Tétano Acidental: Perfil clínico-epidemiológico de pacientes internados em hospital de referência de Salvador/Bahia, de 2006-2018 / Accidental Tetanus: Clinical-epidemiological profile of patients admitted to a reference hospital in Salvador / Bahia, from 2006-2018

Caique Pierre da Silva, Fernando Sérgio da Silva Badaró, Katia de Miranda Avena

Abstract


Apesar de ser uma doença imunoprevenível, o tétano desponta como uma patologia com altas taxas de letalidade em países em desenvolvimento. No Brasil, mesmo com a ampla cobertura vacinal, a doença ainda é um grave problema de saúde pública por causar óbito de milhares de pacientes. Diante disso, esse estudo analisou o perfil clínico-epidemiológico dos casos de tétano internados em hospital de referência, em Salvador/Bahia, de 2006 a 2018. Trata-se de estudo epidemiológico, de caráter retrospectivo, baseado na revisão de prontuários médicos de paciente internados e diagnosticados com tétano. Os casos foram identificados através da pesquisa do banco de dados do referido hospital e do Setor de Vigilância Epidemiológica. Foram notificados 137 casos com suspeita de tétano, sendo 132 confirmados. Destes, 83% era do gênero masculino, solteiros (62%), da raça parda (39%), com média de idade de 42,5±18,3 anos, com esquema vacinal incompleto (72%). Em relação ao desfecho apresentado, 21% dos pacientes foram a óbito, 3% foram transferidos e 62% receberam alta hospitalar. As sintomatologias mais frequentes foram trismo (84%) e espasmo muscular generalizado (69,7%). O perfil epidemiológico de pacientes acometidos pelo tétano foi de adultos, do sexo masculino, solteiros, pardos, trabalhadores rurais, com esquema vacinal incompleto, baixa escolaridade, que tiveram longa permanência hospitalar e alta mortalidade. Os dados sugerem a necessidade de programas de imunização mais efetivos através de coberturas vacinais mais amplas, além da realização de ações continuadas de educação em saúde, visto que a incidência e mortalidade pela doença permanecem elevadas.


Keywords


Tétano, Epidemiologia, Diagnóstico clínico, Saúde Pública.

References


Lisboa T, Ho Y-L, Henriques Filho GT, Brauner JS, Valiatti JL dos S, Verdeal JC, et al. Diretrizes para o manejo do tétano acidental em pacientes adultos. Rev Bras Ter Intensiva. 2011; 23(4):394–409.

Fauci AS, Kasper DL, Hauser SL, Braunwald E, Harrison TR. Harrison’s Principles of Internal Medicine. 19th. 19th ed. New York: McGraw-Hill; 2015. 1197-1200p.

Bahia. Secretaria de Saúde do Estado da Bahia: Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia. Boletim de Tétano, Difteria e Coqueluche - Bahia 2017 [Internet]. Fev 2018 [cited 2019 Mar 11]. p. 1-4. Available from: http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2017/11/2018-Boletim-de-Tétano-Difeteria-e-Coqueluche-Bahia-2017.pdf

Osnei Okumoto C, Maria Feitosa Brito S, Schwartz Benzaken A, Luiz de Abreu A, Buosi Rohlfs D, Duarte E, et al. Situação epidemiológica do tétano acidental no Brasil, 2007-2016. Boletim Epidemiológico - Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. 2018; 49(25):1-15.

Catalin Albu, Sergio Brusin, Bruno Ciancio JGD and CQ. Annual epidemiological report [Internet]. Stockholm; 2015 [cited 2019 Mar 11]. Available from: www.ecdc.europa.eu

Neves FF, Faiolla RCL, Napoli EMG de, Lima GMN de, Muniz RZ de A, Pazin-Filho A. Perfil clínico-epidemiológico dos casos de tétano acidental ocorridos em Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, no período de 1990 a 2009. Rev Soc Bras Med Trop. 2011; 44(4):481-5.

Oliveira, Lucas Villasboas de; Nunes C de LX. Estudo de 119 casos de tétano ocorridos num hospital de referência na Bahia entre 2004 e 2010. Rev Baiana Saúde Pública. 2013; 37(Supl.1):253.

Feijão AR, Brito DMS de, Peres DA, Galvão MTG. Tétano acidental no Estado do Ceará, entre 2002 e 2005. Rev Soc Bras Med Trop. 2007; 40(4):426-30.

Gouveia PA da C, Silva CEF, Miranda Filho D de B, Bernardino SN, Escarião AG, Ximenes RA de A. Tendência temporal do tétano acidental no período de 1981 a 2004 em Pernambuco com avaliação do impacto da assistência em unidade de terapia intensiva sobre a letalidade. Rev Soc Bras Med Trop. 2009; 42(1):54-7.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de informática do SUS. Informações de Saúde Epidemiológicas e Morbidade. [Internet]. 2018. [cited 2019 Mar 11]. Available from: http://www.datasus.gov.br

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde /Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 706 p.

Castro L, Gonçalves G, Catarino J. Caracterização Epidemiológica Dos Casos Declarados de Tétano - Oportunidades perdidas de vacinação. Acta Med Port 2004; 17:225-229.

Divino-Goes KG, Moraes-Pinto MI de, Dinelli MIS, Casagrande ST, Bonetti TCS, Andrade PR, et al. Prevalence of diphtheria and tetanus antibodies and circulation of Corynebacterium diphtheriae in São Paulo, Brazil. Brazilian J Med Biol Res. 2007; 40(12):1681–7.

Litvoc J, Leite RM, Katz G. Aspectos epidemiológicos do tétano no Estado de São Paulo (Brasil), 1989. Rev Inst Med Trop Sao Paulo. 1991; 33(6):477-84.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Informe Epidemiológico - Tétano Acidental [Internet]. Brasília-DF. 2015 [cited 2019 Mar 11]. Available from: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/julho/28/BR-Informe-TA-2015.pdf

Moura GN de, Verissimo JL, Osterne LPR, Caetano JA, Lima ACF. Perfil epidemiológico dos pacientes com tétano acidental em unidade de terapia intensiva. Rev Baiana Saúde Pública. 2012; 36(2):313-327.

Ágar, Gomeri ÁM de Q, Gagliani LH. Estudo epidemiológico do tétano acidental no Brasil. Vol. 8, UNILUS Ensino e Pesquisa. Santos/SP; 2013; 20-31 p.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo Salvador/Bahia [Internet]. Ministério de Negócios do Império Brasileiro. 201AD [cited 2019 Mar 11]. Available from: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/salvador/pesquisa/23/22107

Lima VMSF, Garcia MT, Resende MR, Nouer SA, Campos EOM, Papaiordanou PMO, et al. Tétano acidental: análise do perfil clínico e epidemiológico de casos internados em hospital universitário. Rev Saúde Publica. 1998; 32(2):166–71.

Vieira LJ, Santos LM. Aspectos epidemiológicos do tétano acidental no Estado de Minas Gerais, Brasil, 2001-2006. Epidemiol e Serviços Saúde. 2009; 18(4):357–64.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-012

Refbacks

  • There are currently no refbacks.