Intervenções obstétricas realizadas no período expulsivo: Um destaque para episiotomia / Obstetric intervention performed during expulsion: A highlight for episiotomy

Caroline Teixeira Maciel, Lilian Fernandes Arial Ayres, Camila Mendes dos Passos, Letícia Ábdon Caldeira, Laís Vanessa Assunção Oliveira, Isabel Maia dos Santos Rodrigues, Íbera Neves Chaves, Tatiane Roseli Alves Castro

Abstract


Objetivo: descrever o perfil sociodemográfico e obstétrico de parturientes assistidas durante o parto em uma maternidade do município de Viçosa (MG). Além disso, analisar a influência desses fatores (sociodemográficos e obstétricos) à realização de episiotomia. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, de caráter quantitativo, realizado em uma maternidade de Viçosa (MG), com 199 puérperas no período entre fevereiro de 2014 a março de 2015. Para a obtenção dos dados, foi realizado entrevista com instrumento semi-estruturado com as puérperas de parto vaginal na maternidade investigada. Frequências absoluta e relativa, teste Qui-quadrado de Pearson e modelos de regressão logística foram utilizados durante a análise dos dados. Resultados: Evidenciou-se que a maior parte das puérperas é jovem, com ensino fundamental completo, vive com companheiro e possui renda familiar de até dois salários mínimos. A maioria teve gestação a termo, com realização de ultrassonografia e mais de seis consultas durante o pré-natal. Durante a assistência à parturiente foi identificada realização de intervenções como uso de uterotônico, do fórceps e manobra de Kristeller. A episiotomia esteve presente em quase metade dos partos assistidos e foi associada à escolaridade mais alta (ensino superior). Conclusões: Conclui-se que intervenções desnecessárias e\ou não recomendadas permanecem com alta frequência de utilização no decurso da assistência obstétrica durante o parto, sobretudo a utilização da episiotomia. Diante do exposto, os resultados indicam que avanços, em relação às práticas e intervenções obstétricas, são necessários para melhoria da qualidade da assistência ao parto normal.

Keywords


Segunda Fase do Trabalho de Parto, Parto Normal, Episiotomia, Enfermagem Obstétrica.

References


AMORIM, M. M. et al. Selective episiotomy vs. implementation of a non-episiotomy protocol: A randomized clinical trial. Reproductive Health, v. 14, n. 1, p. 1–10, 2017.

ARAÚJO, I. C. F. G. DE et al. Qualidade Do Parto E Impacto Nos Indicadores Da Saúde Da Criança. Revista Ciência Plural, v. 5, n. 1, p. 18–33, 2019.

BIRU, S. et al. Maternal complication related to instrumental delivery at Felege Hiwot Specialized Hospital, Northwest Ethiopia: A retrospective cross-sectional study. BMC Research Notes, v. 12, n. 1, p. 1–5, 2019.

BRASIL. Pré-Natal E Puerpério, Atenção Qualificada e Humanizada. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde 2006.

BRASIL. Protocolos da Atenção Básica Saúde das Mulheres. 1. ed. Brasília: Ministério DA Saúde 2016.

BRASIL. Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal Versão resumida. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

BRASIL, M. DA S. Cadernos Humaniza SUS vol. 4. 1a ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

BRASIL, M. DA S. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. v. único.

CAMBOIM, F. E. DE F. et al. História Oral de Vida Temática De Mulheres em Relação à Episiotomia Oral. Arq. Ciênc. Saúde, v. 24, n. 2, p. 25–32, 2017.

CLESSE, C. et al. Statistical Trends of Episiotomy Around the World: Comparative Systematic Review of Changing Practices. Health Care for Women International, v. 39, n. 6, p. 644–662, 2018.

CONCEIÇÃO, L. S.; LAGO, M. J.; LIMA, M. A. T. Pré-natal Humanizado no SUS: Ações de Enfermagem. Disciplinarum Scientia Saúde, v. 20, n. 2, p. 269–280, maio 2019.

CÔRTES, C. T. et al. Implementação das Práticas Baseadas em Evidências na Assistência ao Parto Normal. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 26, 2018.

CUNHA, A. DE A. Indicações do Parto a Fórceps. Femina, v. 39, n. 12, p. 549–554, 2011.

DESSANTI, G. A.; NUNES, C. P. Complicações e Sintomas no Pós-Parto com Episiotomia. Revista de Medicina de Família e Saúde Mental, v. 1, p. 177–192, 2019.

FEBRASGO, F. B. DAS A. DE G. E O. Manual de Orientação Assistência ao Abortamento, Parto e Puerpério. São Paulo/SP: Febrasgo, 2010.

GOUVEIA, H. G.; GONÇALVES, A. D. C.; RITTER, S. K. Práticas assistenciais em partos de risco habitual assistidos por enfermeiras obstétricas. Acta Paul Enferm, v. 33, p. 1–8, 2020.

HUBENA, Z.; WORKNEH, A.; SIRANEH, Y. Prevalence and Outcome of Operative Vaginal Delivery among Mothers Who Gave Birth at Jimma University Medical Center, Southwest Ethiopia. Journal of Pregnancy, v. 2018, p. 1–12, 9 jul. 2018.

KÄMPF, C.; DIAS, R. DE B. A episiotomia na visão da obstetrícia humanizada: reflexões a partir dos estudos sociais da ciência e tecnologia. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 25, n. 4, p. 1155–1160, 2018.

LEAL, M. DO C. et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cadernos de saúde pública, v. 30, p. S1–S16, 2014.

LIMA, M. N. F. DE A. et al. Adolescentes, Gravidez e Atendimento nos Serviços de Atenção Primária à Saúde. Revista de Enfermagem UFPE on Line, v. 11, n. 5, p. 2075–2082, 2017.

LIMA, W. DE S. et al. Assistência ao Parto E Suas Mudanças ao Longo do Tempo no Brasil. Multidebates, v. 2, n. 2, p. 41–55, 2018.

LOMBARDO, M.; ESERIAN, J. K. O Controle da Hemorragia Pós-Parto e a Avaliação da Qualidade da Ocitocina Injetável. Perspectivas Médicas, v. 27, n. 1, p. 26–31, abr. 2016.

MONGUILHOTT, J. J. DA C. et al. Nascer no Brasil: The presence of a companion favors the use of best practices in delivery care in the South region of Brazil. Revista de Saúde Pública, v. 52, p. 1–11, 2018.

MONTEIRO, C. C. DE M. M. Prática Avançada em Enfermagem Obstétrica: Indicadores Assistenciais Entre Médicos e Enfermeiros. Santa Cruz/RN: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE, 2018.

MORATO, M. G. V. DE A. Prática da Episiotomia Durante a Assistência ao Parto: Tendência e Fatores de Risco em uma Coorte Retrospectiva de Cinco Anos. [s.l.] Universidade Federal de Uberlândia, 2019.

NUNES, J. T. et al. Qualidade da Assistência Pré-Natal no Brasil: Revisão de Artigos Publicados de 2005 a 2015. Cadernos Saúde Coletiva, v. 24, n. 2, p. 252–261, 2016.

OPAS, B.-O. P.-A. DA S. OPAS/OMS Brasil - Folha informativa - Mortalidade materna.

PASSOS, E. T.; RODRIGUES, G. M. DE M. Taxas da mortalidade materna no Brasil.

Revista liberum accessum, v. 1, n. 1, 2020.

PEREIRA, B. DOS R. et al. Perfil de Mortalidade Materna e a Efetividade das Políticas Públicas Direcionadas à Saúde Materna no Estado da Bahia , 2006 A 2015. Salvador/BA: Universidade Católica do Salvador, 2015.

PEREIRA, S. S. et al. Parto natural: a atuação do enfermeiro diante da assistência humanizada. Tempus Actas de Saúde Coletiva, v. 10, n. 3, p. 199–233, 21 nov. 2016.

PITANGUI, A. C. R. et al. Ocorrência e Fatores Associados à Prática de Episiotomia. Revista de Enfermagem UFPE On Line, v. 8, n. 2, p. 4–10, fev. 2014.

PORTO, A. M. F.; AMORIM, M. M. R.; SOUZA, A. S. R. Assistência ao Primeiro Período do Trabalho de Parto Baseada em Evidências. Femina, v. 38, n. 10, p. 528–537, 2010.

RICCI, S. S. Enfermagem Materno-Neonatal e Saúde da Mulher. 4a ed. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Koogan, 2019.

SALES, J. DE L. et al. Assistência ao parto em um hospital da baixada litorânea do Rio de Janeiro: desafios para um parto respeitoso. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online), p. 107–113, 2020.

SANCHES, M. E. T. DE L. et al. Atuação da enfermeira obstétrica na assistência ao trabalho de parto e parto. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, v. 7, n. 1, p. 1–7, 2018.

SANTOS, R. C. S. DOS; SANTOS, R. G. DOS. Fatores Relacionados Com a Prática da Episiotomia no Brasil: Revisão de Literatura. Estação Científica (UNIFAP), v. 6, n. 2, p. 43, 2016.

SANTOS, J. O. et al. Perfil Obstétrico e Neonatal de Puérperas Atendidas em Maternidades de São Paulo. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 7, n. 1, p. 1936, 2015.

SILVA, D. C. DA et al. Perspectiva das Puérperas Sobre a Assistência de Enfermagem Humanizada no Parto Normal. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 5, n. 2, p. 50–56, 2015.

SOUSA, A. M. M. et al. Práticas na Assistência ao Parto em Maternidades com Inserção de Enfermeiras Obstétricas, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Escola Anna Nery - Revista de Enfermagem, v. 20, n. 2, p. 324–331, 2016.

SOUZA, D. DE F.; SILVA, J. O. DA. Humanização da assistência ao parto: papel do enfermeiro obstetra. 2018.

VOGT, S. E.; DA SILVA, K. S.; DIAS, M. A. B. Comparação de Modelos de Assistência ao Parto em Hospitais Públicos. Revista de Saúde Pública, v. 48, n. 2, p. 304–313, 2014.

WHO. Intrapartum care for a positive childbirth experience. Genebra: Word Health Organization, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-320

Refbacks

  • There are currently no refbacks.