Impacto de intervenção educativa sobre hanseníase no grau de conhecimento de agentes comunitários de saúde em Belém do Pará / Impact of educational intervention on leprosy on the level of knowledge of community health workers in Belém do Pará

Matheus Costa Freitas, Letícia Hiromi Shibata, Letícia Pereira Carvalho, Ronaldo Tenório Novais Júnior, Suzanne Caldas da Costa, Leonardo Mota Aguiar Milhomem, Monaliza dos Santos Pessoa, Jofre Jacob da Silva Freitas

Abstract


A hanseníase é uma das doenças mais antigas que preocupam a humanidade, sendo historicamente associada a uma imagem mutiladora e incapacitante. O Brasil ocupa a segunda posição no ranking mundial de notificações de hanseníase. Neste contexto, a Estratégia de Saúde da Família tem papel importante na prevenção e no controle da doença, sendo os Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) um elo entre o serviço oferecido e a comunidade-alvo, disseminador de informações e responsável também pela identificação de novos casos. Desta forma, o estudo objetivou avaliar o impacto da intervenção educativa sobre os conhecimentos dos ACSs em hanseníase, na organização do atendimento e em estigmas relacionados a esta doença, sendo realizado em 5 Unidades de Saúde da Família da região metropolitana de Belém, no Estado do Pará, Brasil. Foi utilizado um protocolo adaptado para avaliar o conhecimento inicial dos agentes sobre o tema. Posteriormente, houve uma capacitação com base nas informações preconizadas pelo Ministério da Saúde e, em seguida, o protocolo foi aplicado novamente com a finalidade de avaliar o impacto da capacitação. Obteve-se, como resultado, 26% de erros no pré questionário e 9% de erros no pós-teste, evidenciando um ganho geral de 18% de acertos no questionário aplicado após a capacitação e uma média de evolução individual de 39% de acertos quando comparados ao pré-teste. Assim, conclui-se que as intervenções educativas são eficazes e necessárias, principalmente no contexto da Atenção Primária, sendo necessários mais estudos acerca do tema.

 


Keywords


Agentes Comunitários de Saúde, Hanseníase, Educação em Saúde.

References


ALVES, M.; PENNA, C. M. de M.; BRITO, M. J. M. Perfil dos gerentes de unidades básicas de saúde. Rev. bras. enferm., Brasília , v. 57, n. 4, p. 441-446, Aug. 2004 . Available from . access on 10 Dec. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672004000400011

ANDRADE, C. G. et al. Hanseníase: compreensão de agentes comunitários de saúde. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 15, n. 1, p. 17-24, 2011.

AVELAR, J. M. de F. O agente comunitário de saúde e a educação permanente em saúde. 2014. [38 folhas]. Monografia (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família) - Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. Lagoa Santa.

BELTRÁN, L. M. Comunicação e mediação da informação na produção de um curso online: estudo de caso Secretaria Executiva da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). 2015. 95 f., il. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação), Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Divulga o Pacto pela Saúde 2006. Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do referido Pacto. Portaria GM n. 399, de 22 de fevereiro de 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Reunião da estratégia global de hanseníase 2016-2020 adaptada ao SUS: atualizações, desafios e perspectivas. Panorama da Hanseníase no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2016. 36 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 816 p.

CANÁRIO, D. D. R. C. et al. Saberes e práticas de agentes comunitários de saúde acerca da hanseníase. Journal of Nursing UFPE/Revista de Enfermagem UFPE, v. 8, n. 1, 2014.

CORRADI-WEBSTER, C. M. et al . Capacitação de profissionais do programa de saúde da família em estratégias de diagnóstico e intervenções breves para o uso problemático de álcool. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto , v. 1, n. 1, fev. 2005 . Disponível em . acessos em 10 dez. 2017.

DE ALENCAR, O. M. et al. Trabalho do Agente Comunitário de Saúde no controle da hanseníase. Rev RENE, v. 13, n. 1, 2012.

FORTES, P. A. C.; SPINETTI, S. R. A informação nas relações entre os Agentes Comunitários de Saúde e os usuários do Programa de Saúde da Família. Saude soc., São Paulo, v. 13, n. 2, p. 70-75, Aug. 2004. Available from . Access on 18 May 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902004000200007.

GOLDMAN, L.; AUSIELLO, D. & CECIL, R.L. - Tratado de Medicina interna. 22. ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2008.

PIRES, A. R.; BARBOZA, R. Sensibilização de profissionais de saúde para a redução de vulnerabilidades programáticas na hanseníase. Mundo saúde (Impr.), p. [484-494], 2015.

RAMOS, L. B. M. Hanseníase e estigma no século XXI: narrativas de moradores de um território endêmico. 2017. 101 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.

RIBEIRO, F. S. et al. Qualidade dos serviços prestados pelos centros de saúde da família de Sobral - Ceará aos portadores de hanseníase nos anos de 2009 a 2010. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 11, n. 2, 2013.

SILVA, J. C. A.; RIBEIRO, M. D. A.; OLIVEIRA, S, B. Avaliação do nível de informação sobre hanseníase dos agentes comunitários de saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 29, n. 3, 2016.

WHO. Global leprosy update, 2013. Weekly epidemiological record, setembro, 2014. Disponível em http://www.who.int/wer/2015/wer9036.pdf?ua=1. Acessado em: 18 mai.2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-127

Refbacks

  • There are currently no refbacks.