Avaliação da prevalência e do perfil epidemiológico da doença de chagas aguda entre 2014 e 2017 no estado do Pará, Brasil / Evaluation of the prevalence and epidemiological profile of acute chagas disease between 2014 and 2017 in the state of Pará, Brazil

Felipe Augusto Casseb dos Santos, Ana Paula Cecília Braga, Isabella Siqueira Ferreira, Mariana da Ponte Souza Prado Arêde, Ana Leticia Figueira Diniz Baetas, Marcos Vinicius Amorim Silva, Leila Suely Aviz Lima

Abstract


Introdução: A Doença de Chagas é uma doença infecciosa, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi. Constitui um problema de saúde pública no Brasil. Em registros, no período entre 2008 a 2017, foram confirmados casos de Doença de Chagas aguda, em que 95% estão concentrados na região Norte, em que o estado do Pará é responsável por 83% dos casos. Por isso, a Doença de Chagas permanece relevante, sendo responsável por uma das quatro maiores causas de morte por doença infecciosa. Objetivos: Realizar um levantamento acerca da prevalência da Doença de Chagas no Pará, levando em conta modo de transmissão e os aspectos sazonais. Traçar o perfil epidemiológico do indivíduo infeccionado. Metodologia: Estudo epidemiológico, quantitativo e observacional de delineamento retrospectivo do tipo ecológico baseado nos dados disponíveis DATASUS, no tema Doença de Chagas Aguda, no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2017. Resultados: É possível analisar um acréscimo de 94% entre 2014 e 2016 e um decréscimo em 2017, com 67% dos casos ocorrendo no segundo semestre do ano. A transmissão via oral representa 81,5% dos casos notificados. Percebeu-se também que 90% dos acometidos não foram a óbito. Conclusão: Os resultados obtidos possibilitaram traçar o perfil epidemiológico do indivíduo chagásico. Sendo importante salientar a relação do período de safra do açaí com o número de casos, e com a maior forma de contaminação por via oral. Logo, é importante frisar a necessidade de prevenção ao agente, haja visto a dificuldade em diagnosticar os indivíduos afetados, os quais estão predominantemente assintomáticos.

 

 


Keywords


Doença de Chagas; Prevalência; Epidemiologia.

References


- DIAS, J.C.P; AMATO NETO, V. Prevenção referente às modalidades alternativas de transmissão do trypanosoma cruzi no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 44, n. 2, p. 68-72, 2011.

- Rassi A, Rassi Júnior A, Rassi GG. Fase aguda. In: Brener Z, Andrade Z, Barral-Netto M (orgs). Trypanosoma cruzi e Doença de Chagas. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2000. p.231-45.

- ALMEIDA, D.R. Transplante cardíaco no tratamento da miocardiopatia chagásica. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 30, n. 5, p. 425-427, 1997.

- DOENÇA de chagas. Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2019. Disponível em: . Acessado em 10/04/2019.

- DIAS, JCP; BRENER, S; WANDERLEY, RMV; ANTUNES, CMV; NASCIMENTO, RD; MORAES SOUZA, RDH. Inquérito nacional da prevalência de infecção chagásica em doadores de sangue. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. v. 24, n. 1, p 47, 1991.

- SCHMUNIS, GA. Trypanosoma cruzy, the etiologic agent of Chagas disease: status in the blood supplies an endemic end nondemic countries. Transfusion. v.31, n. 6, p.547-557, 1991.

- DIAS, J.C. The indeterminate form de human chronic Chagas disease: A clinical epidemiological review. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 22, n. 3, p. 147-156, 1989.

- FRANÇA, SB; ABREU, DMX. Morbidade Hospitalar por Doença de Chagas no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 29, n. 2, p. 201-218, 1996.

- Doença de chagas. Ministério da saúde, 2019. Disponível em: . Acessado em 11/04/2019.

- DIAS, J.C. II Consenso Brasileiro em Doença de Chagas, 2015. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 25 (spe.), 2016.

- World Health Organization. Sustaining the drive to overcome the global impact of neglected tropical diseases: second WHO report in neglected tropical diseases. Geneva: World Health Organization; 2013.

- World Health Organization. Chagas disease (American trypanosomiasis) [Internet]. Geneva: World Health Organization ; 2015 [citado 2015 Nov 13]. Disponível em: Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs340/en/

- Ramos Júnior AN, Carvalho DM. Chagas' disease: past, present and future. Cad Saude Colet. 2009;17(4):787-94.

- Coura JR, Viñas PA, Junqueira AC. Ecoepidemiology, short history and control of Chagas disease in the endemic countries and the new challenge for non-endemic countries. Mem Inst Oswaldo Cruz. 2014 Nov;109(7):856-62.

- Victora CG, Barreto ML, Carmo Leal M, Monteiro CA, Schmidt MI, Paim J, et al. Health conditions and health-policy innovations in Brazil: the way forward. Lancet. 2011 Jun;377(9782):2042-53.

- Martins-Melo FR, Ramos Júnior AN, Alencar CH, Heukelbach J. Prevalence of Chagas disease in Brazil: a systematic review and meta-analysis. Acta Trop. 2014 Feb;130:167-74.

- Parente FP, da Silva TR, Henriques RM, Siravenha LQ. Cenário epidemiológico da Doença de Chagas no Estado do Pará, Brasil. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 1, p. 1223-1234, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-142

Refbacks

  • There are currently no refbacks.