Taxa de detecção de VHB nos testes de triagem realizados no HEMOPA de Marabá/PA antes e após a implementação do NAT / HBV detection rate in screening tests performed at HEMOPA in Marabá/PA before and after NAT implementation

Francielle Bonet Ferraz, Danillo dos Santos Silva, Kleber Henrique da Silva Bezerra, Karolaine Galvão Pontes, Marcelo Vaughan Lima de Oliveira

Abstract


Dados epidemiológicos apontam as hepatites como doenças infecciosas importantes para a saúde pública, considerando os índices alarmantes da doença no Brasil. Dentre essas, a Hepatite B (HB) se destaca por sua alta prevalência e facilidade de transmissão pela via parenteral, merecendo grande atenção durante a triagem realizada por bancos de sangue, os quais utilizam-se de testes que detectam marcadores sorológicos, como o HBsAg e o anti-HBc. A partir do ano de 2015, o NAT (Teste do Ácido Nucleico) passou a ser usado conjuntamente aos testes sorológicos pela fundação HEMOPA, com o intuito de melhorar a segurança transfusional para a HB. Desse modo, este trabalho objetiva expor a prevalência das hepatites virais na região, a partir da triagem realizada pelo HEMOPA, além de averiguar o impacto da aquisição de novas tecnologias na melhoria da segurança transfusional. A partir da tabulação dos dados disponibilizados pelo Hemocentro de Marabá/PA e da elaboração de gráficos, relacionou-se o número de testes de triagem para HB realizados com a quantidade de testes positivos no período estudado, comparando os períodos anterior e posterior a implementação do NAThb. Observou-se que as hepatites foram a terceira maior causa de recusa de doadores dentre as doenças infecciosas pesquisadas para a doação. Além disso, do total de detecções, 1573 ocorreram antes da implantação do NAThb e 725 após esse período. Conclui-se que a HB é muito prevalente na região, sendo importante fator de recusa de doações. Ademais, não houve incremento do número absoluto de detecções após a implementação do NAThb.


Keywords


Hepatite B, testes moleculares, testes sorológicos, transfusão de sangue, triagem.

References


ALZAHRANI, F. M.; MUZAHEED; SHAIKH, S. S. et al. Prevalence of Hepatitis B Virus (HBV) Among Blood Donors in Eastern Saudi Arabia: Results From a Five- Year Retrospective Study of HBV Seromarkers. Annals Laboratory of medicine, Seoul, v.39, n.1, p. 81-85, 2019.

BARTOLUCCI, W. C., FERREIRA, F. N., CORREA, N. A. B. Prevalência da Hepatite B no estado do Paraná, Brasil, nos anos de 2008 a 2013. Revista Uningá. Juranda, V. 44, p. 10- 16, abr- jun. 2015.

BRASIL, Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico - Hepatites Virais. Brasília, 2018.

BRASIL, Ministério da Saúde. Manual técnico para o diagnóstico das Hepatites virais. Brasília, 2015.

BRASIL, Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para Hepatite B e coinfecções. Brasília,2017.

CORRÊA, A. S. M.; LAMARÃO, L. M.; VIEIRA, P. C. M. et al. Prevalence, incidence, and residual risk of transfusion-transmitted HBV infection before and afterthe implementation of HBV-NAT in northern Brasil. PLOS one, Califórnia, US, p. 1-14, dez. 2018.

FERREIRA, J. C.; PATINO, C. M. Entendendo os testes diagnósticos. Jornal Brasileiro de Pneumologia, Ceará, v.43, n.5, p. 330, 2017.

FERREIRA, M. S. Diagnóstico e tratamento da Hepatite B. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberlândia, v.33, n.4, p. 389-400, 2000.

FIEDLER, S. A.; OBERLE, D.; CHUDY, M.; Effectiveness of blood donor screening by HIV, HCV, HBV-NAT assays, as well as HBsAg and anti-HBc immunoassays in Germany (2008–2015). Vox Sanguinis, Langen, p.1-8, fev.2019.

FUJIMOTO, D. E. Risco residual de transmissão por transfusão das hepatites B e C na coorte de doadores de sangue do Estado do Acre. 2018. Tese (Doutorado em Ciências) - Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2108.

GOVERNO DO PARÁ. Histórico do Hemopa.Belém,2018.

HEPATITIS B. WHO. Disponível em: http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/hepatitis-b . Acesso em: 20 out. 2018.

KAMEDA, K. et al. A incorporação do teste diagnóstico baseado na amplificação de ácidos nucleicos (NAT) para triagem de sangue no SUS: arranjos tecnológicos para a nacionalização do “NAT brasileiro”. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.28, No.1, pag.1-21, fev.2018.

KEECHILOT, C. S.; SHENOY, V.; KUMAR A. et al. Detection of occult hepatitis b and window period infection among blood donors by individual donation nucleic acid testing in a tertiary care center in South India. Pathogens and Global Health, Londres, v. 110, p. 287-291, 2016.

MARTINS, A. P. B.; SILVA, B.; MOLIN, D. B. D. et al. Soroprevalência de doenças infecciosas em doadores de sangue do Hemocentro Regional de Cruz Alta- Rio Grande do Sul. Clinical e Biomedical Research, Porto Alegre, v.35, n.4, p. 211-216, 2015.

NUNES, H. M. et al. Soroprevalência da infecção pelos vírus das hepatites A, B, C, D e E em município da região oeste do Estado do Pará, Brasil. Revista Pan- Amazônica de Saúde. Belém, v. 7, n. 1, p. 55- 62, jan. 2016.

PACHECO, S. R. et al. Avaliação do protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para o tratamento para Hepatite B crônica nas regiões nordeste e norte do Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Salvador, v. 14, n. 1, p. 2- 7, jan- mar. 2016.

RODRIGUES, A. M. X.; BARBOSA, M. L.; SILVA, K. M. R. et al. Prevalência das principais doenças investigadas na triagem sorológica em unidades de um hemocentro. Revista Ciência e Saberes, São Luís, v.4, n.1, p. 835-840, 2018.

SILVA, A. C. P.; GOÉS, V. M.; RIBEIRO, C. N. M. Implantação e Benefícios da Utilização do Kit Nat HIV/HCV/HBV nos Hemobancos do Brasil. Biociências, Biotecnologia e Saúde, Curitiba, n.17, p. 18-28, 2017.

STANIC, H. S.; BABIC, I.; MASLOVIC, M. et al. Three year experience in NAT screening of blood donors for transfusion transmitted viruses in croatia. Transfusion medicine and Hemotherapy, Freiburg, p. 415-420, mai. 2017.

TIOLLAIS, M. P., ZHUN, M. C. The Hepatitis B. Pathologie Biologie. v. 58, pag. 243-244, aug. 2010.

VIANA, D. R. et al. Hepatite B e C: Diagnóstico e Tratamento. Revista de Patologia do Tocantins, Palmas, Vol.4, No.3, pág. 73-79, Set. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-325

Refbacks

  • There are currently no refbacks.