A educação alimentar e nutricional como estratégia no tratamento dos transtornos alimentares / Food and nutrition education as a strategy in the treatment of eating disorders

Claudia Torquato Scorsafava Farias, Rafaela Henriques Rosa

Abstract


Os transtornos alimentares são doenças de fundo psiquiátricos, que promovem danos relacionados a comportamentos alimentares, implicando em graves distorções na imagem corporal, as quais provocam severas alterações nos comportamentos alimentares como compulsão e/ou inanição, podendo levar à morte ou causar morbidades. Objetivou-se, com essa pesquisa, demonstrar a aplicação da Educação Alimentar e Nutricional como estratégia no tratamento nos Transtornos do Comportamento Alimentar. Trata-se de uma revisão bibliográfica de caráter exploratório e qualitativo, por meio da consulta nas bases de dados: Scielo, PubMed e Google Acadêmico, utilizando os descritores: Educação Alimentar e Nutricional e Transtornos Alimentares. Incluíram-se artigos entre os anos 1997 a 2018 que continham pelo menos um dos descritores selecionados, excluindo da pesquisa dissertações, teses, monografias, artigos em outros idiomas, exceto português e inglês, e estudos que não tratavam especificamente do tema. Totalizam-se 10 artigos utilizados. Teoricamente a pesquisa está embasada em: ALVARENGA(2017), LATTERZA(2004), GOUGLIN(2016), GREENWOOD; FONSECA(2016) e AMERICA PSYCHIATRIC ASSOCIATION(2006). Os resultados apontam no sentido de que, por se tratar de uma patologia que se destaca pelo seu caráter multifatorial, ao envolver causas genéticas, psicológicas, familiares, socioculturais, biológicas e nutricionais, o tratamento requer a atuação de equipe multiprofissional formada por médicos, psicólogos e, em especial, por nutricionistas, por envolver alterações profundas no consumo, padrões e comportamentos alimentares do paciente, bem como os estudos asseveram que a utilização de ferramentas como a Educação Alimentar e Nutricional e a Técnica do Comportamento-cognitivo demonstrou ser eficaz na reparação do estado de nutricional e da redução ou da cessação de comportamentos inadequados para a saúde, quando utilizadas em conjunto com outros tratamentos desenvolvidos por membros da equipe multidisciplinar, não sendo, portanto, eficaz para o tratamento quando utilizada de forma isolada. Como se observa, por se tratar de uma pesquisa que visa demonstrar o uso da ferramenta Educação Alimentar e Nutricional no tratamento dos transtornos alimentares, torna-se de extrema relevância para a comunidade acadêmica.


Keywords


Educação Alimentar e Nutricional, Transtornos Alimentares

References


ALVARENGA M.S, Abordagens no Transtorno Alimentar – Anorexia, Bulimia, Compulsão Alimentar Não Especificado. In: TRECCO, Sônia. Educação alimentar e nutricional: da teoria à prática. Vila Mariana, SP: Roca, 2017, p. 193-199.

ALVARENGA, M.S. LARINO, Maria A. Terapia nutricional na anorexia e bulimia nervosas. Revista Brasileira de Psiquiatria. São Paulo, SP, 2002, 24 (sup. 3), p. 39-43. Disponível em: ˂https://www.researchgate.net/publication/26373325_Terapia_nutricional_na_anorexia_e_bulimia_nervosas˃. Acesso em: 11 de ago. 2019.

AMBULIM (São Paulo). Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. O que são? 2020. Disponível em: http://www.ambulim.org.br/TranstornosAlimentares/OqueSao . Acesso em: 11 ago. 2019.

AMERICAN DIETETIC ASSOCIATION. Position of the American Dietetic Association: Nutrition Intervention in the Treatment of Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa, and Other Eating Disorders. Journal Of The American Dietetic Association, [s.l.], v. 106, n. 12, p. 2073-2082, dez. 2006. Elsevier BV. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1016/j.jada.2006.09.007> . Acesso em: 11 de ago. 2019.

BOOG, M.C.F.. Educação nutricional: passado, presente, futuro. Revista de Nutrição: PUCCAMP, Campinas, v. 10, n. 1, p. 5-19, 1997. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2019.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social – MDS Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SESAN. Princípios e Práticas para Educação Alimentar e Nutricional. Brasília, 2018. Disponível em: ˃file:///E:/artigo%20-%20nutrição%20comportamental/CADERNO%20E%20PRÁTICA%20EM%20_EAN_semmarca.pdf ˃. Acesso em: 10 de ago. 2019.

CASTRO, Inês, Rugani Ribeiro. Desafios e perspectivas para a promoção da alimentação adequada e saudável no Brasil. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 31, n. 1., jan. 2015. Disponível em:˂ file:///E:/artigo%20-%20nutrição%20comportamental/Desafios%20e%20perspectivas%20para%20a%20promoção%20da%20alimentação%20adequada%20e%20saudável%20no%20Brasil.pdf ˃. Acesso em: 09 de ago. 2019.

CORDÁS, Taki, A. Transtornos alimentares: classificação e diagnóstico. Revista de Psiquiatria Clínica. São Paulo, v.31, 2004, p. 154 -157. Disponível em: < file:///C:/Users/claud/Documents/ARTIGO%20-%20CONGRESSO/TRANSTONOS%20ALIMENTARES%20-%20TEM%20CITAÇÃO.pdf.> Acesso em: 10 de ago. 2019.

COUGHLIN, Janelle W. SEIDE, Margarez. GUARDA Angela S. Disturbios comportamentais que afetam a ingestão alimentar: transtornos alimentares e outras condições psiquiátricas. In: ROSS et al. Nutrição moderna de Shils. 11ª ed. Barueri, SP: Manole,2016, p. 1330-1341.

FRANÇA, Camila, Jesus et al. Estratégias de educação alimentar e nutricional na Atenção Primária à Saúde: uma revisão de literatura. Saúde Debate. Rio de Janeiro, V. 41, n 114, p. 932-948, JUL-SET 2017. Disponível em: ˂file:///E:/artigo%20-%20nutrição%20comportamental/ESTRATÉGIAS%20DE%20EDUÇÃO%20ALIMENTAR%20E%20NUTRICIONAL%20NA%20ATNÇAO%20PRIMÁRIA.pdf˃. Acesso em: 11 de ago. 2019.

GREENWOOD, S. A.; FONSECA, A. B. Espaços e caminhos da educação alimentar e nutricional no livro didático. Ciência e Educação. Bauru, v. 22, n. 1, p. 201-218, 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2019.

LATTERZA, Andréa, Romero et al. Tratamento nutricional dos transtornos alimentares. Revista de Psiquiatria Clínica. Vol. 31, n. 4, p. 173-176, 2004. Disponível em: ˂file:///E:/artigo%20-%20nutrição%20comportamental/TRANSTORNOS%20ALIMENTARES/tratamento%20nutricional%20nos%20transtornos%20alimentares.pdf ˃. Acesso em: 13 de ago. 2019.

OLIVEIRA, Letícia L. HUTZ, Cláudio S. Transtornos alimentares: o papel dos aspectos culturais no mundo contemporâneo. Revista de Psicologia em Estudos. Maringá, v.15, n. 3, p.573-583, jul/set. 2010.

OZIER, A.D. HENRY, Beverly W.. Position of the American Dietetic Association: nutrition intervention in the treatment feating disorders. Journal of the American Dietetic Association, v. 111, ed. 8., agosto, 2011, p. 1236 – 1241. Disponível em: ˂ https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0002822311007127#! ˃ . Acesso em: 13 de ago. 2019.

PINZON. Vanessa; CHAMELET, Fabiana. Epidemiologia. Curso e evolução dos transtornos alimentares. Revista de Psiquiatria Clínica. Coimbra. v. 31, n. 4, p. 158-160, 2004. Disponível em: ˂file:///E:/artigo%20-%20nutrição%20comportamental/TRANSTORNOS%20ALIMENTARES/EPIDEMIOLOGIA,%20CURSO%20E%20EVOLUÇÃO%20DOS%20TRANSTORNOS%20ALIMENTARES.pdf˃. Acesso em: 12 de ago. 2019.

SCAGLIUSI, Fernanda B. Transtornos alimentares. In: CUPPARI, Lilian. Nutrição clínica no adulto. 4ª ed. Barueri, SP: Monole, 2019.

TRECCO, Sônia. Educação Nutricional. In: _____Guia Prático de Educação Nutricional. São Paulo: Monole, 2016, p 1-5.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-322

Refbacks

  • There are currently no refbacks.