Gestão e autoavaliação: Interatividade com a comunidade escolar / Management and self-assessment: Interactivity with the school community

Regiane Maria Silva França, Talita Giselly dos Santos Souza, Jefferson Diego Bezerra da Silva, Jamerson Kleber França da Silva

Abstract


Este artigo bibliográfico tem por principal objetivo abordar a importância do processo de autoavaliação da gestão escolar, bem como verificar o reflexo desta prática na interatividade com a comunidade escolar. Na confecção deste artigo buscou-se compreender como se dá uma avaliação da prática da gestão sob a perspectiva do profissional e como ele projeta ações educacionais no intuito e agregar valores dos participantes como professores, alunos e a comunidade envolva a escola. Pontua-se os desafios em promover a escola na atualidade, além da construção e aplicação de estratégias que levem em consideração as necessidades e particularidades da comunidade escolar. Ao levar em consideração essa perspectiva, a autoavaliação se destaca como ferramenta importante para identificar os problemas a partir de uma visão não apenas do gestor, mas, também, dos profissionais, alunos e familiares. Assim, através de uma gestão democrática e uma prática auto avaliativa, o gestor consegue ter um olhar direcionado a ajustar/construir novas metodologias que contemplem opiniões e pontos de vista além de suas próprias, alcançando os objetivos da escola e desempenhando um aprendizado satisfatório. Desta forma, buscou-se defender, ao final deste artigo, a importância de realizar-se a autoavaliação e a reflexão de que ela é uma ferramenta que não otimiza apenas o trabalho de um profissional, mas permite que todo o corpo escolar identifique os desafios e participem da reformulação de práticas pedagógicas integrativas.

 


Keywords


Gestão escolar, Democratização, Excelência.

References


ALARCÃO, I; TAVARES, J. Supervisão da prática pedagógica. Uma perspectiva de desenvolvimento e aprendizagem. Coimbra: Livraria Almedina, n 2, p. 80-101, 2003.

AZEVEDO, J. Avaliação de Escolas: Consensos e divergências. Porto: Edições ASA, 2002.

BARROSO, João. O reforço da autonomia das escolas e a flexibilização da gestão escolar em Portugal. In: FERREIRA, N. S. C. (org.) Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2003. p. 11-32.

CUNHA, E. O. A gestão escolar e sua relação com os resultados do Ideb: um estudo em duas escolas municipais de Salvador. 2012. 172f. Trabalho de Dissertação (Mestrado em educação) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012. Disponível em: . Acesso de 02 de mar. de 2020.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREITAS, L. C. Responsabilização, meritocracia e privatização: conseguiremos escapar ao neotecnicismo. Seminário de Educação Brasileira, v. 3, p. 47-51, 2011.

GIARETA, P. F. FRANÇA BEVILACQUA, L. F. A gestão democrática da escola pública a partir do olhar dos professores do ensino fundamental. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 9, p. 15267-15280, 2019.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora: Novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

LIBÂNEO, J. C. A organização e a gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2007.

LÜCK, H. A gestão participativa na escola. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

LÜCK, H. Dimensões da Gestão Escolar e suas Competências. Curitiba: Positivo, 2009. Disponívelem Acesso em 10 de mar. de 2020.

LUCKESI, C. Avaliação da aprendizagem escolar. 8 ed. São Paulo: Cortez, 1998.

MEDEIROS, Z. A. Os critérios de excelência são apropriados para fundamentar uma gestão de qualidade na escola pública? 2012. 29f. Trabalho de conclusão de curso (Especialização em Gestão Educacional) - Universidade Federal de Santa Maria, Rio GrandedoSul,2012.Disponívelem: Acesso em 03 de maio de 2020.

OLIVEIRA, G. S. A autoavaliação como inovação educacional. 2009. 52f. Trabalho de conclusão de curso (Pós-graduação em Ensino Superior) - Universidade Cândido Mendes, Brasília,2009.Disponívelem Acesso em 29 de abril de 2020.

PALADINI, E. P. Gestão estratégica da qualidade: princípios, métodos e processos. São Paulo. Atlas. 2008.

PEREIRA, S. M.; BECKER, A. O projeto político pedagógico e a construção da identidade escolar. Revista Contexto & Educação, v. 17, n. 67, p. 81-100, 2002.

RÉGNIER, Jean-Claude. A autoavaliação na prática pedagógica. Revista diálogo educacional, v. 3, n. 6, p. 53-68, 2002.

SANTIAGO, E. Paulo Freire e as Questões Curriculares: uma Contribuição à Reflexão. Revista de Educação AEC, n. 106, p. 34-42, 1998.

SCHNEIDER, H. N. A escola como uma organização de aprendizagem interativa informatizada. XIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação – SBIE – UNISINOS, São Cristóvão, SE, p. 136-145, 2002. Disponível em: Acesso em 20 de mar. de 2020.

SILVA, I. M. Autoavaliação e gestão democrática na instituição escolar. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 18, n. 66, p. 49-64, 2010.

SILVA, J. F. Avaliação na Perspectiva Formadora-reguladora: Pressupostos Teóricos e Práticos. Porto Alegre: Mediação, 2006.

TARDIF, M. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

VEIGA, I. P. A. Projeto Político Pedagógico: novas trilhas para a escola. In: VEIGA, I. P.A; FONSECA, M. (Orgs.). As dimensões do projeto político-pedagógico: novos desafios para a escola. 9ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. p. 45-68.

VELOSO, L.; ABRANTES, P.; CRAVEIRO, D. A avaliação externa das escolas como processo social. Educação, Sociedade e Culturas, Porto, n. 33, p. 69-88, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-013

Refbacks

  • There are currently no refbacks.