A Influência dos aditivos alimentares no desenvolvimento de alergias em crianças / The influence of food additives on the development of allergies in children

Ana Maria Correa Jaques

Abstract


Os alimentos industrializados trazem praticidade para todos os consumidores, principalmente aqueles que priorizam o tempo à refeição. Porém junto com essa praticidade, a indústria trouxe a tecnologia dos aditivos químicos que por mais que sejam ótimos para o desenvolvimento de alimentos, aumenta seu tempo de prateleira, influenciam no sabor, odor e textura dos alimentos, também influencia na saúde dos que consomem. É comprovado que apresenta diversos efeitos negativos, incluindo alergias. A incidência de alergias em crianças tem aumentado e isso pode ser relacionado ao consumo de alimentos com adições químicas. Por ser um consumidor para a vida toda, a indústria investe em alimentos direcionados às crianças, resultando num consumo precoce e exagerado de produtos industrializados. Nesses produtos a quantidade de aditivos químicos pode chegar a ser maior que nos produtos direcionados ao público de idade adulta. As crianças que sofrem com alergias podem não relacionar ao consumo direto desses produtos. Aditivos alimentares podem aumentar os riscos de choques anafiláticos em crianças e mostram reações positivas para SPTs. O objetivo será discutir a influência de aditivos alimentares como geradores de alergias em crianças.


Keywords


Imunologia, hipersensibilidade, reação alérgica, aditivos químicos, conservadores de alimentos.

References


BAYLÃO, A. L. S., SCHETTINO, E. M. O. A Inserção Da Mulher no Mercado de Trabalho Brasileiro. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

CARRAPATOSO, I., PRATES S., COSTA C. Alergia Alimentar: Conceitos, Conselhos e Precauções. Brasil, Thermo Fischer, 2017. 1 Ed., p.103-111.

CATLI G., BOSTANCI I., OZMEN S., MISIRLIOGLU E. D., DUMAN H., ERTAN U. Is Patch Testing with Food Additives Useful in Children with Atopic Eczema? Pediatric Dermatology, v. 32, n. 5, p. 684-689, 2015.

DE MARTINO M., PERUZZI M., GALLI L., LEGA L., ZAMMARCHI E., VIERUCCI A. Food-additive intolerance and its correlation with atopy in children with recurrent or intermittent urticaria-angioedema. Pediatr. Allergy Immunol. n.3, p. 33-8, 1992.

EHLERS I., NIGGEMANN B., BINDER C., ZUBERBIER T., Role of nonallergic hypersensitivity reactions in children with chronic urticarial. Departaments of Dermatology and Pediatrics, Berlin, v. 53, p. 1074-1077, 1998.

EVANGELISTA, J. Tecnologia de alimentos. 2 ed. São Paulo: Atheneu, 2001. Cap. 10, p. 433-465.

GAVA, A. J. Princípios da Tecnologia de Alimentos. Brasil: Nobel, 1984. P 253- 270.

GAVA, A. J. Tecnologia de alimentos. 2 ed. Brasil: NOBEL, 2014. Cap. 5, p. 399-407.

IBA J. B., SPERS E. E. Publicidade infantil: uma análise do discurso. Revista Higiene Alimentar, vol 3., n 274-275, p. 32-33, 2017.

MINTZ, S. W. Comida e Antropologia: Uma Breve Revisão. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 2001, vol.16, n.47, p. 31-42.

MOGHTADERI, M., HEJRATI, Z., DEHGHANI, Z., DEHGHANI, F., KOLAHI, N. Sensitization to Food Additives in Patients with Allergy: A Study Based on Skin Test and Open Oral Challenge. Tehran University of Medical Sciences, Iran, v. 15, n. 3, p. 198-203, 2016.

MONTAÑO-GRACIA M. L., OREA-SOLANO M. Estudio de la frecuencia de urticaria y angioedema inducidos por aditivos de alimentos. Alergia Méx. 1989. 36, 15-8.

NAOKO, I., HIROYUKI, O., HIROYUKI, F., TORU, O., ZENRO, I. Multiple chemical sensitivities following intolerance to azo dye I sweets in a 5 year-old kid. Allergol Int. 2006. P. 203-205.

NORO G. B., SOARES C. L., DENARDIN E. S., ABBADE E., MATTANA L. A influência do consumidor infantil na decisão de compra familiar. Congresso Internacional de Administração, 2008, Ponta Grossa, PR.

PARK H-W., PARK C-H., PARK S-H., PARK J. Y., PARK H. S., YANG H. J., AHN K-M., KIM K-H., OH J.W., KIM K-E., PYUN B-Y., LEE H-B., MIN K-U. Dermatologic adverse reactions to 7 common food additives in patients with allergic diseases: A double-blind, placebo-controlled study. The Journal of Allergy and Clinical Immunology. 2008, v. 121, p 1059-1061.

POLÔNIO, M. L. T., PERES F. Consumo de aditivos alimentares e efeitos à saúde: desafios para a saúde pública brasileira. Caderno da Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.25, n. 8, p. 1653-1666, 2009.

PROBST, E. R. A Evolução da Mulher no Mercado de Trabalho. 2005. 8 f. Pós-graduação, Instituto Catarinense de Pós-Graduação- ICPG, Santa Catarina, 2005.

RATTNER, H. Aspectos econômicos e tecnológicos da indústria de alimentos brasileira. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 18, n. 3, 1978.

ROMEIRO S., DELGADO M. Aditivos Alimentares: conceitos básicos, Legislação e Controvérsias. Revista Nutrícias. N. 18, 2013.

SANTOS, C. R. A. A comida como lugar de história: as dimensões do gosto. História: Questões e Debates, Curitiba, Editora UFPR, N.54, p. 103-124, 2011.

SILVA, M. C., VETORRETTI, N. A. R., FERNANDES, M. T. M. Mudanças no hábito alimentar: O fenômeno da Mcdonaldização. XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica. 2011, Universidade do Vale da Paraíba.

TURNER P. J., KEMP A. S. Intolerance to food additives – does it exist?. Journal of Pediatrics and Child Health, v. 48, n.2, p. E10-E14, 2010.

VASCONCELLOS A. B., GOULART D., GENTIL P. C., OLIVEIRA T. P. A saúde pública e a regulamentação da publicidade de alimentos. . Acesso em: 20 de setembro 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-243

Refbacks

  • There are currently no refbacks.