Aplicabilidade do modelo de adaptação de Roy no cuidado ao paciente diabético / Applicability of the Roy adaptation model in care for diabetic patients

Sabrine Silva Frota, Larissa Vasconcelos Lopes, Marilia Ribeiro Onofre, Hilana Dayana Dodou, Maria Vilani Cavalcante Guedes

Abstract


OBJETIVO: fundamentar a prática profissional em princípios científicos fazendo uso das teorias de enfermagem MATERIAIS E METODOS: Trata-se de um estudo caso clínico realizado em dezembro de 2015, no Ambulatório de saúde coletiva da Universidade Estadual do Ceará com um paciente diabético, selecionado por conveniência.Os dados foram coletados mediante observação, medição e entrevista, englobando os quatro modos adaptativos. O estudo foi aprovado no comitê de Ética em pesquisa da Universidade Estadual do Ceará com número de parecer 446.753 e foram respeitados os preceitos éticos e legais da resolução do CNS 466/12. RESULTADOS: paciente analisado era do sexo masculino, 55 anos, casado, católico, ensino superior completo e trabalha como corretor de imóveis diabético DISCUSSÃO comportamentos não adaptativos associados aos estímulos focais e contextuais identificados no modo adaptativo fisiológico nutrição e atividade/repouso em diabético principais foram obesidade, sedentarismo e distúrbios no padrão de sono. A implementação de um cuidado clínico fundamentado em uma teoria de enfermagem confere fundamentação cientifica a prática dessa profissão. Além disso, os registros das ações de enfermagem por meio da taxonomia II, NANDA I, NOC E NIC permitem maior visibilidade ao trabalho do enfermeiro. Acredita-se que o desenvolvimento do processo de enfermagem, fundamentado na teoria da Adaptação, desenvolvida por Sister Callista Roy, é viável e propicia um cuidado de qualidade, por ser adaptação uma característica inerente ao ser humano.


Keywords


Cuidado, Clinica, Diabetes

References


LEOPARDI, M. T. Sister Callista Roy – teoria da adaptação. In: Teorias em enfermagem: instrumentos para a prática. Florianópolos: Papa-Livros, 1999. p.109-114.

SALDANHA, E. A. FERNANDES, M. I. C. MEDEIROS, A. B. A. FRAZÃO, C. M.F Q. COSTA, I. A. LIRA, A. L. B. C. A teoria de callista roy, a nanda-1 e o cuidado ao paciente prostatectomizado. Rev. Enferm. UERJ, Rio de janeiro, v.20, n.2, p:764-70, dez, 2012.

GALBREATH, J. G. CALLISTA ROY. In George, J. B. e col. Teorias de Enfermagem: os fundamentos à pratica professional. 4 ed, Porto alegre: Artes Médicas Sul; 2000. Cap15, p. 203-224.

ROY, S.C. ANDREWA, H. A. The Roy Adaptation Model. 2 ed. Stamford, Connecticut: Appleton & Lange, 1999.

BARRETO, M. S. MARCON, S.S. Participação familiar no tratamento da hipertensão arterial na perspectiva do doente. Rev.Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v.23, n.1,p : 38-46, Mar, 2014.

JOHNSON, M. et al. Ligações entre NANDA, NOC e NIC: diagnósticos resultados e intervenções de enfermagem. Tratado Regina Machado. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2012. 704p

MONTEIRO, A. K; COSTA, C.P.V; CAMPOS, M.O.B. Aplicabilidade da teoria de callista roy no cuidado de enfermagem ao estomizado. Revista de enfermagem e atenção a saúde. vol 5, n.1 , pg 84-92, 2016.

SILVA, N.R; SOUSA, D.C.F; SOUSA, J.R ; BEZERRA, F.M.C; FERREIRA,L.S; CARVALHO, P.M.G. Teorias de enfermagem aplicadas no cuidado a pacientes oncológicos: contribuição para prática clínica do enfermeiro. Rev. UNINGÁ, Maringá, v. 55, n. 2, p. 59-71, abr./jun, 2018.

COELHO, RS, MUNIZ, MC. O acadêmico de enfermagem refletindo sobre a teoria de enfermagem de callista roy para a aplicação na sua prática. Revista de Trabalhos Acadêmicos UNIVERSO São Gonçalo, vol. 2, n. 3, 2017.

BRANDÃO, MAG, MARTINS, J.S.A, PEIXOTO, M.A.P, LOPES, R.O.P, PRIMO, C.C. Reflexões teoricas e metodologicas para a construção de teorias de médio alcance de enfermagem. Revista texto e contexto. Vol. 26, n.4, pg 1-8, 2017.

POTTER PA, PERRY AG. Fundamentos de enfermagem. 8ª Ed. Rio de janeiro: Elsevier, 2013.

HARKREADER H, HOGAN MA, THOBABEN M. Fundamentals of nursing: caring and clinical judment. 3ª Ed; Philadelphia, Pennsylvania, USA: W.B Saunders Company, 2007.

MARIA MA, QUADROS FAA, GRASSI MFO. Sistematização da assistência de enfermagem em serviços de uergencia e emergência: viabilidade de implantação. Ver Brás. Enfermagem, 2012, vol. 65, n. 2, 2012.

SILVA Junior RF, SANTOS ICCB, SOUZA JS, Dias RSF, TORRES SAS, TORRES JPRV. Percepção masculina quanto ao tratamento medicamentoso e não medicamentoso do diabetes tipo II. Rev Enferm UFPE, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-330

Refbacks

  • There are currently no refbacks.