Ensinando os conteúdos da educação física na perspectiva das atividades adaptadas: Compartilhando a experiência durante intercâmbio em Portugal / Teaching the contents of physical education from the perspective of adapted activities: Sharing na experience during exchange in Portugal

Amanda Santana de Souza, Aiana Carvalho Carneiro, Suzana Alves Nogueira Souza, Denize Pereira de Azevedo, Marroney de Santana Nery, Raquel Campos de Jesus Sampaio, Luana Pires Geraldes, Ivanilton Carneiro Oliveira

Abstract


Atualmente tem-se percebido grandes dificuldades no ensino da Educação Física de maneira inclusiva, devido ao fato de muitas vezes pela justificativa da falta de contato e discussão do assunto no período de formação inicial nega-se o ensino nesta perspectiva. Deste modo, este estudo apresenta o relato de aulas vivenciadas por acadêmicos que obtiveram contato com algumas estratégias um tanto diferente de se trabalhar a Educação Física para pessoas com deficiência. O estudo apresenta como objetivo relatar as estratégias que foram utilizadas para ensino inclusivo nas aulas de Educação Física, a partir do modelo CRIE, de Campos (2018). As estratégias mencionadas foram observadas, vivenciadas e analisadas durante o período de intercâmbio em uma universidade de Portugal, na disciplina denominada de Ensino Integrado da Educação Física, através da utilização do diário de bordo como parte dos métodos. Percebe-se que as aulas dos conteúdos da Educação Física Adaptada quando planejadas, aplicadas e vivenciadas pelos próprios alunos da disciplina obtiveram um resultado muito mais significativo na aprendizagem dos acadêmicos. Assim, pensa-se que relatando os benefícios do trabalho com a prática do planejamento na perspectiva inclusiva na universidade, pode-se contribuir para a formação dos acadêmicos para o ensino inclusivo.

 

 


Keywords


Formação Inicial, Pessoa com Deficiência, Inclusão, Educação Física Adaptada, Estratégias de Ensino.

References


ALMEIDA, Marina da Silveira Rodrigues. Caminhos para a inclusão humana: valorizar a pessoa, construir o sucesso educativo. 2005.

CAMPOS, Maria João. Modelo de Inclusão em Atividade Físicas e Desportivas. 2018. No prelo.

DECLARAÇÃO de Salamanca e enquadramento da ação na área das necessidades educativas especiais. Salamanca/Espanha: Unesco, 1994.

DINIZ, Debora. O que é deficiência. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 2007. 80 p.

EDLER CARVALHO, Rosita. Educação Inclusiva: com os pingos nos “is”. 4. ed. Mediação: 2005.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 197 p.

MAFFEI, Willer Soares; VERARDI, Carlos Eduardo Lopes; PESSÔA FILHO, Dalton Müller. Formação inicial do professor de Educação Física: produções acadêmicas entre 2005–2014. Motrivivência, v. 28, n. 49, p. 146-163, 2016.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva contextos sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

PIMENTA, Selma G.; GHEDIN, Evandro (orgs). Professor reflexivo no Brasil: A gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

PIMENTEL, Ana Gabriela Lopes; FERNANDES, Fernanda Dreux Miranda. A perspectiva de professores quanto ao trabalho com crianças com autismo. Audiology-Communication Research, v. 19, n. 2, p. 171-178, 2014.

SOUZA, Jessica Rezende; DE ASSIS, Renata Machado. Alunos autistas nas aulas de educação física: limites e possibilidades do trabalho cotidiano. Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino (EDIPE) do Centro de Estudos e Pesquisas em Didática (CEPED), v. 6, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-151

Refbacks

  • There are currently no refbacks.