha no suporte terapêutico da doença, devendo oferecer uma assistência voltada para a identificação de possíveis complicações, sendo necessário que o enfermeiro utilize de seus conhecimentos científicos de forma a provocar mudanças na prática assistencial, oferecendo suporte necessário para que o cuidado seja individualizado, voltado para as necessidades do indivíduo.


Keywords


Cuidados de Enfermagem, Nível de Saúde, Sepse, UTI.

References


Dutra, C.S.K.; Silveira, L.M.; Santos, A.O.; Stabile, R.P.A.M. Diagnósticos de enfermagem prevalentes no paciente internado com sepse no centro de terapia intensiva.Cogitare Enferm. 2014 Out/Dez; 19(4):747-54.

Ferreira, R.G.S; Nascimento, J.L. Intervenções de enfermagem na sepse: Saber e cuidar na sistematização assistencial. Revista Saúde e Desenvolvimento | vol.6 n.3 | jul/dez 2014

Garrido, F.; Tieppo, L.; Pereira, M.D.S.; Freitas, R.; Freitas, W.M.; Filipini, R.; Coelho, P.G.; Fonseca, F.L.A.; Fiorano, A.M.M. Ações do enfermeiro na identificação precoce de alterações sistêmicas causadas pela sepse grave Ações do enfermeiro na identificação precoce de alterações sistêmicas causadas pela sepse grave. ABCS Health Sci. 2017; 42(1):15-20 DOI: http://dx.doi.org/10.7322/abcshs.v42i1.944

Instituto Latino Americano de Sepse. IMPLEMENTAÇÃO DE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PROTOCOLO CLÍNICO: Atendimento ao paciente adulto com sepse / choque séptico. Revisado em: agosto de 2018

Lelis, L.S.; Amaral, M.S.; Oliveira, F.M. Ações de enfermagem frente a sepse , uma abordagem do paciente crítico: Uma revisão da literatura. Revista Científica FacMais, Volume. XII, Número 1. Abril. Ano 2018/1º Semestre .

Mello, G.R.D.; Erdmann, A.L.; Magalhães, A.L.P. Sepsiscare: Avaliação de aplicativo móvel ao cuidado de enfermagem ao paciente com sepse. Revista Cogitare Enferm. (23)2: e52283, 2018. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i1.52283

Neto, J.M.R.; Campos, D.A.; Marques, L.B.A.; Ramalho, C.R.O.C.; Nobrega, M.M.L. Concepções de enfermeiros que atuam em UTI geral sobre sepse. Cogitare




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n5-003

Refbacks

  • There are currently no refbacks.