Caracterização do acolhimento com classificação de risco em um hospital / Characterization of hospital host with risk classification in a hospital

Ana Karolline De Seixas Medeiros, Ana Nicole De Seixas Medeiros, Priscila Silva Silva, Andrea Leal, Vanessa Novaes Barros

Abstract


Os sistemas de acolhimento possuem o objetivo de organizar a demanda de clientes que chegam à procura de atendimento identificando esse usuário que precisa de atendimento imediato e reconhecendo aqueles que podem aguardar em segurança o atendimento. O acolhimento faz relação a um protocolo de classificação válido permitindo a classificação dos clientes, em base nos diferentes níveis de urgência e de priorização da assistência. Trata-se de um estudo descritivo utilizando uma abordagem quantitativa e prospectiva; os participantes dessa pesquisa são os usuários atendidos no setor de triagem no serviço de urgência e emergência do Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria no período de setembro de 2016. Chegamos a conclusão que os atendimentos apontaram para queixas de baixa complexidade, onde houve predominância da prioridade de atendimento verde. Estes resultados apontam para uma demanda não adequada para o serviço de Urgência e Emergência podendo ser atendido em serviços de saúde menos complexos. Além disso pacientes de categoria de maior gravidade aguardavam mais tempo para ser atendidos embora 57,3% da totalidade dos pacientes eram atendidos dentro do tempo preconizado.


Keywords


protocolo de Manchester, sistema de triagem hospitalar, níveis de classificação de risco.

References


ACOSTA, Aline Marques; DURO Carmem Lúcia Mottin; LIMA, Maria Alice Dias Silva. Atividades do enfermeiro nos sistemas de triagem/classificação de risco nos serviços de urgência: revisão integrativa. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33 (4): 181-190.

AZEVEDO, Ana Lídia de Castro Sajioro; PEREIRA, Ana Paula; LEMOS Caroline, COELHO, Mônica Franco; CHAVES, Lucieli Dias Pedreschi. Organização de serviços de emergência hospitalar: uma revisão integrativa de pesquisas. Rev. Eletr. Enf.[Internet]. 2010 out/dez; 12 (4): 736-45. Availablefrom: Disponível em:http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i4.6585. Acesso em: 29 abr. 2016.

BAGGIO, M. A.; CALLEGARO, G. D.; ERDMANN, A. L. Compreendendo as dimensões de cuidado em uma unidade de emergência hospitalar. RevistaBrasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. 5, p. 552-557, out. 2008.

BAKER, K. ReviewArticleChronicpainsyndromes in theemergencydepartment: Identifyingguidelines for management. EmergMedAustr. 2005;17(1):57-63.

BELLUCCI JÚNIOR, José Aparecido; MATSUDA, Laura Misue. Implantação do sistema acolhimento com classificação e Avaliação de risco e uso do fluxograma analisador. Florianópolis, 2012 Jan-Mar; 21(1): 217- 25.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: acolhimento com avaliação e classificação de risco: um paradigma ético-estético no fazer em saúde / Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS / Ministério da Saúde, Secretaria Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. 56p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual Instrutivo da Rede de Atenção às Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 1ed. - 2013. 84p.: il.

COREN PR. Conselho Regional de Enfermagem do Paraná. Protocolo de Manchester será utilizado por Enfermeiros em Curitiba. Disponível em: http://www.corenpr.org.br/noticias/2009/protocolo_manchester.html

FILHO, Marco Antônio Carvalho; ARAUJO, IzildaEsmeniaMuglia; SILVA, Michele de Freitas Neves; OLIVEIRA, Gabriela Noveli. Perfil da população atendida em uma unidade de emergência referenciada. São Paulo, 2011

FONSECA, Ariadne da Silva [et al]. Enfermagem de Emergência. Organizado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da Rede de Hospitais São Camilo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

FRANCISCO, Glaucia Taborda; LIMA, IzauraAlberton. PROTOCOLO DE MANCHESTER: MAIS DO QUE UM SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO: Revisão da história e análise de impactos secundários positivos produzidos pela utilização do MTS. Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Florianópolis, Santa Catarina, 2014.

GARABAGIALLE, Luciana Ferreira, Lima, Sandra Maciel. Limites e potencialidades do Protocolo de Manchester no atendimento das redes de atenção à saúde. Curitiba, 2013.

GUEDES, Helisamara Mota. Valor De Predição Do Protocolo Manchester Em Um Hospital Do Vale Do Jequitinhonha. Belo Horizonte, 2014

JACOBS PC, Matos EP. Estudo Exploratório dos Atendimentos em Unidade de Emergência em Salvador - Bahia. RevAssocMed Bras. 2005;51(6):348-53.

JUNIOR, Domingos Pinto. Valor Preditivo do Protocolo de Classificação de Risco em Unidade de Urgência de um Hospital Municipal de Belo Horizonte. Belo Horizonte. Escola de Enfermagemda UFMG, 2011.

JÚNIOR, Welfane Cordeiro; TORRES, Barbara Lopes de Brito; RAUSCH, Maria do Carmo Paixão. Sistema Manchester de Classificação de Risco: Comparando Modelos. Grupo Brasileiro de Classificação de Risco. Abril de2014.

MADEIRA, Diliane Barroso, LOUREIRO, Gláucia Mendes, NORA Edna Aparecida; Classificação de Risco: Perfil do atendimento em um hospital municipal do Leste de Minas Gerais. Revista Enfermagem Integrada - Ipitanga:Unileste – MG – V.3.- N2. Nov/Dez.2010.

MARQUES, G. Q.; LIMA, M. A. D. da S. Demandas de usuários a um serviço de pronto atendimento e seu acolhimento ao sistema de saúde. Revista LatinoAmericana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v.15, n.1, p. 13-19, fev. 2007.

MEDEIROS, Carlos Aguiar de. A influência do Salário Mínimo sobre a Taxa de Salários no Brasil na Última Década. Economia e Sociedade, Campinas, v. 24, n. 2 (54), p. 263-292, ago. 2015.

MIGUEL, Patrícia Araújo Burato. Acolhimento com Classificação de Risco para a Atenção Básica em Saúde. Criciúma, 2013.

MOURA, Maria do Amparo Alves, WATANABE, Elenice MutsukoMiyazato, SANTOS, Alessandra Teresa Ramos, CYPRIANO, Sandra Regina, MAIA, Luiz Faustino dos Santos. O papel do enfermeiro no atendimento humanizado de urgência e emergência. São Paulo: Revista Recien. 2014.

OLIVEIRA, Daiani Antunes; GUIMARÃES, Jaciane Pinto. A importância do acolhimento com classificação de risco nos serviços de emergência. Caderno Saúde e Desenvolvimento | vol.2 n.2 | jan/jun 2013.

OLIVEIRA, Kalyane Kelly Duarte; AMORIM, KaliannyKadidjaPolline Soares; FERNANDES, Ana Paula Nunes de Lima; MONTEIRO, AkemiIwata. Impacto da implementação do acolhimento com classificação de risco para o trabalho dos profissionais de uma unidade de pronto atendimento. REME • Rev Min Enferm. 2013 jan/DOI: 10.5935/1415-2762.20130013 mar; 17(1): 148-156

PINHEIRO, Francine dos Reis. Implantação do acolhimento com avaliação e classificação de risco no setor de emergência de um hospital público no sul do Brasil. Porto Alegre. Abril de 2015.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 22 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

SANTOS FILHO, Luiz Alberto Marques. Revisão sistemática do Sistema de Triagem de Manchester na estratificação de risco. Salvador, 2013. VIII, 28p.

SILVA, Michele de Freitas Neves. Protocolo de avaliação e classificação de risco de pacientes de uma unidade de emergência. Campinas, SP: [s.n.], 2010.

SOUZA, Cristiane Chaves; CHIANCA, Luana Machado; DINIZ, Aline Santos; CHIANCA, Tânia Couto Machado. Principais queixas de pacientes de urgência segundo o protocolo de classificação de risco de Manchester. Revenferm UFPE online. 2012 Mar; 6 (3):540-8.

SOUSA, João Paulo Aguiar de. Analfabetismo No Brasil: História, Realidade e Preconceito. São Paulo, 2012.

SILVA FONSECA, Ariadne. Enfermagem de emergência. Organizado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da Rede de Hospitais São Camilo. Rio de Janeiro, 2011.

Silva VPM, Silva AK, Heinisch RH, Heinisch LMM. Caracterização do Perfil da Demanda da Emergência de Clínica Médica do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. ArqCatarin Med. 2007;36(4):18-25.

Simons DA. Avaliação do perfil da demanda na unidade de emergência em Alagoas a partir da municipalização da saúde e do programa Saúde da Família. [Tese de doutorado]. Recife (PE): Fundação Osvaldo Cruz- Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães; 2008.161 p.

WINTERHALTER, Karine. Acolhimento e Classificação de Risco como dispositivo de construção de práticas em um Serviço de Urgência e Emergência. Santa Cruz do Sul, 2015.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.