Análise da prevalência de morbidade hospitalar por Linfoma não-hodgkin no Município de Aracaju, 2014-2016 / Analysis of prevalence of hospital morbity by nonhodgkin lymphoma in the City of Aracaju, 2014-2016

Renata de Lima Galvão, Maria Adriely Cunha Lima, Tiago Almeida Costa, Tatiane de Oliveira Santos, Halley Ferraro Oliveira

Abstract


Avaliar a prevalência de morbidade hospitalar por Linfoma não - Hodgkin (LNH) no município de Aracaju, de 2014 a 2018 na faixa etária de 01 a 19 anos de idade. A pesquisa foi realizada a partir de um estudo ecológico, onde foram utilizados dados secundários referentes a prevalência de internações e óbitos por Linfoma não-Hodgkin no município de Aracaju de 2014 a 2018, disponíveis no Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIHSUS). Diante da análise dos resultados, obtiveram-se o total de 84 internações e 04 óbitos durante esses cinco anos, por LNH, no município de Aracaju. No entanto, a maior prevalência de internações confirmadas ocorreu em 2016, totalizando 27 casos. Logo, o número de óbitos se mantiveram constantes, com apenas um caso confirmado em cada ano de (2014, 2015, 2016 e 2018). Sendo assim, vale ressaltar que no ano de 2017, não houveram óbitos confirmados. Embora, o LNH corresponda ao tipo de neoplasias malignas (crescimento tumoral das células) bastante significativa, o resultado satisfatório do tratamento está diretamente relacionado a adesão feita pelo enfermo. Sendo assim, indivíduos que abandonam o tratamento devido à ausência de apoio, transporte, moradia e assistência com custos médicos, tornaram-se expostos a piora da condição clínica. É fundamental que o indivíduo que apresenta os sintomas característicos da enfermidade realize o acompanhamento e tratamento adequado, a fim de reduzir a piora da condição clínica. Portanto, torna-se imprescindível a realização de pesquisas sobre a doença, além tratamentos avançados que reduzam a sua prevalência.


Keywords


Epidemiologia, Linfoma não Hodgkin, Saúde Pública

References


MONTEIRO, Talita Antonia Furtado et al. Linfoma de Hodgkin: aspectos epidemiológicos e subtipos diagnosticados em um hospital de referência no Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saúde, Ananindeua, v. 7, n. 1, p. 27-31, mar. 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Estimativa | 2018 Incidência de Câncer no Brasil, INCA, Rio de Janeiro, 2017.

MORTON, LM et al. Padrões de incidência de linfoma pelo subtipo da OMS nos Estados Unidos, 1992-2001. Blood, v. 107, n. 1, p. 267-276, 2006.

KAATSCH, Peter. Epidemiologia do câncer infantil. Rev Tratamento de Câncer, v. 36, n. 4, p. 277- 285, 2010.

MURPHY, SB. The national impact of clinical cooperative group trials for pediatric câncer, Med Pediatric Oncol., v. 24, n.5, p.279, 1995.

ARAUJÓ, LHL et al, Linfoma Não-Hodgkin de Alto Grau- revisão da literatura, rev brasileira de cancerologia, v. 54, n. 2, p. 175-183, 2008.

BACHANOVA, Veronika et al. Células assassinas naturais haploidenticais induzem remissões em pacientes com linfoma não-Hodgkin com baixos níveis de células imunossupressoras. Cancer Immunology, Immunotherapy, v. 67, n. 3, p. 483-494, 2018.

CHOEYPRASERT, W. et al. Linfoma não-Hodgkin Pediátrico: Características, estratificação e tratamento em um único instituto na Tailândia. Pediatrics International , v. 61, n. 1, p. 49-57, 2019.

EHRHARDT, M. J. et al. Late outcomes of adult survivors of childhood non‐Hodgkin lymphoma: A report from the St. Jude Lifetime Cohort Study. Pediatric blood & cancer, v. 64, n. 6, p. e26338, 2017.

EHRHARDT, M. J. et al. Late outcomes of adult survivors of childhood non‐Hodgkin lymphoma: A report from the St. Jude Lifetime Cohort Study. Pediatric blood & cancer, v. 64, n. 6, p. e26338, 2017.

FRANSE, L. V. P. et al. International development of four EORTC disease-specific quality of life questionnaires for patients with Hodgkin lymphoma, high-and low-grade non-Hodgkin lymphoma and chronic lymphocytic leukaemia. Quality of life research, v. 27, n. 2, p. 333-345, 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. DATASUS. Disponível em: < http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/nrSE.def>. Acesso: 27 fev 2018.

MORRISON, V. A. et al. Patterns of growth factor usage and febrile neutropenia among older patients with diffuse large B-cell non-Hodgkin lymphoma treated with CHOP or R-CHOP: the Intergroup experience (CALGB 9793; ECOG-SWOG 4494). Leukemia & lymphoma, v. 58, n. 8, p. 1814-1822, 2017.

PORRATA, L. F. et al. Immunologic autograft engineering and survival in non-Hodgkin lymphoma. Biology of Blood and Marrow Transplantation, v. 22, n. 6, p. 1017-1023, 2016.

VEAL, G. J. et al. Cyclophosphamide pharmacokinetics and pharmacogenetics in children with Bcell non-Hodgkin's lymphoma. European Journal of Cancer, v. 55, p. 56-64, 2016. (VEAL, 2016).




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-118

Refbacks

  • There are currently no refbacks.