Os desafios no acesso à saúde da comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais no Brasil: uma revisão integrativa/The challenges in access to health for the Lesbian, Gay, Bisexual, Transvestite and Transsexual community in Brazil: an integrative review

Natalia Silva Bueno, Ana Julia Ribeiro Gomes, Carolina Silva Carvalho, Larissa Yurie Rezende Tanimitsu, Maria Vitória Vieira Graciano, Sarah Rhaquel Rodrigues Oliveira, Henrique Poletti Zani

Abstract


A saúde é um direito garantido por lei na Constituição de 1988. Sendo assim, serviços de saúde públicos e particulares deveriam oferecer atendimento humanizado e igual para todos os indivíduos, porém há o distanciamento da comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis e Transsexuais (LGBT) desse direito e a resultante condução à vulnerabilidade e a ausência da integridade. A revisão de literatura tem por objetivo reconhecer os desafios da comunidade LGBT no acesso à saúde. Para a concretização dessa, foram utilizadas as plataformas online de pesquisa, com os descritores: Minorias Sexuais e de Gênero, Sistemas Públicos de Saúde, Saúde Pública e Direito à Saúde, a fim de encontrar artigos para realizar a presente revisão, dos quais foram selecionados 20 artigos de 2016 a 2019. Portanto, as principais adversidades enfrentadas por essa população são a desinformação, o estigma e a desarticulação de profissionais de saúde e políticas públicas condizentes com o cenário de discriminação que ainda atinge os serviços de saúde. Longe disso, há a normatização do direito ao uso do nome social pelos trans, ainda que a prática não seja reflexo da legislação vigente. Além disso, o Processo Transexualizador ainda submete o trans a um processo de patologização, o qual viola os direitos humanos e ataca a integridade psicológica e o direito à vida familiar.  Portanto, reconhecemos o atroz abismo que separa a população LGBT do cuidado digno à saúde, o qual entrelaça atitudes antiéticas alicerçadas à currículos heteronormativos, prejulgamentos e intolerância, a desconsideração do nome social solicitada pela pessoa trans no ambiente da unidade de saúde, e a patologização das vivências dos trans.


Keywords


Saúde, LGBT, Sistema Único de Saúde, SUS.

References


ANDRADE, T.C.O.R.; DE ANDRADE, P.A.R. Processo Transexualizador no SUS: Um mecanismo de garantia da inclusão e plena dignidade de transgêneros e travestis. Anais do Encontro Nacional de Pós Graduação, v. 1, n. 1, p. 233-238, 2017.

BORGES, A.T.; ESTRELA, N.M.F.; FELIX, M.O.S.D. Políticas de saúde para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil: em busca de universalidade, integralidade e equidade. II Seminário Nacional de Serviço Social, Trabalho e Política Sociais, 2017. BRAZ, Camilo. Vidas que esperam? Itinerários do acesso a serviços de saúde para homens trans no Brasil e na Argentina. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, p. e00110518, 2019.

BRAZ, C. Vidas que esperam? Itinerários do acesso a serviços de saúde para homens trans no Brasil e na Argentina. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, p. e00110518, 2019.

CARDOSO, M.R.; FERRO, L.F. Saúde e população LGBT: demandas e especificidades em questão. Psicologia: ciência e profissão, v. 32, n. 3, p. 552-563, 2012.

CASTRO-PERAZA, M.E. et al. Gender identity: the human right of depathologization. International journal of environmental research and public health, v. 16, n. 6, p. 978, 2019.

DA SILVA, G. O uso do nome social para trans e travestis. III Congresso Nacional Ciências Criminais e Direitos Humanos, v.1, n.1, 2019.

DA SILVA, L.K.M. et al. Uso do nome social no Sistema Único de Saúde: elementos para o debate sobre a assistência prestada a travestis e transexuais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 27, p. 835-846, 2017.

FERREIRA, B.O.; JANNOTTI, C. B. Os desafios do cuidado à saúde de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no sistema único de saúde. Repositório Institucional da Fiocruz, 2018.

FERREIRA, B.O.; PEDROSA, J. I. S.; DO NASCIMENTO, E. F. Diversidade de gênero e acesso ao Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 31, n. 1, p. 1-10, 2018.

GOMES, S.M. et al. O SUS fora do armário: concepções de gestores municipais de saúde sobre a população LGBT. Saúde e Sociedade, v. 27, p. 1120-1133, 2018.

JESUS, J.G. Orientações sobre a população transgênero: conceitos e termos. Brasília: Autor, 2012. 24p.

LIMA, M.D.A.; SOUZA, A.S.; DANTAS, M.F. Os desafios a garantia de direitos da população LGBT no sistema único de saúde (SUS). Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, v. 3, n. 11, 2016.

MARTINS, D.A.B.; PREUSS, L.T. Os avanços e desafios de políticas públicas na área da saúde para a comunidade LGBT. II Congresso Internacional de Política Social e Serviço Social, 2017.

MONTEIRO, S.; BRIGEIRO, M. Experiências de acesso de mulheres trans/travestis aos serviços de saúde: avanços, limites e tensões. Cadernos de Saúde Pública, v. 35, p. e00111318, 2019.

NAGAMINE, R.R.V.K. The rights of LGBT people in the UN (2000-2016). Sexualidad, Salud y Sociedad (Rio de Janeiro), n. 31, p. 28-56, 2019.

OLIVEIRA, G.S. et al. Acesso de lésbicas, gays, bissexuais e travestis/transexuais às Unidades Básicas de Saúde da Família. Rer Rene, Fortaleza, v.19, e3295, 2018.

PETRY, A.R.; KLEINPAUL, W.V. Nome social: uma conquista dos movimentos sociais desconhecida por serviços de atenção básica em um município do Rio Grande do Sul. Enfermagem Brasil, v. 15, n. 1, p. 26-32, 2016.

POPADIUK, G.S.; OLIVEIRA, D.C.; SIGNORELLI, M.C. A Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT) e o acesso ao processo transexualizador no Sistema Único de Saúde (SUS): avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 1509-1520, 2017.

ROCON, P.C. et al. Desafios enfrentados por pessoas trans para acessar o processo transexualizador do Sistema Único de Saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 23, p. e180633, 2019.

ROCON, P.C. et al. Dificuldades vividas por pessoas trans no acesso ao Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 2517-2526, 2016.

ROCON, P.C. et al. O que esperam pessoas trans do Sistema Único de Saúde?. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 22(64), p. 43-53, 2017.

SEHNEM, G.D. et al. Assistência em saúde às travestis na atenção primária: do acesso ao atendimento. Rev. enferm. UFPE on line, p. 1676-1684, 2017.

SOUSA, D.; IRIART, J. “Viver dignamente”: necessidades e demandas de saúde de homens trans em Salvador, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, p. e00036318, 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health topics – Gender. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-104

Refbacks

  • There are currently no refbacks.