Capacitação dos Agentes Comunitários com enfoque em Tuberculose na Atenção Básica/ Training Community Agents with a focus on Tuberculosis in Primary Care

Michelle Gonçalves Maués, Hícaro Donato Granhen, Aline do Socorro Lima Kzam, Arisa Feio Yoshioka, Letícia dos Reis Koury, Bianca Coelho Frugone, Alberto Sampaio Marques, Ana Paula Viana de Araújo e Araújo, Milena Lins Veiga, Carlos Eduardo Mescouto, Rodrigo da Silva Dias

Abstract


Introdução: A tuberculose (TB) é uma doença muito antiga. Os primeiros registros desta infecção remontam  séculos antes de Cristo. Ainda hoje, a tuberculose é considerada um problema de saúde pública mundial, embora haja diferenças nas taxas de mortalidade, no declínio de incidência e na prevalência entre os países. Nesse contexto, destaca-se a atuação importante de uma equipe multidisciplinar no combate à tuberculose e busca ativa de sintomáticos respiratórios. O agente comunitário de saúde (ACS) está inserido na atenção básica em meio a Estratégia Saúde da Família (ESF), e representa o elo entre a comunidade e a equipe de saúde realiza um trabalho na dimensão técnica através de ações de monitoramento de grupos específicos, doenças prevalentes e de risco, através de visitas domiciliares e informação em saúde com base no saber epidemiológico e clínico. Diante disso, mostra-se a imporância em avaliar o grau de conhecimento dos agentes comunitários de saúde sobre o tema da tuberculose. Objetivo: Avaliar o desempenho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) de quatro Estratégias de Saúde da Família de Belém-Pará sobre a tuberculose antes e após processo de capacitação sobre o tema. Metodologia: Estudo longitudinal, prospectivo, descritivo, de caráter quantitativo realizado nas  ESF dos grupos A, B, C e D todas localizadas no município de Belém, Pará, tendo como referência para a educação em saúde a Cartilha para o Agente Comunitário de Saúde – Tuberculose do Ministério da Saúde. Etilizou-se questionário semiestruturado, autoaplicável, composto por dez questões de múltipla escolha contendo apenas um item com a resposta correta. Resultados: Foram analisados um total de 27 participantes, onde todos foram avaliados antes e após proposta intervencionista. Ao se comparar o desempenho dos ACS nos testes de conhecimento após a intervenção, verificou-se que os grupo A, C e D, apresentaram significativo aumento no número de acertos, sendo p < 0,05, exceto no grupo B com p>0,05. Conclusão: A presente pesquisa aponta que a proposta de intervenção e capacitação dos Agentes Comunitários em Saúde é efetiva na melhoria do nível de conhecimento destes. Desta forma, cabe ressaltar a importância da educação em saúde, em especial, dentro do âmbito da Estratégia Saúde da Família, uma vez elucidado o impacto desta capacitação sobre aspectos relevantes ao tratamento, prevenção e outros aspectos da tuberculose.


Keywords


Tuberculose, Agentes Comunitários de Saúde, Atenção Primária à Saúde.

References


AMORIM E, SAAD JR, STIRBULOV R. Avaliação espirométrica de doentes com sequela de tuberculose submetidos à lobectomia. Rev. Col. Bras. Cir., 2013; 40(2):117-120.

BEZERRA LMS, BEZERRA SMS, BEZERRA LMS, CHAVES MRM. Capacitação no controle da tuberculose para agentes comunitários de saúde em Fortaleza–CE. Anais do Congresso Brasileiro Medicina da família e Comunidade, 2013; 12: 1070.

BEZERRA LMS, ET AL. Capacitação no controle da tuberculose para agentes comunitários de saúde em Fortaleza–CE. Anais do Congresso Brasileiro Medicina da família e Comunidade, 2013; 12:10.

BRASIL. SECRETÁRIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Brasil livre da tuberculose: evolução dos cenários epidemiológicos e operacionais da doença. Boletim epidemiológico, 2019; 50(9).

BRASIL. SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Departamento de Vigilância das doenças transmissíveis. Cartilha para o Agente Comunitário de Saúde - Tuberculose. Brasília: Ministério da saúde, 2017.

BRASIL. SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Implantação do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil: primeiros passos rumo ao alcance das metas. Boletim Epidemiológico, 2018; 49: 1-18.

BRASIL. SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Panorama da tuberculose no Brasil: A mortalidade em números. Brasília: Ministério da Saúde,2016.

CRISPIM JA, ET AL. Agentes comunitários de saúde no controle da tuberculose na Atenção Primária à Saúde. Acta Paul. Enferm., 2012; 25(5): 721-7.

DORIA JL, DUARTE JMC, SARAIVA PCS. Tuberculose: a história e opatrimónio- Memórias da doença através da História em exposição no Museu do IHMT. An. Inst. Hig. Med. Trop., 2017; 16: 89-101.

GASPAR LMS, ET AL. Conhecimento, atitudes e práticas dos agentes comunitários de saúde sobre tuberculose pulmonar em uma capital do Nordestedo Brasil. Ver. Ciênc. Saúde Coletiva, 2019; 24(1).

GASPAR LMS. Conhecimento, atitudes e práticas dos agentes comunitários de saúde sobre tuberculose pulmonar no município de Recife. Dissertação de Mestrado: Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães e Escola Nacional de Saúde pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, 2016.

MACEDO SM, ANDRADE RPS, SOUZA CRBA, ANDRADE ASS, VILLA TCS, PINTO ESG. Estratégias para capacitação ao cuidado em tuberculose. Cogitare Enferm., 2016; 21(3): 01-08.

MACIEL MS, MENDES PD, GOMES AP, BATISTA RS. A história da tuberculose no Brasil: os muitos tons (de cinza) da miséria. Rev. Bra. Clin. Med., 2018; 10(3):226-30.

Medcalf A, Altink H, Saavedra M, Bhattacharya S. Editors. Tuberculosis: a short history. 1st ed. Orient Blackswan Private Limited,2013.

NASCIMENTO CS, SILVA MM. Tuberculose: uma doença ligada à questão social esquecida pela sociedade e que ressurge na atualidade. Rev. EDUC, 2018; 4(1):125-35.

PEDRAZA DF, SANTOS I, FRACOLLI LA. O trabalho do agente comunitário de saúde na perspectiva da promoção da saúde: considerações práticas. Rev. Eletr. Enf., 2010; 12(4): 766-9.

PEDRAZA DF, SANTOS I. Perfil e atuação do agente comunitário de saúde no contexto da Estratégia Saúde da Família em dois municípios da Paraíba. Ver. Interações, 2017;18(3): 97- 105.

QUEIROZ DM, SILVA MRF, OLIVEIRA LC. Educação Permanente com Agentes Comunitários de Saúde: potencialidades de umaformação norteada pelo referencial da Educação Popular e Saúde. Ver. Interface., 2014; 18(2): 1199-1210.

ROCHA GSS, LIMA MG, MOREIRA MR, ET AL. Conhecimento dos agentes comunitários de saúde sobre a tuberculose, suas medidas de controle e tratamento diretamente observado. Cad. Saúde Pública, 2015; 31(7): 1483-1496.

SOBRINHO E, ET AL. A tuberculose na estratégia de saúde da família: o conhecimento os agentes comunitários de saúde. Rev. Eletr. Enferm., 2013; 15(2).

TULIO CM, ROSA M. Cidade-clima e higiene: apontamentos acerca da tuberculose em guarapuava de 1927 a 1932. Work. Pap. Linguíst., 2017; 18(1): 178-96.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Global Tuberculosis Report 2016.Genebra: World Health Organization, 2016.

WYSOCKI AD, PONCE MAZ, BRUNELLO MEF, BERALDOAA, ET AL. Atenção Primária à Saúde e tuberculose: avaliação dos serviços. Rev Bras Epidemiol. 2016; 20(1): 161- 75.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-303

Refbacks

  • There are currently no refbacks.