Gincana da saúde como estratégia de educação em saúde para escolares na cidade Marabá, Pará / Health education strategy for schoolchildren in Marabá city, Pará

Andressa Delmira Jennings da Costa, Maria Eduarda Rocha Furtado, Alessandra Leite Miranda, Ana Cristina Viana Campos, Priscila da Silva Castro

Abstract


O curso de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará por meio de um programa de extensão em parceria com o Programa Saúde na Escola, idealizou e executou uma Gincana da Saúde com o intuito de envolver e motivar os alunos para a prática de hábitos saudáveis. A atividade realizada no final de julho de 2018, em uma escola municipal de Marabá, estado do Pará, envolveu alunos do 3° ao 5° ano do ensino fundamental. A escolha dos temas considerou a demanda do Município dentre aqueles previstos pelo Programa Saúde na Escola. As turmas foram divididas em equipes por cores e cada uma trabalhou um tema diferente com jogos lúdicos. Os acadêmicos de Saúde Coletiva foram responsáveis pelo planejamento, organização e execução das ações, incluindo a preparação das provas da gincana e adequação à faixa etária das crianças. Os professores da escola foram incluídos no processo de construção da gincana revisando em sala de aula os temas trabalhados com as ações do curso de Saúde Coletiva no Programa Saúde na Escola desenvolvidas no semestre anterior. Os alunos se identificaram com as atividades propostas, sendo perceptível a satisfação frente à estratégia utilizada que tinha como uma das finalidades o desenvolvimento da habilidade de trabalhar em equipe. Ficou claro que as crianças haviam estudado e estavam comprometidas com as atividades da gincana, conseguindo assimilar os conteúdos trabalhados. A utilização da Gincana da Saúde possibilitou aos alunos e professores da escola trabalhar questões sobre a saúde por outra perspectiva. O aprendizado baseado em jogos motivou os alunos, integrou as diferentes turmas e auxiliou no entendimento de conceitos como cidadania, promoção à saúde e qualidade de vida.


Keywords


Educação em Saúde, Saúde da Criança, Saúde Coletiva, Relações Comunidade-Instituição

References


BRASIL EGM, SILVA RM, SILVA MRF, RODRIGUES DP, QUEIROZ MVO. Adolescent health promotion and the School Health Program: complexity in the articulation of health and education. Rev Esc Enferm USP. 2017; 51:e03276. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2016039303276

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília, DF, 1998. 436p.

BRASIL. Ministério da Saúde; Ministério da Educação. Passo a Passo PSE: Programa de Saúde na Escola [Internet]. Brasília: MS; 2011 Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/legislacao/passo_a_passo_pse.pdf Acessado em: 25/junho/2020

CARVALHO FFB. A saúde vai à escola: a promoção da saúde em práticas pedagógicas. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 4, p. 1207-1227, 2015.

COSTA, A.M.; PONTES, A.C.R; ROCHA, D.G. Intersetorialidade na produção e promoção da saúde. In: CASTRO, A; MALO, M. (Orgs.). SUS: ressignificando a promoção da saúde. São Paulo: Hucitec, p. 96-115, 2006.

DUARTE, Adriana. Práticas educativas em saúde no ambiente escolar: Uma proposta de intervenção. 2015. p.1-31. Monografia (Especialização) – UFTM, Uberaba-MG, 2015.

FADEL, CB; ALVES, FBT; FILLUS, TM. Gincana intelectual: instrumento de ação extensionista para educação em saúde. Em Extensão, Uberlândia, v. 14, n. 1, p. 106-115, jan. / jun. 2015.

FERNANDES, M. H.; ROCHA, V. M.; SOUZA, D. B. A concepção sobre saúde do escolar entre professores do ensino fundamental (1ª a 4ª séries). História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 283-291, mai./ago., 2005.

GOSSENHEIMER, Agnes et al. Estudo comparativo da metodologia ativa “gincana” nas modalidades presencial e à distância em curso de graduação de Farmácia, ABCS Health Sciences. v. 40, n.3, p.234-240, 2015.

JUNQUEIRA, L. A. P. A gestão intersetorial das políticas sociais e o terceiro setor. Saúde e Sociedade. São Paulo, v. 13, n. 1, p. 25-36, jan./abr. 2004.

MACHADO, Maria et al. Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS - uma revisão conceitual. Ciência e Saúde Coletiva, v. 12, n. 2, p. 335-342, mar./abr. 2007.

RIBEIRO, KSQS. A experiência na extensão popular e a formação acadêmica em fisioterapia. Caderno CEDES, Campinas, v. 29, n. 79, p. 335-346, set./dez. 2009.

SCHALL, Virgínia. STRUCHINER, Miriam. Educação em saúde: novas perspectivas. Cad. Saúde Pública v.15, supl.2, p. 1-3, 1999.

SICARI, AA; PINTO, PC; SILVA, LS; PEREIRA, ER. Psicologia e educação popular: uma estratégia de promoção da saúde. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 13, n. 1, p. 135-146, jan./jun., 2014.

TAVARES MFL, ROCHA RM. Promoção da Saúde e a Prática de Atividade Física em Escolas de Manguinhos – Rio de Janeiro. BRASIL. Ministério da Saúde. Escolas promotoras de saúde: experiências do Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde, 2006. 272p. (Série Promoção da Saúde, n. 6).

WIMMER, G. F.; FIGUEIREDO, G. O. Ação coletiva para qualidade de vida: autonomia, transdisciplinaridade e intersetorialidade. Ciência e Saúde Coletiva, v. 11, n.1, p. 145-154, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-229

Refbacks

  • There are currently no refbacks.