Evolução temporal dos indicadores de Hanseníase em Sergipe no período entre 2009 e 2018 / Temporal evolution of Hansen's disease indicators in Sergipe in the period between 2009 and 2018

Laísa de Souza Guimarães, Gleide Maria Gatto Bragança, Enaldo Vieira de Melo, Lívia Carvalho Melo, Isabella Paiva Palmeira, Vitor Lobão Vasconcelos, Lara Rebeca Correia Franca Dantas, Anne Karoline Tavares dos Santos

Abstract


A Hanseníase é uma doença infectocontagiosa causada pelo Mycobacterium leprae, de caráter crônico e que acomete pele e nervos, podendo levar a sequelas com alto poder incapacitante quando não iniciado tratamento precocemente. O Brasil é o segundo país mais endêmico do mundo, com 12,5% dos casos, precedido pela Índia que apresenta 60,4% dos registros. As manifestações clínicas caracterizam-se por presença de lesões de pele com alteração da sensibilidade e acometimento de nervo, com espessamento neural. Estima-se que 2 milhões de pessoas no mundo vivem com algum tipo de incapacidade decorrente da infecção pelo Mycobacterium leprae, que resulta da não ocorrência ou instituição tardia de tratamento e pode ser de ordem física, psicológica e social. O tratamento é assegurado pelo serviço público de saúde tendo como principal objetivo a cura do paciente para interromper o mais precoce possível a cadeia epidemiológica de transmissão e evitar as incapacidades. Esse trabalho tem como objetivo analisar a evolução temporal dos indicadores epidemiológicos da Hanseníase em Sergipe no período compreendido entre 2009 e 2018 com dados obtidos por meio de consulta ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e analisados pelo modelo de regressão do joinpoint. Como pontos de inflexão importantes, verificou-se uma redução dos casos novos em torno de 5,3% ao ano e um aumento da proporção de casos multibacilares com média de 2,5% ao ano, sugerindo uma manutenção da dinâmica de transmissão da doença no estado.


Keywords


Hanseníase; Epidemiologia; Saúde pública

References


ARAÚJO, Daniella Azevedo Lobo et al. Caracterização da qualidade de vida de pessoas com hanseníase em tratamento ambulatorial Characteristics of people of quality of life with leprosy in outpatient treatment. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, [s.l.], v. 8, n. 4, p. 5010, 4 out. 2016. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i4.5010-5016

AZULAY, Rubem David; AZULAY, David Rubem; AZULAY-ABULAFIA, Luna. Dermatologia. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da Hanseníase como problema de saúde pública: manual técnico-operacional. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume único [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. – 4ª. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico de Hanseníase. 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/janeiro/31/Boletim-hanseniase-2020-web.pdf. Acesso em: 21 mai. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Roteiro para uso do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan NET para hanseníase: manual para tabulação dos indicadores de hanseníase. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, 2018. 81 p. Disponível em: http://portalsinan.saude.gov.br/images/documentos/Agravos/Hanseniase/Manual_tabulacao_dos_indicadores_de_hanseniase.pdf. Acesso em: 09 jun. 2020.

BRITO, Aline Lima et al. Tendência temporal da hanseníase em uma capital do Nordeste do Brasil: epidemiologia e análise por pontos de inflexão, 2001 a 2012. Revista Brasileira de Epidemiologia, [s.l.], v. 19, n. 1, p. 194-204, mar. 2016. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201600010017

CASTRO, Shamyr Sulyvan de et al. Leprosy incidence, characterization of cases and correlation with household and cases variables of the Brazilian states in 2010. Anais Brasileiros de Dermatologia, [s.l.], v. 91, n. 1, p. 28-33, fev. 2016. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/abd1806-4841.20164360

FISCHER, Marcellus et al. Leprosy - an overview of clinical features, diagnosis, and treatment. JJDG: Journal der Deutschen Dermatologischen Gesellschaft, [s.l.], v. 15, n. 8, p. 801-827, ago. 2017. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/ddg.13301.

FORTUNATO, Cibelly Nunes et al. Qualidade de vida de pessoas com hanseníase atendidas em um hospital de referência, Paraíba-Brasil. Enfermería Global, [s.l.], v. 18, n. 4, p. 119-158, 16 set. 2019. Servicio de Publicaciones de la Universidad de Murcia. http://dx.doi.org/10.6018/eglobal.18.4.342601.

FRANCISCO, Lara Lima et al. Estimativa da prevalência oculta da hanseníase em município do interior do Estado de São Paulo. Arquivos de Ciências da Saúde, [s.l.], v. 26, n. 2, p. 89, 15 nov. 2019. Faculdade de Medicina de Sao Jose do Rio Preto - FAMERP. http://dx.doi.org/10.17696/2318-3691.26.2.2019.1643.

FREITAS, Bruna Hinnah Borges Martins de et al. Leprosy educational practices with adolescents: an integrative literature review. Revista Brasileira de Enfermagem, [s.l.], v. 72, n. 5, p. 1397-1404, out. 2019. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0458.

JESUS, Mateus Santos de et al. Epidemiologia e análise espacial da hanseníase em um município do nordeste do Brasil. Rev Rene, [s.l.], v. 20, p. 1-8, 25 set. 2019. Rev Rene - Revista da Rede de Enfermagem de Nordeste. http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20192041257.

KIM HJ, Fay MP, Feuer EJ, Midthune DN. Permutation tests for joinpoint regression with applications to cancer rates. Stat Med. 2000;19(3):335- 51

LASTÓRIA, Joel Carlos; ABREU, Marilda Aparecida Milanez Morgado de. Hanseníase: diagnóstico e tratamento. Dermatologia, [s.l.], v. 4, n. 17, p. 173-179, 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2020.

LEANO, Heloisy Alves de Medeiros et al. Socioeconomic factors related to leprosy: an integrative literature review. Revista Brasileira de Enfermagem, [s.l.], v. 72, n. 5, p. 1405-1415, out. 2019. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0651.

MAIA, Raquel Cristina. Recidiva de Hanseníase em pacientes tratados com Poliquimioterapia 12 doses. 2019. 118 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina Tropical, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://acervos.icict.fiocruz.br/man/mestrado_bibmang/raquel_maia_ioc_mest_2019.pdf. Acesso em: 04 jun. 2020.

MONTEIRO, Lorena Dias. Epidemiologia, distribuição espacial e fatores associados à ocorrência da hanseníase e do desenvolvimento de incapacidades físicas no estado do Tocantins, 2001 a 2012. 2015. 123 f. Tese (Doutorado) - Curso de Medicina, Saúde Coletiva, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2020.

PAVÃO, Gustavo Carvalho. Hanseníase: aspectos clínicos, epidemiológicos, tratamento e diagnóstico laboratorial no Brasil. Revista Unilus Ensino e Pesquisa, São Paulo, v. 15, n. 39, p.41-51, abr. 2018. Disponível em: http://revista.unilus.edu.br/index.php/ruep/article/view/1014/u2018v15n39e1014. Acesso em: 24 mar. 2020.

PINHEIRO, Mônica Gisele Costa et al. Compreendendo a “alta em hanseníase”: uma análise de conceito. Revista Gaúcha de Enfermagem, [s.l.], v. 38, n. 4, p. 1-8, 7 jun. 2018. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.04.63290

SANTOS, Rayanna Souza; BRAGANÇA, Gleide Maria Gatto; SANTOS FILHO, Carlos Augusto Moura. Avaliação da qualidade de vida e frequência de ansiedade e depressão em portadores de hanseníase. Brazilian Journal Of Health Review, [s.l.], v. 3, n. 2, p. 2932-2943, 2020. Brazilian Journal of Health Review. http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv3n2-134.

SILVA, Cláuffer Luiz Machado et al. Spatial distribution of leprosy in Brazil: a literature review. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, [s.l.], v. 50, n. 4, p. 439-449, ago. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0170-2016.

SOUZA, Carlos Dornels Freire de et al. Physical disabilities due to leprosy in Alagoas State, Northeast Brazil: a temporal and spatial modeling. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, [s.l.], v. 52, p.1-5, 2019. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0540-2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-038

Refbacks

  • There are currently no refbacks.