Análise de processos gerenciais no setor de raios x em uma unidade de pronto atendimento 24 horas do Paraná / Analysis of management processes in the x-ray sector in a 24-hour emergency department in Paraná

Atalaha Carvalho Barcellos Riquetta, Frieda Saicla Barros, Danyel Scheidegger Soboll

Abstract


Todas as instituições de saúde do Brasil, públicas ou privadas, são regulamentadas por leis, portarias e resoluções federais, estaduais e municipais. As Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas (UPAs), integrantes do Sistema Único de Saúde e regidas pelo governo, devem ser fiscalizadas quanto ao cumprimento dessas normativas visando a proteção e segurança dos pacientes e funcionários. É fundamental, segundo o Conselho Federal de Medicina, que o prontuário (dados de atendimento) seja armazenado corretamente e liberado a terceiros apenas mediante o consentimento do paciente. A ausência de arquivamento das informações, principalmente radiografias, podem ocasionar repetições dos exames e, consequentemente, maior detrimento aos pacientes. O funcionamento preciso dos aparelhos, as condições adequadas das estruturas e o treinamento dos funcionários também garantem maior qualidade de atendimento e proteção a todos os envolvidos. Analisando a existência de inconformidades no setor radiológico de uma UPA em funcionamento há dois anos, em um município do Paraná, de acordo com a legislação predeterminada, foram identificadas as seguintes falhas: uma câmara escura sem iluminação, vedação adequada e sistema de exaustão funcional (exigidos pela Portaria 453/98); um equipamento de raios x nunca verificado quanto ao seu desempenho; inexistência de um programa de treinamento para os funcionários; arquivamento impróprio de radiografias dos pacientes com sequencial descarte; livro de registro manual sem confirmação de veracidade das informações. Os problemas encontrados no setor geram questionamentos sobre as vistorias realizadas desde a inauguração em 2014 e das habilidades de gestão do órgão responsável pela unidade.


Keywords


Unidade de Pronto Atendimento 24 horas, Setor de Radiologia, Gestão do Setor de Radiologia, Fiscalização do Setor de Radiologia

References


BRASIL. Lei 8080 de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário da União, Brasília, 1990, Seção 1.

GRIMES S.L., The Future of Clinical Engineering: The Challenge of Change, IEEE Engineering in Medicine and Biology Magazine, p.91-99, mar./apr., 2003.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (Brasil). Define prontuário médico e torna obrigatória a criação da Comissão de Revisão de Prontuários nas instituições de saúde. Resolução CFM nº 1.638/2002. Publicada no D.O.U. de 9 de agosto de 2002, Seção I, p.184-5

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (Brasil). O médico não pode, sem o consentimento do paciente, revelar o conteúdo do prontuário ou ficha médica. Revoga-se a Resolução CFM nº 999/80. Resolução CFM nº 1.605/2000. Publicada no D.O.U. 29 SET 2000, Seção I, pg. 30

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (Brasil). Aprova as normas técnicas concernentes a digitalização e uso dos sistemas informatizados para a guarda e manuseio dos documentos dos prontuários dos pacientes, autorizando a eliminação do papel e a troca de informação identificadas em saúde. Resolução CFM nº 1.821/2007. Publicada no D.O.U. de 23 nov. 2007, Seção I, pg. 252.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (Brasil). Secretaria de Vigilância Sanitária, RDC Nº 330, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2019. Brasília: D.O.U. Diário Oficial da União; Publicado em: 26/12/2019, Edição: 249, Seção: 1 , Página: 92.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (Brasil). Secretaria de Vigilância Sanitária, Portaria Federal nº 453, de 01 de junho de 1998: Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica em Radiodiagnóstico Médico e Odontológico. Brasília: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo, de 02 de junho de 1998.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-057

Refbacks

  • There are currently no refbacks.