Perfil sociodemográfico da população da vila da barca/Sociodemographic profile of the population from vila da barca

Alberto Sampaio Marques, Ana Paula Viana de Araújo e Araújo, Carlos Eduardo Machado Mescouto, Milena Lins Veiga, Michelle Gonçalves Maués, Aline do Socorro Lima Kzam, Arisa Feio Yoshioka, Bianca Coelho Frugone, Letícia dos Reis Koury, Hícaro Donato Granhen, Deusa Meriam da Silva Brito

Abstract


INTRODUÇÃO – Aspectos demográficos e socioeconômicos devem ser compreendidos como fatores que interferem na saúde e a geração periódica de informações de base populacional constitui uma ferramenta para monitorar e avaliar o acesso e a prestação aos serviços públicos de saúde. OBJETIVO - Traçar o perfil sociodemográfico dos usuários dos serviços de saúde da Vila da Barca, área II e verificar a prevalência de doenças crônicas ou outras. METODOLOGIA - Análise transversal, quantitativa e descritiva de dados obtidos dos cadastros de famílias, respeitando critérios éticos, e escolha randômica e estratificada da amostra. RESULTADOS – 46,8% homens e 53,2% mulheres, com predominância de adultos. Prevalência de HAS e diabetes. Baixo nível de escolaridade e renda familiar. Grupos familiares pardos e residentes em casas de alvenaria. DISCUSSÃO – População mais tempo exposta a fatores de risco de doenças crônicas, agravadas por fatores genéticos/raciais, instrução e nível socioeconômicos. CONCLUSÃO – População predominantemente nas faixas adulta e idosa, com prevalência de HAS e diabetes, baixa renda e escolaridade, 35% de desempregados e autodenominadas “pardos”.


Keywords


perfil sociodemográfico, Vila da Barca.

References


Silva ZP, Ribeiro MCSA, Barata RB, Almeida MF. Perfil sociodemográfico e padrão de utilização dos serviços de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), 2003 – 2008. Ciênc. Saúde coletiva 16; 3807 – 3816, 2001.

Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cad Saude Publica 2004; 20 (Supl. 2):S190-S198.

Mendonza-Sassi R, Béria JU, Barros AJD. Outpatient health servisse utilization and associated factors: a population-based study. Cad Saude Publica 2003; 37(3):372-378.

Tomasi E, Facchini LA, Paccini RX, Thumé E, Silveira DS, Siqueira FV. Perfil sócio-demográfico e epidemiológico dos trabalhadores da atenção básica à saúde nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad. Saúde Pública, 24 sup 1:193 – 201, 2008.

Kunst LR, Didoné DD, Moraes Sc, Escobar GB, Vaucher AV, Biaggio EPV. Perfil sociodemrográfico de mães atendidas em um serviço de triagem auditiva neonatal. Distúrb. Comum, São Paulo, 25 (3) 328 – 335, 2013.

Griz SMS e col. Aspectos demográficos e socioeconômicos de mães atendidas em um programa de triagem auditiva neonatal. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia; 15 (2); 179 – 83, 2010.

Pedruzzi, BM, Valente GSC, Pereira ER, Andrade RCR. Perfil socioeconômico e sociodemográfico de pacientes com tuberculose no sudeste do Brasil: uma revisão integrativa. Revista baiana de Saúde Pública; v. 37, p. 616 – 628, 2013.

Victor JF, Ximenes LB, Almeida PC, Vasconcelos FF. Perfil sociodemografico e clínicos de idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde da Família. Acta Paul Enferm, 22(1):49-54. 2009.

Gomes VF, Miguel TLB, Miasso AL. Common Mental Disorders: sócio-demographic and pharmacotherapy profile. Ver. Latino-Am. Enfermagem, 21 (6): 1203 – 1211, 2013.

Aguiar ADF, Padilha KM, Volpi PTM, Gomes JC, Tartarotti OA, Oliveira MS. Perfil sociodemografico e clínico das pacientes em tratamento do câncer mamário. Rev. Inat Ciênci Saúde 26:191-195; 2008.

Lassi ZS, Bhutta ZA. Community-based intervention packages for reducing maternal and neonatal morbidity and mortality and improving neonatal outcomes. Cochrane Pregnancy and Childbirth Group: March, 2015.

Medronho RA, Pontes RJS, Júnior ANR, Kerr LRS, Bosi MLM. Transição demográfica e epidemiológica. Epidemiologia, 2ª Ed. P: 133, 2011.

Avila A, Tavares A, Machado CA, Campana EMG, Lesse I, Krieger JE. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão VI: Conceituação, epidemiologia e prevenção primária 2015, capítulo 1; p: 1 – 3.

Cesarino CB, Cipullo JP, Martin JFV et al. Prevalência e fatores sociodemográficos em hipertensos de São José do Rio Preto. Arq Bras Card 2008; 91(1):31–35.

Rosário TM, Scala LCNS, França GVA, Pereira MRG, Jardim PCBV. Prevalência, controle e tratamento da hipertensão arterial sistêmica em Nobres, MT. Arq Bras Card 2009; 93(6):672–678.

Pereira M, Lunet N, Azevedo A, Barros H. Differences in prevalence, awareness, treatment and control of hypertension between developing and developed countries. J Hypertension 2009; 27(5):963–975.

Cavalheiro AS, Fonseca MJ, Sbruzzi G, Goldmeier S. Perfil de pacientes atendidos em ambulatório de hipertensão arterial: há diferenças entre sexos? 2014 mar; 35(1): 110 – 115.

Mancia G, FagarMancia G, Fagard R, Narkiewiez K, Redón J, Zanchetti A, Bohm M, et al. 2013 ESH/ESC guidelines for the management of arterial hypertension: the task force for the management of arterial hypertension of the European Society os Cardiology (ESC). J Hypertens. 2013; 31(7): 1281-357.

Xavier HT, Izar MC, Faria Neto JR, Assad MH, Rocha VZ, Sposito AC, et al. V diretrizes brasileiras de dislipidemias e prevenção da aterosclerose. Arq. Bras Cardiol. 2013; 101(4 Suppl 1): 1-22.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196, de 10 de autubro de 1996 [internet]. Brasília (DF); 1996 [citado 2013 dez 31]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resoluções/1996/Reso196.doc.

Waskiewiez A, Sygnowska E. Alcohol intake and cardiovascular risk fator profile in men participating in the WOBASZ study. Kardiol Pol. 2013; 71(4):359-65.

Neri AL, Yassuda MS, de Araújo LF, Eulálio MC, Cabral BE, Siqueira MEC, dos Santos GA, Moura JGA. Metodologia e perfil sociodemográfico, cognitivo e de fragilidade de idosos comunitários de sete cidades brasileiras: Estudo FIBRA. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(4):778-792, abr, 2013.

Lessa I. Epidemiologia da insuficiência cardíaca e da hipertensão arterial sistêmica no Brasil. Rev Bras de Hipertens 2001; 8:383–392.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2006; Fev:1–48.

Kate E Lager, Amit K Mistri, Kamlesh Khunti, Victoria J Haunton, Aung K Sett, Andrew D Wilson. Interventions for improving modifiable risk factor control in the secondary prevention of stroke. Cochrane Stroke Group: may, 2014.

Sociedade Brasileira do Diabetes (SBD), Epidemiologia e prevenção do Diabetes Mellitus/ Diretrizes SBD, 2014-2015. P: 1.

Malerbi D, Franco LJ; the Brazilian Cooperative Group on the Study of Diabetes Prevalence. Multicenter study of the prevalence of diabetes mellitus and impaired glucose tolerance in the urban Brazilian population aged 30 a 69 years. Diabetes Care. 1992;15(11):1509-16.

Attridge M, Creamer J, Ramsden M, Cannings-John R, Hawthorne K. Culturally appropriate health education for people in ethnic minority groups with type 2 diabetes mellitus. Cochrane Metabolic and Endocrine Disorders Group: September, 2014.

Freitas Ev, Py L, Chaimowicz F, Camargos MCS. Tratado de geriatria e gerontologia. Envelhecimento e saúde no Brasil, 3ª ed. P: 75, 2011.

de Oliveira CM, Pereira AC, de Andrade M, Soler JM, Krieger JE. Heritability of cardiovascular risk factors in a Brazilian population: Baependi Heart Study BMC Medical Genetics 2008; 9:32.

Pompílio RGS, de Lima NN, da Silva RU, Queiroz DR, de Freitas CMSM. Perfil sociodemográfico, comportamento sedentário e nível de atividade física em adolescentes escolares. Revista Saúde e Pesquisa, v. 6, n. 2, p. 249-255, maio/ago. 2013 - ISSN 1983-1870

Silva LS, Cotta RMM, Rosa COB. Estratégias de promoção da saúde e prevenção primária para en¬frentamento das doenças crônicas: revisão sistemática. Rev Panam Salud Publica. 2013;34(5):343–50.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-286

Refbacks

  • There are currently no refbacks.