Distribuição Geográfica dos acidentes escorpiônicos ocorridos nos Municípios de Roraima entre 2011 a 2017 / Geographical distribution of scorpion accidents in the Municipalities of Roraima between 2011 and 2017

Sabrina Torres Teixeira, Dionah Bandeira Figueiredo, Adriana Gomes Freitas, Ellen Vanuza Martins Bertelli, Eliza Ribeiro Costa

Abstract


Objetivo: Realizar uma lista descritiva dos acidentes escorpiônicos por localidade e seus aspectos epidemiológicos. Metodologia: Consistiu em uma investigação transversal com base na análise de todos os casos de envenenamento por escorpiões, atendidos nos Hospitais Municipais e notificados ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde (SINAN), entre os anos de 2011 a 2017. Resultados: Foram 348 casos, sendo observada maior concentração dos acidentes no ano de 2017, com uma média anual de 50. A maioria aconteceu no município de Boa Vista 90.5% (N=315), em contrapartida o município com menor incidência foi Alto Alegre com 1,1% (N=04). Um fato que chamou atenção foi à ausência de registros nos municípios de Bonfim, Caroebe, Mucajaí, Normandia, Pacaraima, Rorainópolis, São João da Baliza e São Luiz do Anauá, evidenciando a hipótese de subnotificação dos casos. Conclusão: A ausência de notificação de acidentes com escorpiões em diversos municípios do estado evidencia a necessidade de fortalecimento de ações que estimulem a notificação e condução adequada desses casos. Os seres humanos já possuíam um histórico de contato com estes animais muito antes da documentação dos mesmos, consequentemente a origem de tratamentos empíricos passados por gerações, enraizados na cultura popular ainda influenciam fortemente na terapêutica o que dificulta a investigação científica dos mesmos. Contribuições e Implicações na Enfermagem: É necessário incentivo à pesquisa nessa área, a fim de fornecer maiores informações à população e aos profissionais de saúde, incentivando a notificação dos casos e permitindo maior êxito na identificação da espécie envolvida e conduta adequada em cada caso. Com isso é primordial a qualificação da equipe, possibilitando melhor gerenciamento de insumos, reduzindo complicações, sequelas e ainda atuando na prevenção de acidentes com esses animais diminuindo a morbimortalidade.


Keywords


Escorpiões, Epidemiologia, Enfermagem.

References


ALCOFORADO, C. L. G., 2010. Entre o científico e o popular: saberes e práticas da equipe de enfermagem e clientes com feridas: um estudo de caso no município Cruzeiro do Sul-Acre. Dissertação de mestrado.

AMORIM, A. M. de., et al. Acidentes por escorpião em uma área do Nordeste de Amaralina, Salvador, Bahia, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical: Bahia, v.36, 2003. P. 51-56.

BRASIL, 2009 Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de controle de escorpiões / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília: Ministério da Saúde.

CAMPO, M.W., FERREIRA, M. B., DOS REIS, L. M., SILVA, L. B.I. T., LOPES, B. C., & FÉLIX DE OLIVEIRA, M. L., 2013. Internações hospitalares de vítimas de acidentes por animais peçonhentos. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 14(2).

CUPO, P.; MARQUES, M. M. DE A.; HERING, S. E., 2003 Acidentes por animais peçonhentos: Escorpiões e aranhas. Medicina, Ribeirão Preto, Simpósio: URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS DERMATOLÓGICAS E TOXICOLÓGICAS, v.36,. p. 490-497.

DA SILVA, A. G. (1999). Acidentes causados por animais peçonhentos. O Alferes, 8(27).

DE OLIVEIRA, A. T. A. L., DE SOUSA, A. F. P. B., ALCANTARA, I. D. C. L., DE MIRANDA, I. T. N., & MARQUES, R. B. 2018. Acidentes com animais peçonhentos no Brasil: revisão de literatura. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, 11(3).

LEININGER, M. M. (Ed.), 1985. Qualitative research methods in nursing.WB Saunders Company.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2018. Boletim da situação epidemiológica de animais peçonhentos, dezembro 2018. Disponível em< http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb (acessado em 05/out/2018).

MOTA DA SILVA A, BERNARDE P.S, ABREU L.C. Accidents with poisonous animals in Brazil by age and sex. Journal of Human Growth and Development. 25(1): 54-62

SOUSA, I. F., & LIMA, A. G. D. ,2018. Eco-epidemiologia de acidentes causados por lepidópteros em humanos no estado da Bahia. Revista Ouricuri, 8(1), 037-047.

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO, 2007. Rabies and envenomings: a neglected public health issue: report of a consultative meeting. Geneva: 2007.

SILVA, J. A. C., SILVA, B.S., ALVES, L. F. R., NEVES, V. B. F. F., CARVALO, P. A. F, 2019. Incidência de acidentes com insetos peçonhentos no estado do Pará. Incidence of accidents with venomous animals in the state of Pará. Brazilian Journal of Health Review, 2(4). Disponível em < https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/2261> Acesso em 14 de agosto de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-296

Refbacks

  • There are currently no refbacks.