Indicadores do desempenho cognitivo e da independência para atividades diárias de idosos institucionalizados: caso do vale do contestado, Santa Catarina, Brasil / Indicators of cognitive performance and independence for daily activities of institutionalized elderly: case of vale do contestado, Santa Catarina, Brazil

Iury de Almeida Accordi, Andréia Ambrósio Accordi

Abstract


Analisou-se a situação em que vivem idosos residentes em instituições de longa permanência da região do Vale do Contestado (SC) em relação às suas capacidades cognitivas e graus de independência para realização das atividades da vida diária. Parte considerável da população amostrada apresentou um quadro de deficiência cognitiva e a maioria apresentou perdas funcionais e baixíssimo grau de independência para realização das atividades instrumentais da vida diária.

 

 


Keywords


Saúde do Idoso Institucionalizado, Instituição de Longa Permanência para Idosos, Testes de Estado Mental e Demência.

References


AGNER, V. F. C., GOMES, A. R. S., PAZ, L. P.; CORREA, C. L. Identificação do perfil físico-funcional de idosos de uma instituição de longa permanência. Revista Pesquisa em Fisioterapia, v. 3, n. 2, p. 152-167, 2013. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/viewFile/159/234. Acesso em: Recuperado em 5 mai. 2019.

AIRES, M., PAZ, M. A.; PEROSA, C. T. Situação de saúde e grau de dependência de pessoas idosas institucionalizadas. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 30, n. 3, p. 492-499, 2009. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/8239/6996. Acesso em: 28 jul. 2018.

ALVES-SILVA, J. D., SCORSOLINI-COMIN, F.; SANTOS, M. A. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicologia: reflexão e crítica, v. 26, n. 4, p. 820-830, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722013000400023. Acesso em: 1 ago. 2019.

ANVISA. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC Nº 283, de 26 de setembro de 2005. Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária.Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2718376/RDC_283_2005_COMP.pdf/a38f2055-c23a-4eca-94ed-76fa43acb1df. Acesso em: 21 mai. 2019.

ARAÚJO, M. O. P. H. DE; CEOLIM, M. F. Avaliação do grau de independência de idosos residentes em instituições de longa permanência. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 41, n. 3, p. 378-385, 2007.Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342007000300006. Acesso em: 1 ago. 2019.

ARAÚJO, C. L. DE O.; CEOLIM, M. F.. Qualidade de sono de idosos residentes em instituição de longa permanência. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 3, p. 619-626, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300010. Acesso em: 1 ago. 2019.

ASSIS, L. DE O. Propriedades psicométricas do Questionário de Atividades de Vida Diária de Pfeffer. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 2014. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUBD-9VNG4Q. Acesso em: 6 mai. 2019.

ASSIS, L. DE O., ASSIS, M. G., PAULA, J. J. DE; MALLOY-DINIZ, L. F. O questionário de atividades funcionais de Pfeffer: revisão integrativa da literatura brasileira. Estudos interdisciplinares do Envelhecimento, v. 20, n. 1, p. 297-324, 2015. Disponível em:: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/50189/34935. Acesso em: 7 mai. 2019.

BERTOLUCCI, P. H., BRUCKI, S. M., CAMPACCI, S. R.; JULIANO, Y. O Mini-Exame do Estado Mental em uma população geral: impacto da escolaridade. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, v. 52, n. 1, p. 1 -7, 1994. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anp/v52n1/01.pdf. Acesso em: 1 mai. 2019.

BORGES, L. J., BENEDETTI, T. R. B.; MAZO, G. Z. Rastreamento cognitivo e sintomas depressivos em idosos iniciantes em programa de exercício físico. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 56, n. 4, p. 273-279, 2007.Disponível em: : http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852007000400006. Acesso em 1 ago. 2019.

BRUCKI, S. M. D., NITRINI, R., CARAMELLI, P., BERTOLUCCI, P. H. F.; OKAMOTO, I. H. (2003). Sugestões para o uso do Mini-Exame do Estado Mental no Brasil. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, v. 61, n. 3, p. 777-781. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000500014. Acesso em 1 agosto, 2019.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S.; LEITÃO E MELLO, J.; CARVALHO, D. F. As instituições de longa permanência no Brasil. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de janeiro: IPEA, 2010.

CARNEIRO, R. S., FALCONE, E., CLARK, C., DEL PRETTE, Z.; DEL PETTRE, A. Qualidade de vida, apoio social e depressão em idosos: relação com habilidades sociais. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 2, p. 229-237, 2007.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v20n2/a08v20n2.pdf. Acesso em 23 mai. 2019.

DINIZ, B. S. DE O. Envelhecimento cognitivo. In: SANTOS, F. S., SILVA, T. B. L. DA, ALMEIDA, E. B. DE; OLIVEIRA, E. M. DE (Eds.). Estimulação cognitiva para idosos: ênfase em memória (2. Ed.). Rio de Janeiro: Ed. Atheneu, 2018.

DUARTE, Y. A DE O., NUNES, D. P., CORONA, L. P.; LEBRÃO, M. L. Como estão sendo cuidados os idosos frágeis de São Paulo? A visão mostrada pelo estudo SABE (Saúde, Bem-estar e envelhecimento). In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de janeiro: IPEA, 2010.

GRAEFF, L. Instituições totais e a questão asilar: uma abordagem compreensiva. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v. 11, p. 9-27, 2007.Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/4810. Acesso em: 5 jul. 2019.

HERRERA, E., JR., CARAMELLI, P., SILVEIRA, A. S. B.; NITRINI, R. Epidemiologic survey of dementia in a Community-dwelling Brazilian population. Alzheimer Disease and Associated Disorders, v. 16, n. 2, p. 103–108, 2002.

LACERDA, T. T. B. DE L., HORTA., N. DE C., SOUZA, M. C. M. R. DE, OLIVEIRA, T. R. P. R. DE, MARCELINO, K. G. S.; FERREIRA, Q. N. Caracterização das instituições de longa permanência para idosos da região metropolitana de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 6, n. 20, p. 743-754, 2017.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v20n6/pt_1809-9823-rbgg-20-06-00743.pdf. Acesso em: 1 ago. 2019.

LAKS, J, BATISTA, E. M. R., GUILHERME, E. R. L., CONTINO, A. L. B., FARIA, M. E. V., FIGUEIRA, I.; ENGELHARDT, E. O mini exame do estado mental em idosos de uma comunidade. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 61, n. 3, p. 782-785, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anp/v61n3B/17295.pdf. Acesso em: 1 ago. 2019.

LEITE, B. F. T., SALVADOR, D. H. Y.; ARAÚJO, C. L. DE O. Avaliação cognitiva dos idosos institucionalizados. Revista Kairós, v. 12, n. 1, p. 247-256, 2009. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/viewFile/2790/1825. Acesso em: 1 agosto, 2019

LENARDT, M. H., MICHEL, T., WACHHOLZ, P. A., BORGHI, A. DA S.; SEIMA, M. D. O desempenho de idosas institucionalizadas no miniexame do estado mental. Acta Paulista de Enfermagem, v. 22, n. 5, p. 638-644, 2009.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v22n5/07.pdf. Acesso em: 30 jul. 2019.

MACHADO, J. C., RIBEIRO, R. DE C. L., LEAL, P. F. DA G.; COTTA, R. M. M. Avaliação do declínio cognitivo e sua relação com as características socioeconômicas dos idosos em Viçosa-MG. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 10, n. 4, p. 592-605, 2007., Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v10n4/16.pdf. Acesso em: 30 jul. 2019.

NUNES, V. M. A., MENEZES, R. M. P.; ALCHIERI, J. C. Avaliação da qualidade de vida em idosos institucionalizados no município de Natal, Estado do Rio Grande do Norte. Acta Scientiarum, Health Sciences, v. 32, n. 2, p. 119-126, 2010.

PEREIRA, N. M. R.; SOARES, E. Percepção da qualidade de vida e psicomotricidade de idosos institucionalizados em diferentes contextos. Percepção da Qualidade de vida e psicomotricidade de idosos institucionalizados em diferentes contextos. Revista Kairós-Gerontologia, v. 22, n. 1, p. 307-328, 2019. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/44630/29620. Acesso em: 9 mai. 2020.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. Protocolo Qualidade em Instituições de Longa Permanência para Idosos no Município de Curitiba. 3. ed. Curitiba: Fundação de Ação Social e Secretaria Municipal da Saúde, 2014.Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHealthSci/article/view/8479. Acesso em: 5 mai. 2019.

RAMOS, M. P. Apoio social e saúde entre idosos. Sociologias, v. 4, n. 7, p. 156-175, 2002.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/n7/a07n7.pdf. Acesso em 31 jul. 2019.

REIS, L. A. M., MESQUITA, C. R., PEIXOTO, M. C. DA S., VIÉGAS, S. M. S.; MORAES, C. B. B. DE. Análise do grau de autonomia de residentes em uma Instituição de Longa Permanência. Revista Kairós-Gerontologia, v. 20, Número Especial 23, “Diversidades e Velhices”, p. 191-204, 2017.Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/47305/31555. Acesso em: 9 mai. 2020.

SANCHEZ, M. A. DOS S., CORREA, P. C. R.; LOURENÇO, R. A. Cross-cultural adaptation of the “Functional Activities Questionnaire – FAQ” for use in Brazil. Dement Neuropsychology, v. 5, n. 4, p. 322-327, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-57642011DN05040010.. Acesso em: 9 mai. 2020.

SANTOS, L. G. C. DOS; SILVA, S. R. A.; CARVALHO, J. C.; LIMA, M de F. G.; SILVA, N. A. e; SILVA, M. C. M. da; SANTOS, N. M. M. dos. Efeitos da associação entre atividade física e suplementação de proteína na capacidade funcional de idosos: uma revisão. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 2, p. 3609-3621, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/9154/7758. Acesso em: 4 ago. 2020.

SILVA, H. S. DA; SILVA, T. B. L. DA. Saúde cognitiva e promoção do envelhecimento cognitivo bem-sucedido. In: SANTOS, F. S., SILVA, T. B. L. DA, ALMEIDA, E. B. DE; OLIVEIRA, E. M. DE (Eds.). Estimulação cognitiva para idosos: ênfase em memória. 2. Ed. Rio de Janeiro: Ed. Atheneu, 2018.

SOUSA, L., GALANTE, H. FIGUEIRDO, D. Qualidade de vida e bem-estar dos idosos: um estudo exploratório na população portuguesa. Revista de Saúde Pública, v. 37, n. 3, p. 364-371, 2003.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v37n3/15866.pdf. Acesso em: 1 ago. 2019.

TORQUETI, A. X.; SOARES, E. Declínio cognitivo, depressão e fragilidade em idosos: incidência e relações. Revista Kairós-Gerontologia, v. 21, n. 4, p. 109-128, 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/44638/29644. Acesso em: 9 mai. 2020.

TRENTINI, C. M., CHACHAMOVICH, E., FIGUEIREDO, M., HIRAKATA, V. N.; FLECK, M. P. DE A. A percepção de qualidade de vida do idoso avaliada por si próprio e pelo cuidador. Estudos de Psicologia, v. 11, n. 2, p. 191-197, 2006.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v11n2/a08v11n2.pdf. Acesso em: 31 jul. 2019.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-236

Refbacks

  • There are currently no refbacks.