Avaliação da prescrição: ilegibilidade de prescrições atendidas em uma farmácia / Evaluation of the prescription: illegibility of prescriptions served in a pharmacy

Mônica Miyuki Takahashi, Juliana Cristina do Nascimento, Valter Luiz da Costa Junior, Luciane Maria Ribeiro Neto

Abstract


A morbimortalidade prevenível relacionada ao medicamento é um problema frequente encontrado nos sistemas de saúde, tendo como uma das principais causas os erros de medicação. Dentre as causas que levam aos erros destaca-se a ilegibilidade das prescrições que compromete a interpretação correta do medicamento prescrito, dosagem e via de administração. Desta forma, objetivou-se verificar a ocorrência de prescrições ilegíveis em uma farmácia sem manipulação. Foi realizado um estudo observacional que avaliou 2.869 prescrições atendidas de 20 de março a 31 de agosto de 2017 em uma farmácia sem manipulação de um Centro Social da cidade de São Paulo. A análise de prescrições incidiu sobre receituários médicos e de outros profissionais da área da saúde, atendidos neste estabelecimento e foram primeiramente quantificadas e classificadas em manuais ou digitadas. Para categorização da ilegibilidade as prescrições foram avaliadas por um acadêmico de farmácia e por um farmacêutico, sendo que quando ambos consideraram comprometida a leitura da prescrição, esta foi considerada ilegível. Das 2.869 prescrições avaliadas, 52,4% eram manuais e 1,2 % apresentaram problema relacionado à legibilidade. Estas prescrições ilegíveis apresentaram até cinco medicamentos, sendo que 33,3% tinham apenas um medicamento prescrito e 11,1% cinco medicamentos. O problema relacionado à falta de legibilidade é relevante em razão da possibilidade de induzir ao erro ou confusão, bem como, por impossibilitar a dispensação, podendo assim, interromper ou alterar o processo de assistência ao paciente. Sendo assim, a implantação da prescrição eletrônica e a conscientização de profissionais de saúde e pacientes torna-se fundamental na diminuição de erros de medicação e consequente contribuição na segurança do paciente.


Keywords


Medicamento. Erro de medicação. Legibilidade. Assistênciaaopaciente

References


ARAÚJO PTB, UCHÔA SAC. Avaliação da qualidade da prescrição de medicamentos de um hospital de ensino. Ci. Saúde Colet. 16(1): 1107 - 1114, 2011.

BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 357, de 20 de abril de 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) nº 44, de 11 de AGOSTO DE 2009.

CHEUNG KC, BOUVY ML, DE SMET PAGM. Medication errors: the importance of safe dispensing. Br J. Clin. Pharmacol. 67(6): 676 – 680, 2009.

FERNANDES JS, FORTUNATO JMS, CORREIA-PINTO J. Fisiologia do sistema reprodutor feminino. Braga: Universidade do Minho, 2003. https://www.nccmerp.org/about-medication-errors

HEPLER CD. Observations on the conference: A phamarcist´s perspective. Am J. Health Syst Pharm. 57: 590 - 594, 2000.

KEERS RN, WILLIAMS SD, COOKE J, ASHCROFT DM. Prevalence and nature of medication administration errors in health care settings: a systematic review of direct observational evidence. Ann. Pharmacother. 47(2): 237 – 256, 2013.

MARIN N, LUIZA VL, OSORIO-DE-CASTRO CGS, MACHADO-DOS-SANTOS S, organizadores. Assistência farmacêutica para gerentes municipais. Rio de Janeiro: OPAS/OMS, 2003.

NATIONAL COORDINATING COUNCIL FOR MEDICATION ERROR REPORTING AND PREVENTION. Disponível em: . Acesso em: 17 fev.2019.

NÉRI EDR. Determinação do perfil dos erros de prescrição de medicamentos em um hospital universitário. 2004. 230 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal do Ceará, Ceará, 2004.

VILELA BPR, JERICÓ MC. Medication errors: management of the medication error indicator toward a more safety nursing practice. J. Nursing. 10(1): 228 - 231, 2016.

ZANETTI MOB, MARCHETTI JM, ANDRADE RCG. Adequação da prescrição de medicamentos na Atenção Primária à Saúde de Ribeirão Preto-SP: estudo transversal. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade. 12(39): 1 – 11, 2017.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.