Análise dos casos de HIV registrados no cenário brasileiro / Analysis of HIV cases registered in the brazilian scenario

Aleixa Nogueira de Freitas, Bruna Gabrielle Rego Pereira, Carlos Eduardo Branches de Mesquita, Danilo da Silva Patrício, Layze Carvalho Borges, Marissol Rabelo de Almeida, William Rafael de Farias Silva, Nádia Vicência do Nascimento Martins

Abstract


INTRODUÇÃO: A infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) persiste sendo um grave problema de Saúde Pública em todo o mundo. De acordo com dados do Programa Conjunto das Nações Unidas (UNAIDS), em 2018, havia quase 38 milhões de pessoas vivendo com o HIV no mundo, resultando em 770 mil mortes. Nesse contexto, a caracterização da população mais afetada é fundamental para o direcionamento de políticas públicas de controle, bem como para o conhecimento do panorama nacional. OBJETIVO: Analisar os dados dos casos de HIV notificados segundo sexo, faixa etária, escolaridade, raça/cor e tipo de exposição no Brasil e comparar as taxas de detecção de infecção e coeficiente de mortalidade entre as regiões brasileiras. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa de caráter transversal retrospectivo e de levantamento estatístico com abordagem quantitativa. A pesquisa analisou os dados de HIV obtidos nos boletins epidemiológicos disponibilizados pelo Ministério da Saúde no período de 2015 a 2018. RESULTADOS: Durante os anos de 2015 a 2018 foram registrados 168.195 casos de HIV, sendo 120.034 (71,36%) no sexo masculino, 48.129 (28,61%) no sexo feminino, sendo a faixa etária de 20 a 29 anos (37,76%) a mais acometida. Quanto a escolaridade a maior prevalência foi registrada para o ensino médio completo (14,6%) seguido de ensino médio incompleto (14,23%). Em relação a raça/cor, 42,22% se autodeclararam pardos e 37,91% brancos. O tipo de exposição mais prevalente em homens com 13 anos de idade ou mais foi a sexual, sendo a orientação sexual de maior registro a homossexual com 45,30%, seguida da heterossexual com 30,43%. Entre as mulheres, a exposição sexual destaca-se como mais prevalente, sendo a heterossexual com 86,35% dos casos. As taxas de detecção nas regiões Sul e Sudeste apresentam tendência de queda, enquanto a região Norte apresentou tendência de crescimento. O coeficiente de mortalidade por causa básica HIV em âmbito nacional diminuiu de 5,3 para 4,4 mortes por 100 mil habitantes entre 2015 e 2018, respectivamente. As regiões brasileiras ganham destaque por registro abaixo do índice, com exceção da região norte e sul que, apesar de diminuir o coeficiente em relação a 2015, continuam acima do coeficiente nacional. CONCLUSÃO: O aumento da taxa de detecção nas regiões Norte e Nordeste pode estar correlacionado com a melhora das políticas públicas de combate ao HIV nas áreas mais remotas do país. No entanto, o crescimento da taxa de mortalidade por causa básica HIV nesses lugares pode significar uma carência no que tange o acompanhamento destes pacientes, para evitar a não adesão ao tratamento e consequentemente o aumento no número de mortes, em contrapartida esta razão pode ser justificada pela notificação dos óbitos ocorridos de forma mais eficaz e monitorada, assim, vale destacar a importância da vigilância epidemiológica dos casos de HIV destacado neste e em estudos futuros voltado para esta temática.


Keywords


HIV, Saúde Coletiva, Vulnerabilidade.

References


ALVES, Gabriel. Pesquisa mapeia o comportamento sexual de gays e bissexuais no Brasil. Jornal Folha de São Paulo. São Paulo, 19 set. 2017 Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2017/09/1919677-pesquisa-mapeia-o-comportamento-sexual-de-gays-e-bissexuais.shtml. Acesso em: 20 jul. 2020.

BERTONCINI, Bruna Z.; MORAES, Karla S.; KULKAMP, Irene C. Comportamento sexual em adultos maiores de 50 anos infectados pelo HIV. DST J Bras Doenças Sex Transm, v. 19, n. 2, p. 75-79, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Boletim Epidemiológico. Número Especial. Brasília, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Guia para certificação da eliminação da transmissão vertical do HIV. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos. 1ª edição. Brasília, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Protocolo para a prevenção de transmissão vertical de HIV e sífilis: manual de bolso. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

CAMPOS, Aparecida do Carmo Miranda; CAMILO, Maria Virginia Righetti Fernandes; CORRÊA, Márcia Cristina Gimenez; LIMA, Camila Ávila de; RIBEIRO, Eliane. AOKI, Francisco Hideo. Desigualdade de acesso entre diferentes etnias de pacientes com HIV/Aids tratados no HC Unicamp. Revista Serviço Social & Saúde. UNICAMP Campinas, v. X, n. 11, jul. 2011.

CAMPOS, Cézar Gustavo Araujo Pacheco de; ESTIMA, Sonara Lucio; LAZZAROTTO, Alexandre Ramos. A vulnerabilidade ao HIV em adolescentes: estudo retrospectivo em um centro de testagem e aconselhamento. Revista Mineira de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 310-319, 2014.

CARDOSO, Luciana Roberta Donola; MALBERGIER, André; FIGUEIREDO, Tathiana Fernandes Biscuola. O consumo de álcool como fator de risco para a transmissão das DSTs/HIV/Aids. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), v. 35, p. 70-75, 2008.

FERREIRA, Ivanir. Perfil sexual dos brasileiros revela diferenças entre homens e mulheres. Jornal da USP. São Paulo, 24 jun. 2016. Disponível em: http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/perfil-sexual-dos-brasileiros-revela-diferencas-entre-homens-e-mulheres/. Acesso em: Acesso em: 20 jul. 2020.

GARNELO, Luiza; LIMA, Juliana Gagno; ROCHA, Esron Soares Carvalho; HERKRATH, Fernando José. Acesso e cobertura da Atenção Primária à Saúde para populações rurais e urbanas na região norte do Brasil. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 42, n. spe1, p. 81-99, set. 2018.

GRECO, Marília; SILVA, Ana P.; MERCHÁN-HAMANN, Edgar; JERONYMO, Mauro L.; ANDRADE, Julio C.; GRECO, Dirceu B. Diferenças nas situações de risco para HIV de homens bissexuais em suas relações com homens e mulheres. Revista de Saúde Pública, v. 41, p. 109-117, 2007.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2012-2019. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18319-cor-ou-raca.html. Acesso em 19 de jul. 2020.

LAURENTINO, Norma R. Salini; BARBOZA, Daiana; CHAVES, Graziane; BESUTTI, Jovania; BERVIAN, Sandra Aline; PORTELLA, Marilena Rodrigues. Namoro na terceira idade e o processo de ser saudável na velhice: recorte ilustrativo de um grupo de mulheres. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 3, n. 1, 2006.

LENZI, Luana; TONIN, Fernanda Stumpf; SOUZA, Vanessa Rodrigues de; PONTAROLO, Roberto. Suporte Social e HIV: Relações entre características clínicas, sociodemográficas e adesão ao tratamento. Psic: Teor. E Pesq, 2018. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/0102.3772e34422.

LIGNANI JÚNIOR, Luiz; GRECO, Dirceu Bartolomeu; CARNEIRO, Mariangela. Avaliação da aderência aos anti-retrovirais em pacientes com infecção pelo HIV/Aids. Revista de Saúde Pública, v. 35, p. 495-501, 2001.

OLIVEIRA, Francisco Braz Milanez; QUEIROZ, Artur Acelino Francisco Luz Nunes; SOUSA, Álvaro Francisco Lopes de; MOURA, Maria Eliete Batista; REIS, Renata Karina. Orientação sexual e qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/aids. Rev. Bras. Enferm., Brasília , v. 70, n. 5, p. 1004-1010, out. 2017.

PAIVA, Vera; BUGAMELLI, Laura; LEME, Betina; VENTURA-FILIPE, Elvira; TUNALA, Letícia; SANTOS, Naila. A vulnerabilidade das mulheres ao HIV é maior por causa dos condicionantes de gênero. Cuadernos Mujer Salud, v. 3, p. 34-8, 1998.

PAULA, Adelzon Assis de; PIRES, Denise Franqueira; ALVES FILHO, Pedro; LEMOS, Katia Regina Valente de; VELOSO, Valdiléa Gonçalves; GRINSZTEJN, Beatriz; PACHECO, Antonio Guilherme. Perfis de mortalidade em pessoas vivendo com HIV/aids: comparação entre o Rio de Janeiro e as demais unidades da federação entre 1999 e 2015. Rev. bras. epidemiol., Rio de Janeiro, v. 23, 2020.

PEREIRA, Thalita Galeno Pereira; ARAÚJO, Ludgleydson Fernandes; NEGREIROS, Fauston; NETO, Raimundo Sousa Barros. Análise do comportamento sexual de risco à infecção pelo hiv em adultos da população em geral. Psico, v. 47, n. 4, p. 249-258. Porto Alegre, 2016. DOI: https://doi.org/10.15448/1980-8623.2016.4.23703.¬

PEREIRA, Gisella Souza; BORGES, Claudia Isecké. Conhecimento sobre HIV/AIDS de participantes de um grupo de idosos, em Anápolis-Goiás. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 14, n. 4, p. 720-725, 2010.

UNAIDS. Relatório informativo- Atualização Global da AIDS 2019. Disponível em: https://unaids.org.br/wp-content/uploads/2019/07/2019_UNAIDS_GR2019_FactSheet_pt_final.pdf. Acesso em: 22 de setembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-233

Refbacks

  • There are currently no refbacks.