Mortalidade por Doenças Cerebrovasculares em Homens nos Estados da Região Nordeste / Mortality from Cerebrovascular Diseases in Men in the States of the Northeast Region

Nádia Larissa Henrique de Lima, Francyelle Felismino da Silva, Hidyanara Luiza de Paula, Carlla Maria Cabral da Silva, Karyne André da Silva Teixeira, Mikael Adalberto dos Santos, Priscila Santos Vieira Ferreira, Francisca Maria Nunes da Silva

Abstract


Introdução: As doenças do aparelho circulatório mostram elevada mortalidade no Brasil. Nesse grupo, as doenças cerebrovasculares (DCBV) apresentaram em 2002 uma incidência que oscila entre 135 a 151/100 mil habitantes e reflete grande prejuízo populacional, social e econômico. (FURUKAWA; et al., 2011) Objetivo: Expor e analisar dados epidemiológicos das taxas de mortalidade cerebrovasculares presentes no sexo masculino em estados da região nordeste. Metodologia: Estudo do tipo epidemiológico, descritivo e retrospectivo. Foram coletados dados através do DATASUS, obtidos em taxa de mortalidade por doenças do aparelho circulatório. Foi pesquisada a população masculina na faixa etária de 40 a 49 anos, no período entre 2000 e 2011. Resultados: As taxas médias de óbitos por 100.000 mil habitantes, apresentaram, em ordem decrescente, o estado de Alagoas com um valor significativo de 34,4, seguido de Pernambuco com 32,9, Piauí (29,3), Maranhão (29,1), Paraíba (26,4), Bahia (25,5), Sergipe (22,9), Ceará (21,7) e Rio Grande do Norte (17,1). (MS/SVS, 2012) Conclusão: Este estudo mostrou que dos estados nordestinos, Alagoas apresenta a maior taxa média de óbitos por DCBV, portanto, é necessário investigar os fatores que propiciam esse desfecho a fim de elaborar estratégias para prevenir e promover a saúde, com o intuito de combater a mortalidade por DCBV. Contribuições para a Enfermagem: Os estudos acerca desse tema respaldam intervenções através do monitoramento e identificação dos grupos de risco. Além disso, contribui na efetivação de políticas públicas de saúde e melhoria dos dados no Sistema de Informações sobre Mortalidade.


Keywords


Mortalidade, Transtornos cerebrovasculares, Doenças cardiovasculares.

References


ARAÚJO, J. P. dos.; et.al.Tendência da mortalidade por acidente vascular cerebral no Município de Maringá, Paraná entre os anos de 2005 a 2015. Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.) ; 31(1): f:56-l:62, jan.-mar. 2018. tab, graf. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-883771. Acesso em: 19 de ago. de 2020.

CHOWDHURY, R. et.al. Adherence to cardiovascular therapy: a meta-analysis of prevalence and clinical consequences. Eur Heart J. 2013; 34(38):2940-8. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23907142/. Acesso em: 19 de ago. de 2020.

FURUKAWA, T. S.; et al. Causas múltiplas de morte relacionadas às doenças cerebrovasculares no Estado do Paraná. Rev. Bras. Epidemiol. 14(2): 231-9, 2011. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/rbepid/v14n2/05.pdf. Acesso em : 14 de mar. de 2016.

GUS, I.; et al. Variations in the Prevalence of Risk Factors for Coronary Artery Disease in Rio Grande do Sul-Brazil: A Comparative Analysis between 2002 and 2014. Arq. Bras. Cardiol. 2015; 105(6): 573-9.Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/9891/8311. Acesso em: 19 de ago. de 2020.

HALLBERG, I. et.al. Supporting the self-management of hypertension: patients’ experiences of using a mobile phone-based system. J Hum Hypertens. 2016;30(2):141-6. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25903164/. Acesso em: 19 de ago.de 2020.

LOTUFO, P.A.; GOULART, A.C.; PASSOS, V.M. de A.; et al. Doença cerebrovascular no Brasil de 1990 a 2015: Global Burden of Disease 2015. Rev Bras Epidemiol MAIO 2017; 20 SUPPL 1: p. 129-141. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rbepid/2017.v20suppl1/129-141/pt. Acesso em: 17 de ago. de 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE/SVS – Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) e IBGE, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 de maio de 2017.

Nunes MC, Kreuser LJ, Ribeiro AL, Sousa GR, Costa HS, Botoni FA, et al. Prevalence and risk factors of embolic cerebrovascular events associated with Chagas heart disease. Glob Heart 2015; 10(3): 151-7. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26407510/. Acesso em: 17 de ago. de 2020.

OLIVEIRA.; et al. Doenças do aparelho circulatório no Brasil de acordo com dados do Datasus: um estudo no período de 2013 a 2018/ Diseases of the circulatory device in Brazil according to Datasus: a study from 2013 to 2018. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v. 3, n. 1, jan./feb. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/issue/view/78 . Acessado em 20 de ago de 2020.

OPAS, Organização Pan-Americana de Saúde. Doenças cardiovasculares. 2017. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253:doencas-cardiovasculares&Itemid=1096. Acessado em 20 de ago. 2020.

SANTOS, M. dos. Epidemiologia do envelhecimento. In: Nunes MI, Ferreri REL, Santos M dos, eds. Enfermagem em geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2012. p. 4-8.

SILVEIRA R. E. da.; et al. Gastos relacionados a hospitalizações de idosos no Brasil: perspectivas de uma década. Einstein [Internet] 2013 [acessado em 11 nov. 2016]; 11(4): 514-20. Disponível em: Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v11n4/19.pdf. Acesso em: 18 de ago. de 2020.

SILVA, D. dos S.; LOPES, A.O.S.; OLIVEIRA, A.S.; GOMES, N.P.; et al. Alterações metabólicas e cardiovasculares e sua relação com a obesidade em idosos. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 3, n. 3, p.4357-4369 may./jun. 2020. ISSN 2595-6825. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/9891/8311. Acesso em: 20 de ago de 2020.

SOARES, G. P.; et.al. Evolução da Mortalidade por Doenças do Aparelho Circulatório e do Produto Interno Bruto per Capita nos Municípios do Estado do Rio de Janeiro. Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.) ; 31(2): 123-132, Mar.-Apr. 2018. tab, ilus. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1019899. Acesso em: 19 de ago de 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. ISSN-0066-782X Volume 107, Nº 3, Supl. 3, setembro de 2016. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf. Acesso em: 19 de ago. de 2020.

VITOI, N.C.; et.al. Prevalência e fatores associados ao diabetes em idosos no município de Viçosa, Minas Gerais. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2015; 18 (4): 953-65. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/9891/8311. Acesso em: 19 de ago. de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-323

Refbacks

  • There are currently no refbacks.