Desenvolvimento da síndrome de Burnout nos enfermeiros de UTI de um hospital privado do agreste Pernambucano / The development of the burnout syndrome on the ICU nurses of a private hospital from the agreste of Pernambuco

Eduarda Érica Ferreira do Nascimento, Sabrina Quirino dos Santos Vilaça, Tamíres Carla Timotio da Silva, Marcos André Araújo Duque

Abstract


A síndrome de Burnout é uma mazela antiga que remete perda de energia ou fogo, ou seja, uma proposição para dar significado a aquele indivíduo que chega ao seu limite, mostrando lacunas no seu desempenho, seja ele físico e/ou mental, não apresentando mais ensejo por seu ofício. Sendo os profissionais que lidam assistencialmente de forma direta com o ser humano, mais acometidos e suscetíveis para a doença, em especial, os enfermeiros. O objetivo do presente estudo foi identificar o desenvolvimento da síndrome nos enfermeiros de UTI de um hospital privado do Agreste Pernambucano. É um estudo do tipo transversal, descritivo e com abordagem quantitativa, e a pesquisa foi realizada em uma instituição privada localizada na cidade de Caruaru – PE, que atualmente é a única credenciada no interior. A amostra é composta por 14 enfermeiros atuantes no setor de UTI que concordaram com a pesquisa mediante assinatura do TCLE, sendo excluídos os que recusassem a assinatura do termo e os que estavam em gozo de férias. Para o levantamento das informações, aplicou-se um questionário sociodemográfico constituído por 10 questões e o Malasch Burnout Inventory, para possível identificação da SB. Os dados obtidos foram analisados no programa Microsoft Excel versão 2010 e apresentados posteriormente em percentagem. Com isso, conclui-se que as informações coletadas podem diagnosticar e/ou apontar os fatores predisponentes para a evolução de Burnout. Trazendo um norte que vise aprimoramento na ambiência e fatores de risco para estes profissionais, buscando intervenções e melhoria na qualidade de vida, proporcionando, assim, homeostasia laboral, organizacional e humanista.

 


Keywords


Síndrome de Burnout. Enfermagem. Estresse ocupacional.

References


ANDOLHE, R. et al. Estresse, coping, e Burnout da equipe de enfermagem de unidades de terapia intensiva: fatores associados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 49 (Esp): 58 – 64, 2015.

ATAÍDE, M. et al. Fatores determinantes da síndrome de burnout em enfermeiros na unidade de terapia intensiva. 2016.

BENEDITO, J. G, et al. Síndrome de Burnout em enfermeiros na unidade de terapia intensiva: uma revisão narrativa da literatura. 2017. Disponível em: http://openrit.grupotiradentes.com/xmlui/handle/set/1774. Acessado em: 28 out. 2018.

CARLOTTO, M. S. A relação profissional – paciente e a síndrome de burnout. Revista de Psicologia, vol.7, n.17, 7-20 p, 2009.

FERNANDES, L. S; NITSCHE, M. J. T; GODOY, I. Síndrome de Burnout em profissionais de enfermagem de uma unidade de terapia intensiva. Revista Online de Pesquisa, Cuidado é Fundamental, v. 9, n. 2, p. 551 – 557, abr./ jun. 2017.

FOLETTO, T. Síndrome de Burnout: Um estudo com trabalhadores de enfermagem de um hospital de pequeno porte. 2017, 48 f. Monografia (Bacharel em enfermagem) – Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC, Santa Cruz do Sul, 2017.

GLÓRIA, M. E; MARINHO, V. L; MOTA, D. S. Síndrome de Burnout nos profissionais da aérea de saúde. Revisão de literatura. Revista Amazônica Science & Health, v.4, n.3, p. 29 – 37, jul./ set. 2016.

LOURINHO, I. S. O impacto das transformações no mundo do trabalho no adoecimento do trabalhador. 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. de 2018.

MOURA, R. S. et al. Estresse da equipe de enfermagem atuante no cuidado na UTI adulto: Revisão integrativa. Revista Hórus, v. 9, n. 1, p. 35 – 52, 2014.

OLIVEIRA, L. P. S; ARAÚJO, G. F. Características da Síndrome de Burnout em enfermeiros da emergência de um hospital público. Revista Enfermagem Contemporânea, p. 34 – 42, jan./jun. 2016.

OLIVEIRA, R. Síndrome de Burnout em professores. 2016. Monografia (Graduação em Pedagogia) – Departamento de Educação, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande – PB, 2016.

PRODANOV, C. C; FREITAS, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. Ed. Novo Hamburgo: Freevale, 2013.

RISSARDO, M. P; GASPARINO, R. C. Exaustão emocional em enfermeiros de um hospital público. Escola Anna Nery, 17 (1): 128 – 132, jan./ mar. 2013.

SALVIANO, I. C. B. Síndrome de Burnout e profissionais de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Revista Saúde e Desenvolvimento, v. 10, n. 5, p. 158 – 179, jul./ dez. 2016.

SILVA, G. K. C. et al. Síndrome de Burnout em enfermeiros atuantes em unidade de terapia intensiva. Enfermagem Foco, 5(3/4): 75 – 78, 2014.

SILVA, R. S. P. M. O esgotamento do profissional enfermeiro: influências na assistência à saúde. Revista Rede de Cuidados em Saúde. Grande Rio, 2015.

SOARES, R. T.; PEREIRA, I. S. S. D. Síndrome de burnout: fatores que interferem na atuação da enfermagem. Revista Diálogos Possíveis, Salvador, ano 16, número 2, p.130 - 146, jul./dez. 2017.

SOUZA, A. M. J et al. Síndrome de Burnout: Fatores de risco em enfermeiros de unidades de terapia intensiva. C & D – Revista Eletrônica da FAINOR, Vitória da Conquista, v. 11, n. 2, p. 304 – 315, mai./ago. 2018.

SOUZA, V. S. et al. Qualidade de vida dos profissionais de enfermagem atuantes em setores críticos. Revista Cuidarte, v. 9, n.2, p. 2177 – 2186, 2018.

VALERETTO, F. A; ALVES, D. F. Fatores desencadeantes do estresse ocupacional e da síndrome de Burnout em enfermeiros. Revista Saúde Física e Mental – UNIABEU. v.3, n.2, p. 1 – 11, ago./dez. 2013.

VASCONCELOS, M. L. Síndrome de Burnout em enfermeiros que trabalham em unidades de terapia intensiva: Revisão integrativa. 2017. 26 f. TCC (Bacharel em enfermagem) – Departamento de Enfermagem, Faculdade de Ciências da Saúde, Brasília – DF, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-010

Refbacks

  • There are currently no refbacks.