Violência praticada contra crianças e adolescentes no estado do Paraná: estudo retrospectivo do quinquênio 2010-2014 / Practical violence against children and adolescents in the state of Paraná: retrospective study of the quinquenio 2010-2014

Luiz Fernando Lolli, Diorezane Mesacasa, Fernanda do Nascimento de Lemos Campos, Natalia de Souza Silva, Victoria Alicia de Oliveira, Gabriela Romanholo Fabiano, Gabriel Quirino Dalpoz, Bárbara Vieira Pimentel, Isabela Hrecek Freitag, Katia Cristina Toyokawa Sperandio

Abstract


A violência e seus impactos negativos representam uma violação aos direitos humanos, estando muitas vezes associada ao ambiente familiar. Esta pesquisa objetivou analisar a prevalência da violência praticada contra crianças e adolescentes no Paraná em associação ao sexo e faixa etária, realizando-se um estudo retrospectivo quantitativo observacional e analítico a partir dos dados registrados na base DATASUS. No que se refere aos casos de violência doméstica, sexual e/ou outras violências para o Paraná e para o município de Londrina o sexo feminino de 10 a 19 anos foi o mais acometido. Em Curitiba, o grupo mais atingido correspondeu ao sexo masculino de 0 a 9 anos. Em Maringá não houve associação entre a variável violência e as variáveis sexo e faixa etária e quanto à violência física, não houve associação com as variáveis sexo e faixa etária. Para violência física, o grupo atingido refere-se ao sexo feminino e à faixa etária de 10 a 19 anos, no Estado e nos municípios de Curitiba e Londrina. Para violência sexual em todos os cenários o grupo afetado correspondeu ao sexo feminino de 10 a 19 anos. Conclui-se que a maior prevalência de casos de violência ocorreu para adolescentes do sexo feminino.


Keywords


Maus-tratos de menores, sistema de informação em saúde, saúde coletiva, cirurgião-dentista.

References


Organização Mundial de Saúde; 2007.

Minayo MCS. Violência e Saúde: Coleção Temas em Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2006.

Gontijo DT, Alves HC, Paiva MHP, Guerra RMR, Kappel VB. Violência e Saúde: uma análise da produção científica publicada em periódicos nacionais entre 2003 e 2007. Physis Rev Saúde Col 2010; 20(3): 1017-1054.

Day VP, Telles LEB, Zoratto PH, Azambuja MRF, Machado DA, Silveira MA, et al. Violência doméstica e suas diferentes manifestações. Rev Psiq Rio Grande do Sul 2003 Abr; 1(25): 9-21.

Silva CJP, Ferreira EF, Paula LPP, Naves MD, Vargas AMD, Zarzar PMPA. A violência urbana contra crianças e adolescentes em Belo Horizonte: uma história contada através dos traumas maxilofaciais. Physis Rev Saúde Col 2011; 21(3): 1103-1120.

Deslandes SF, Assis SG, Santos NC. Violência envolvendo crianças no Brasil: um plural estruturado e estruturante. In: Ministério da Saúde, organizador. Impacto da violência na saúde dos brasileiros. Brasília: Ministério da Saúde 2005. p. 43-77.

Minayo MCS. Conceitos, teorias e tipologias de violência: a violência faz mal à saúde individual e coletiva. In: Njaine k, Assis SG, Constantino P. (Orgs.). Impactos da violência na saúde. 2 ed. Rio de Janeiro: Fiocruz 2009. p. 21-42.

Oliveira BRG, Thomazine AM, Bittar DB, Santos FL, Silva LMP, Santos RLR, et al. A violência intrafamiliar contra a criança e o adolescente: o que nos mostra a literatura nacional. Rev Min Enf 2008; 12. p. 547-556.

Zhai F, Gao Q. Child Maltreatment Among Asian Americans: Characteristics and Explanatory Framework. Child Maltreatment, California, 2009 Fev; 14(2): 207-224.

Tursz A, Crost M, Gerbouin-Rérolle P, Cook JM . Underascertainment of child abuse fatalities in France: Retrospective analysis of judicial data to assess underreporting of infant homicides in mortality statistics. Child Abuse & Neglect, 2010 Jul; 34(7): 534-544.

Feng J, Huang T, Wang C. Kindergarten teachers experience with reporting child abuse in Taiwan. Child Abuse & Neglect 2010; 34(2): 124-128.

Goodman K. Parent–youth discrepancies in ratings of youth victimization: Associations with psychological adjustment. American Journal Of Orthopsychiatry, Washington 2013; 83(1): 37-46.

Porto RTS, Júnior JPB, Lima EC. Violência doméstica e sexual no âmbito da Estratégia de Saúde da Família: atuação profissional e barreiras para o enfrentamento. Physis Rev Saúde Col 2014; 24(3): 787-807.

Oliveira MT, Samico I, Ishigami ABM, Nascimento RMM. Violência intrafamiliar: a experiência dos profissionais de saúde nas Unidades de Saúde da Família de São Joaquim do Monte, Pernambuco. Rev Bras Epid 2012 Mar; 15(1): 166-178.

Brasil. Presidência da República. Lei n° 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União; 1990.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº. 1968, de 25 de outubro de 2001. Dispõe sobre a notificação às autoridades competentes de casos de suspeita ou de confirmação de maus-tratos contra crianças e adolescentes atendidos nas entidades do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 104, de 25 de janeiro de 2011. Define as terminologias adotadas em legislação nacional, a relação de doenças, agravos e eventos em saúde pública de notificação compulsória em todo território nacional e estabelece fluxos, critérios, responsabilidades e atribuições aos profissionais de saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2011.

Conselho Federal de Odontologia: BRASIL. Código de Ética Odontológica Resolução CFO -118/2012, Rio de Janeiro; 2012.

Silveira JLGC, Mayrink S, Sousa OB. Maus-Tratos na Infância e Adolescência: Casuística, Conhecimento e Prática de Cirurgiões-Dentistas de Blumenau-SC. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada 2005 Mai/Ago; 5(2): 119-126.

Cavalcanti AL. Manifestações físicas do abuso infantil: aspectos de interesse odontológico. Rev Paulista Odont 2003 Set/Out; 25(5): 16-19.

Lolli LF, Graziano MSS, Demetrio ATW, Pereira MC, Rocha NB, carvalho GM. Violência de Gênero no Quinquênio 2007-2011: Um Estudo no Instituto Médico Legal de Maringá. Acta JUS 2015 Fev; 6(1): 05-11.

Mincoff RFI, Demetrio ATW, Graziano MSSG, Lolli LF, Carvalho GM. Avaliação De Fatores Relacionados à Violência Associada a Gênero: Um Estudo do Inquérito Nacional. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research 2016 Jun/Ago; 15(1): 12-17.

DATASUS: Departamento de Informática do SUS [Acesso em 26 Jul 2018]. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/informacoes-de-saude/tabnet/epidemiologicas-e-morbidade

Ayres M, Ayres MJ, Ayres DL, Santos AA. BioEstat 5.0: Aplicacões estatísticas nas áreas das ciências biològicas and médicas. Sociedade Civil 2007; CNPq, Belém.

Pelisoli C, Pires JPM, Almeida ME, Dell’Aglio DD. Violência sexual contra crianças e adolescentes: dados de um serviço de referência. Temas em Psicologia, São Paulo 2010; 18(1): 85-97.

Martins CBG, Jorge MHPM. A violência contra crianças e adolescentes: características epidemiológicas dos casos notificados aos Conselhos Tutelares e programas de atendimento em município do Sul do Brasil, 2002 e 2006. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília 2009 Dez; 18(4): 315-334.

Carmo CJ, Harada MJCS. Physical violence as educational practice. Rev Latino-americana Enfe, São Paulo 2006 Dez; 14(6): 849-856.

Andrade EM, Nakamura E, Paula CS, Nascimento R, Bordin IA, Martin D. A visão dos profissionais de saúde em relação à violência doméstica contra crianças e adolescentes: um estudo qualitativo. Saúde e Sociedade, São Paulo 2011 Mar; 20(1): 147-155.

Harada MJCS. A criança e o adolescente vítimas de maus tratos. Acta Paulista Enfe, São Paulo 1994; 13. p. 114-118.

Vendrúscolo TS, Ribeiro MA, Armond LC, Almeida ECS, Ferriani MDC. As políticas sociais e a violência: uma proposta de Ribeirão Preto. Rev Latino-Americana Enfe, Ribeirão Preto 2004 Ju; 12(3) 564-567.

Mascarenhas MDM, Malta DC, Silva MMA, Lima CM, Carvalho MGO, Oliveira VLA. Violência contra a criança: revelando o perfil dos atendimentos em serviços de emergência, Brasil, 2006 e 2007. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro 2010 Fev; 26(2): 347-357.

Franzin LCS, Moysés SJ, Vetorazzi MLT, Franzin FM, Moysés ST. Violência e maus-tratos na infância e adolescência. Rev UNINGÁ, Maringá 2013 Out/Dez; 16(3): 5-14.

Who; World Health Organization. Guidelines for Medico-Legal Care of Victims of Sexual Violence. Geneva: WHO; 2007.

Black MC, Basile KC, Breiding MJ, Smith SG, Walters ML, Merrick MT, et al. The National Intimate Partner and Sexual Violence Survey (NISVS): 2010 summary report. Atlanta: National Center for Injury Prevention and Control, Centers for Disease Control and Prevention; 2011.

Basile KC, Smith SG. Sexual Violence Victimization of Women: Prevalence, Characteristics, and the Role of Public Health and Prevention. Journal of Lifestyle Medicine 2011 Jun; 5(5): 407-417.

Teixeira-Filho FS, Rondini CA, Silva JM, Araújo MV. Tipos e consequências da violência sexual sofrida por estudantes do interior paulista na infância e/ou adolescência. Psicologia & Sociedade, Minas Gerais 2013; 25(1): 90-102.

Portugal G. Desenvolvimento e aprendizagem na infância. In: Conselho Nacional De Educação (org.). Relatório do estudo: A educação das crianças dos 0 aos 12 anos. Lisboa: Ministério da Educação; 2009.

Cavalcante MBPT, Alves MDS, Barroso, MGT. Adolescência, álcool e drogas: uma revisão na perspectiva da promoção da saúde. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro 2008 Set; 12(3): 555-559.

Sierra VM, Mesquita WA. Vulnerabilidades e fatores de risco na vida de crianças e adolescentes. São Paulo em Perspectiva, São Paulo 2006 Jan./Mar; 20(1): 148-155.

Dahlberg LL, Krug EG. Violência: um problema global de saúde pública. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro 2007; 11. p. 1163-1178.

Leal SMC, Lopes MJM. A violência como objeto da assistência em um hospital de trauma: o “olhar” da enfermagem. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro 2005; 10(2): 419-431.

Oliveira EM, Barbosa RM, Moura AAVM, Kossel KV, Morelli K, Botelho LFF, et al. Atendimento às mulheres vítimas de violência sexual: um estudo qualitativo. Rev Saúde Púb, São Paulo 2005; 39(3): 376-382.

Villela W. Mulher, violência e AIDS: explorando interfaces. In A. Nilo (Org.), Mulher, violência e AIDS 2008; p. 107-126. Recife: Gestos.

Baptista RS, França ISX, Costa CMP, Brito VRS. Caracterização do abuso sexual em crianças e adolescentes notificado em um Programa Sentinela. Acta Paul Enfe 2008; 21(4): 602-608.

Moreira GAR, Vieira LJES, Deslandes SF, Pordeus MAJ, Gama IS, Brilhante AVM. Fatores associados à notificação de maus-tratos em crianças e adolescentes na atenção básica. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro 2014; 19(10): 4267-4276.

Lolli LF, Lolli MCGS, Marson FC, Silva CO, Moreira MA, Silva RHA. Responsabilidade Criminal do Cirurgião-Dentista. Acta JUS, Maringá 2013 Out./Dez; 1(1): 17-23.

Gonçalves HS, Ferreira AL. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro 2002 Fev; 18(1): 315-319.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-368

Refbacks

  • There are currently no refbacks.