A relevância do módulo de habilidades médicas no primeiro período: relato de experiência / The relevance of the medical skills module in the first period: experience report

Lucas Luciano Rocha Silva, Gabriel Machado Moron de Andrade, Rodrigo Monico Cavedo, Bruno Oggioni Moura, Giovanna Pereira Spagnol, Leonardo França Vieira, Caio Duarte Neto, Simone Karla Apolonio Duarte

Abstract


Introdução: A ministração do módulo de Habilidades Médicas é de grande valor para o discente do primeiro período de medicina, pois o aproxima da prática médica em uma etapa em que os conhecimentos adquiridos são majoritariamente teóricos. De acordo com a ementa do módulo, as aulas visam dotar os alunos em conhecimentos e atitudes sobre a urgência e emergência, munindo-os de informações para lidar com diversas situações de risco num ambiente pré-hospitalar simulado. Objetivou-se elucidar os benefícios da disciplina para a formação médica no início da graduação, enfatizando a importância dos conhecimentos adquiridos na prática no ambiente de saúde. Método: Estudo de caso, de caráter descritivo, delineado como relato de experiência, baseado na percepção de estudantes do primeiro período do curso de Medicina. As aulas, integralmente práticas,  foram realizadas no Centro de Habilidades e Simulação cujos alunos eram instruídos em como proceder em circunstâncias emergenciais. Além disso, visitaram alguns componentes da Rede de Urgência, como Pronto Atendimentos, Unidades de Saúde e SAMU 192. Discussão: Os procedimentos assimilados são importantes para a formação acadêmica, uma vez que a ocorrência de situações de urgência e emergência é alta, e preveni-las tem importante impacto social e econômico. Ademais, o domínio prático e psicológico de como proceder em situações de risco torna-se decisivo na sobrevivência da vítima. Outrossim, o conhecimento do acadêmico em relação à infraestrutura e funcionamento de estabelecimentos públicos de saúde é essencial para inserção mais efetiva em seu meio. Conclusão: A capacitação discente para assistência em cenários de urgência e emergência, comuns ao cotidiano, é necessária desde o início da graduação, pois, possibilita aos alunos prevenir e conduzir situações de risco e propicia a introdução à realidade prática da profissão, tendo um papel importante na capacitação dos estudantes e inserção à comunidade.


Keywords


Educação Médica, Medicina de Emergência, Educação Baseada em Competências, Exercício de Simulação

References


AGUIAR, H.D.G., et al. O ensino da medicina de urgência no Brasil. Rev. Med. Minas Gerais 2011; 21(4 Supl 6): S1-S143.

BATISTA, N.A; BATISTA, S.H.S.S. A prática como eixo da aprendizagem na graduação médica. In PUCCINI, R.F.; SAMPAIO, L.O.; BATISTA, N.A. A formação médica na Unifesp: excelência e compromisso social [online]. São Paulo: Editora Unifesp, 2008.

BRASIL. Decreto nº 5.055, de 27 de abril de 2004. Institui o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, em Municípios e regiões do território nacional, e dá outras providências. Presidência da República - Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº1864, de 29 de setembro de 2003. Institui o componente pré-hospitalar móvel da Política Nacional de Atenção às Urgências, por intermédio da implantação de Serviços de Atendimento Móvel de Urgência em municípios e regiões de todo o território brasileiro: SAMU- 192. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 29 set. 2003.

FERNANDES, C.R. et al. Ensino de emergências na graduação com participação ativa do estudante. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro , v. 38, n. 2, p. 261-268, June 2014.

FLATO, U.A.P.; GUIMARÃES, H.P. Educação baseada em simulação em medicina de urgência e emergência: a arte imita a vida. Revista Brasileira de Clínica Médica 2011; 9(5):360- 364.

GOMES, R. et al. Aprendizagem Baseada em Problemas na formação médica e o currículo tradicional de Medicina: uma revisão bibliográfica. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro , v. 33, n. 3, p. 433-440, Sept. 2009.

MASOCATTO, N.O. et al. Percepção de Alunos de Curso de Graduação em Medicina sobre o Team-Based Learning (TBL). Rev. bras. educ. med., Brasília , v. 43, n. 3, p. 111-114, July 2019.

O’DWYER, G. et al. O processo de implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no Brasil: estratégias de ação e dimensões estruturais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 33, n. 7, e00043716, 2017.

OLIVEIRA, N.A; BATISTA, S.H.S.S. Ensino Médico no Brasil: desafios e prioridades, no contexto do SUS - um estudo a partir de seis estados brasileiros. Doutorado [Tese] - Instituto Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, 2007.

ROSA FILHO, A.M. et al. A Inserção de Acadêmicos de Medicina na Sala Vermelha e a Complementação ao Ensino de Urgência e Emergência: Relato de Experiência. Braz. J. Hea.Rev., Curitiba, v. 3, n.2, p.2396-2405 mar./apr. 2020.

SILVA JUNIOR, G.B. et al. Percepção dos pacientes sobre aulas praticas de medicina: uma outra ausculta. Revista Brasileira de Educação Médica. Rio de Janeiro, v. 38, n. 3, p. 381-387, set. 2014.

SORTE, Érica Manuela da Silva Boa et al. Análise da Percepção de Acadêmicos sobre o Ensino de Urgência e Emergência em Curso Médico. Rev. bras. educ. med., Brasília , v. 44, n. 3, e075, 2020 .




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-156

Refbacks

  • There are currently no refbacks.