Aspectos epidemiológicos e clínicos dos pacientes atendidos num serviço de referência em IST/Epidemiological and clinical aspects of patients seen at an IST reference service

Évila Souza Dourado, Ana Thays Gomes Pimenta, Mariana Moreira de Oliveira Fama, Larissa Negromonte Azevedo

Abstract


Introdução: As Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) são um problema de saúde pública que acometem principalmente adultos jovens e podem causar impacto negativo na saúde reprodutiva do indivíduo acometido. Objetivo: Descrever os aspectos clínicos e epidemiológicos dos pacientes atendidos em um serviço de referência em ISTs no município de João Pessoa, considerando a abordagem sindrômica e a verificação diagnóstica de HIV, hepatites B e C associadas a outras ISTs. Método: Estudo observacional, descritivo e transversal, com coleta de dados em prontuários dos pacientes atendidos em um serviço de referência em ISTs de João Pessoa no ano de 2017. Para um estudo com poder de 95% e nível de significância de 5%, a amostra do estudo deverá ser de 322 prontuários, sorteados aleatoriamente, sendo excluídos os prontuários de gestantes e demais pacientes atendidos para acompanhamento da infecção pelo HIV. Para execução do estudo será obtido o termo de anuência do serviço e será respeitado o sigilo sobre as informações obtidas, de acordo com a resolução 446/2012 do CNS/MS. Resultados Esperados: esperamos encontrar uma prevalência aumentada de ISTs em adultos jovens do sexo masculino e as seguintes manifestações clínicas mais esperadas: verrugas pelo HPV, uretrite e úlceras genitais.  


Keywords


IST, Prevalência, Perfil epidemiológico

References


ALIX, Maria Leite Araújo et al. Doenças sexualmente transmissíveis atendidas em unidade primária de saúde no Nordeste do Brasil. Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, p. 347-353, dez.2015. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

Bazzo, M. L., Golfetto, L., Gaspar, P. C., Pires, A. F., Ramos, M. C., Franchini, M. (2018). First nationwide antimicrobial susceptibility surveillance for Neisseria gonorrhoeae in Brazil, 2015–16. Journal of Antimicrobial Chemotherapy, 73(7), 1854–1861. doi:10.1093/jac/dky090. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2019

BRASIL, Ministério da Saúde. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) 2015. Brasília; 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

BURLAMAQUI, João Cesar Frizzo et al. Human Papillomavirus and students in Brazil: an assessment of knowledge of a common infection --- preliminary report. Brazilian Journal of OTORHINOLARYNGOLOGY, [S.l.], 02 fev. 2018. Elsevier, p. 6. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2018.

Blanck, Susan et al. Neisseria gonorrhoeae — Rising Infection Rates, Dwindling Treatment Options. 8 nov, 2018. The New England Journal of Medicine. Disponível em: . Acesso em: Fev. 2019.

BRITTO, Alan Messala A. et al . Detection of sexually transmitted infections at a Brazilian gynecology center: high prevalence of co-infections. J. Bras. Patol. Med. Lab., Rio de Janeiro, v. 54, n. 6, p. 393-400, Dec. 2018 . Disponível em: . Acesso em: 30 Mar 2019. http://dx.doi.org/10.5935/1676-2444.20180060

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento deVigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do

HIV/Aids e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento deVigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do

HIV/Aids e das Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite B e Coinfecções. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C e Coinfecções. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

CDC- Centers for Disease Control and Prevention. Sexually Transmitted Disease Surveillance 2017. 2017. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2018

SIRACUSANO, Salvatore; SILVESTRI, Tommaso; CASOTTO, Daniela. Sexually Transmitted Diseases: Epidemiological and Clinical Aspects in Adults. Urologia Journal, [S.l.], 14 nov. 2014. SAGE journals, p. 10. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

UNEMO, Magnus; SHAFER William M. Antimicrobial resistance in Neisseria gonorrhoeae in the 21st century: past, evolution, and future. Clinical microbiology reviews vol. 27 (3).2014. p. 587-613.Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4135894/>. Acesso em: 8 ago.2018

World Health Organization. Global health sector strategy on sexually transmitted infections 2016-2021.2016.64p.Disponívelem:.Acesso em:10 ago.2018

World Health Organization. Report on global sexually transmitted infection surveillance. 2015.62p.Disponívelem:. Acesso em:22 ago.2018




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-194

Refbacks

  • There are currently no refbacks.