Qualidade Físico-Química e Microbiológica da Água Utilizada em Bebedouros de Instituições de Ensino no Brasil: Revisão Sistemática da Literatura / Physical-Chemical and Microbiological Quality of Water Used in Drinking Fountains in Educational Institutions in Brazil: Systematic Literature Review

Daniela Lima Araújo, Rafael França Andrade

Abstract


A água é uma substância essencial da vida, sendo de extrema importância para o bom funcionamento do organismo, pois constitui cerca de 70% do corpo humano. A qualidade da água é avaliada por uma vasta variedade de parâmetros físicos, químicos e microbiológicos, para que, a água chegue até a população de uma maneira mais segura e confiável. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade físico-química e microbiológica da água utilizada em bebedouros de instituições de ensino no Brasil por meio de uma revisão sistemática da literatura, afim de analisar se estas encontram-se dentro dos padrões exigidos pelas legislações vigentes. Para elaboração do artigo foi utilizada a revisão sistemática da literatura e foram utilizados os seguintes bases de dados: Scielo, Lilacs, Bireme, PubMed e Google Acadêmico, que partiu inicialmente de 3.930 artigos publicados com texto completo nas bases de dados, após a leitura dos títulos, resumos e a leitura completa dos mesmos, foram selecionados 20 artigos que atendiam os critérios de inclusão. Diante dos artigos analisados, pode-se perceber a presença de coliformes totais e coliformes termotolerantes na maioria das águas analisadas, também formam encontrados em maior parte dos estudos os cloretos, pH, cloro residual livre, cor, alumínio, turbidez, fluoretos, estando estes em não conformidades com a legislação vigente. Portanto, conclui-se que os resultados obtidos dos artigos selecionados das análises microbiológica e físico-química da água utilizada em bebedouros de instituições de ensino, possibilitam compreender que as amostras de águas analisadas encontravam-se fora dos parâmetros conforme padrões de potabilidade estabelecidos pelas portarias 518/2004 e 2.914/2011, do Ministério da Saúde, sendo assim não é própria para o consumo humano. Faz-se necessário um monitoramento e manutenção da água dos bebedouros em relação ao parâmetro físico-químico e microbiológico, podendo assim garantir uma água de qualidade e prevenção de doenças.


Keywords


Água, Bebedouros,Físico-química, Microbiológica.

References


ALMEIDA, A. G. et al. ANÁLISE MICROBIOLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE BEBEDOUROS EM UNIDADES DEENSINO NO MUNICÍPIO DE ILHÉUS-BA. Revista de Saúde e Biologia, v.12, n.2, p.20-26, mai./ago., 2017.

ARAÚJO, E. de F. QUALIDADE DA ÁGUA UTILIZADA PARA O CONSUMO EM ESCOLAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE MONTEIRO - PB. Monografia. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE. SUMÉ – PB, 2016.

ARAÚJO, I. G. de et al. Avaliação físico-química e microbiológica da água consumida no município de Mãe-D’agua- PB. INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 1, p 07 - 11, jan - jun, 2017.

BARBOSA, C. M.; MARTINS, L. C. Uma análise físico-química da água no contexto social e científico no município de Nova Cruz/RN. In: IX Congresso de Iniciação Científica do IFRN. 2013.

BIRKHEUER, C. de F. et al. QUALIDADE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE CONSUMO HUMANO E ANIMAL DO BRASIL: ANÁLISE SISTEMÁTICA. Caderno pedagógico, Lajeado, v. 14, n. 1, p. 134-145, 2017.

BORTOLI, J. de. QUALIDADE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA UTILIZADA PARA CONSUMO HUMANO E DESSEDENTAÇÃO ANIMAL EM PROPRIEDADES RURAIS PRODUTORASDE LEITE NA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI/RS. Dissertação. Lajeado, fevereiro de 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria n. 518, de 25 de março de 2004. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. 2004.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. PORTARIA Nº 2.914, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. 2011.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 91, DE 30 DE JUNHO DE 2016. Dispõe sobre as Boas Práticas para o Sistema de Abastecimento de Água ou Solução Alternativa Coletiva de Abastecimento de Água em Portos, Aeroportos e Passagens de Fronteiras. Publicado em DOU nº 125, de 1º de julho de 2016.

BRILHANTE, S. C. et al. Análise microbiológica e físico-química da água de bebedouros utilizados em escolas públicas na cidade de Coremas-PB. INTESA – Informativo Técnico do Semiárido(Pombal-PB), v.10, n 1, p 05-08, Jan - Jun, 2016.

BURGOS, T. N. et al. Avaliação bacteriológica das águas de bebedouros do campus da Universidade Estadual de Londrina, PR. Revista Semina, Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 33, n. 2, p. 193-200, 2012.

CAMPOS, Danilo Aparecido Gatto, et al. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DESTINADA AO CONSUMO HUMANO EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 15, n. 1, p. 289-298, jan./jul. 2017.

CARVALHO, D. R. et al. Avaliação da qualidade físico-química e microbiológica da água em um Campus Universitário de Ipatinga – MG. Revista Digital de Nutrição. Ipatinga, v. 3, n. 5, 2009.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, controle da qualidade da água para consumo humano: bases conceituais e operacionais. São Paulo; 2008.

CONDE, T. T. et al. ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA EM ESCOLAS ESTADUAIS LOCALIZADAS NO MUNICÍPIO DE ARIQUEMES – RO. RBCA | v. 6 n. 1 | jan. – abr. | p. 1 – 62 | 2017.

COSWOSK. R. C. et al. ESTUDO DA POTABILIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NA CIDADE DE COLORADO DO OESTE. Revista Brasileira de Ciências da Amazônia, v2, n1 – 2013.

FUNASA. Manual Prático de Análise de Água. 4ª edição. Brasília. Fundação Nacional de Saúde, 2013.

GOBIRA, C. A.; DUARTE, S. F. P. Qualidade da água do Rio Ribeirão das Pedras e a água tratada para consumo no Município de Mata Verde-MG: Uma Análise Comparativa dos Fatores Físicos-Químicos e Microbiológicos. Id on Line Rev. Mult. Psic. v.12, n. 40. 2018.

HELLER, L.; PÁDUA, V. L. de. Abastecimento de água para consumo humano. 2. ed. rev. e atual. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2010. v. 2. 418 p.

KUHN, M. R. et al. AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS ARTESIANOS QUE ABASTECEM O DISTRITO DE BOA VISTA, NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO – RS. REVISTA DESTAQUES ACADÊMICOS, VOL. 7, N. 4, 2015.

LIMA, A. R. de, et al. Avaliação da qualidade da água em bebedouros em escolas de Ensino Fundamental I de cidade do Sertão do Pajeú-PE. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 10, n.2, p. 45-49, abr-jun, 2020.

LIMA, L. R. de. QUALIDADE DA ÁGUA UTILIZADA NAS ESCOLAS E CRECHES DO MUNICÍPIO DE APARECIDA, SERTÃO PARAIBANO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE. Dissertação. POMBAL-PB, 2017.

MACANHAM, D. C.; HARDOIM, E. L. QUALIDADE DA ÁGUA DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CUIABÁ, VÁRZEA GRANDE, MT. Biodiversidade - V.15, N3, 2016 - pág. 55.

MELO, R. A. Qualidade físico-química e microbiológica da água fornecida em bebedouros de escolas municipais em Cabedelo-PB. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. Dissertação. CAMPINA GRANDE – PB JANEIRO DE 2016.

MONTEIRO, I. H. et a. AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E BACTERIOLÓGICA DA ÁGUA OFERECIDA EM BEBEDOUROS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE RIO CASCA – MG. I Seminário Científico da FACIG – 29, 30 e 31 de Outubro de 2015.

MORATO, C. B. A.; ALMEIDA, T. A. de. Qualidade da água em uma escola municipal do alto sertão paraibano. Temas em Saúde. Volume 16, Número 3, Páginas 173 a 190, João Pessoa, 2016.

MUNIZ, J. M. Avaliação microbiológica, física e química da água de escolas públicas municipais de Uberaba – MG. Dissertação (Mestrado). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro – Campus Uberaba. Uberaba, 2013. p.141.

MUÑOZ, H. R. Razões para um debate sobre as interfaces da gestão dos recursos hídricos no contexto da Lei de Águas de 1997. In: (Coord.). Interfaces da gestão de recursos hídricos: desafios da Lei de Águas em 1997. 2. ed. Brasília, DF: Secretaria de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, p. 13-30, 2000.

NETO, S. E. de S. QUALIDADE DA ÁGUA FORNECIDA À POPULAÇÃO DE AREIA, PB. DISSERTACAO. Campina Grande, PB. FEVEREIRO-2013.

NEVES, A. A. M. et al. Avaliação físico-química e parasitológicade águas de bebedouros de uma instituição de ensino superior de Sobral-CE. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 14, n. 2, p. 8, 2016.

NEVES, A. M. et al. AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E PARASITOLÓGICADE ÁGUAS DE BEBEDOUROS DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE SOBRAL-CE. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 14, n. 2, p. 142-149, ago./dez. 2016.

OLIVEIRA, E. J. C. de, et al. ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE BEBEDOUROS DE ESCOLAS MUNICIPAIS NA CIDADE DE JARDIM – CEARÁ. Visão Acadêmica, Curitiba, v.20 n.1, Jan. - Mar./2019.

OLIVEIRA, K. A. de. QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO EM SOLUÇÃO ALTERNATIVA DE ABASTECIMENTO NO MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO, PERNAMBUCO. Monografia. Recife, 2011.

OLIVEIRA, M. F. de. METODOLOGIA CIENTÍFICA: um manual para a realização de pesquisas em administração. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CATALÃO-GO, 2011.

PACA, J. M. et al. Quality assessment of water intended for human consumption from Kwanza, Dande and Bengo rivers (Angola). Environmental Pollution, 2019.

PANDIT, A. B.; KUMAR, J. K. Clean Water for Developing Countries. Annual Review of Chemical and Biomolecular Engineering, v. 6, n. 1, p. 217–246, 2015.

PEREIRA, C. A. R. et al. O Estudo da Qualidade Microbiológica da Água de Consumo Humano na Comunidade Santa Fé. Saúde e Pesquisa, v. 4, n. 3, p. 393-400, set/dez. 2011.

POONIA, S. et al. Application of Water Quality Index for the Assessment of Suitability of Natural Sources of Water for Drinking in Rural Areas of East Sikkim, India. Indian Journal of Public Health, Volume 59, Issue 2, April-June, 2015.

QUEIROZ, Â. M. de, et al. Qualidade da água de bebedouros em escolas públicas de Mossoró. Revista Biociências, Taubaté, v. 23, n. 1, p. 46-52, 2017.

ROCHA, E. S. et al. Análise microbiológica da água de cozinhas e/ou cantinas das instituições de ensino do município de Teixeira de Freitas (BA). Revista Baiana de Saúde de Pública, v. 34, n. 3, p. 12, 2010.

SÁ, J. P. N. de, et al. Avaliação físico-química e microbiológica de água potável de uma instituição de ensino superior localizada na zona da mata mineira. Revista Brasileira de Gestão Ambiental (Pombal - PB - Brasil) v.11, n.1, p. 209-214, janeiro a dezembro, 2017.

SANTANA, Franklis B. F. Análise microbiológica e bromatológica da água em bebedouros de escolas públicas em Belém do Brejo do Cruz-PB. Revista Verde (Pombal - PB - Brasil) v. 10, n.2, p. 145 - 149, abr-jun, 2015.

SCURACCHIO, P. A.; FILHO, A. F. Qualidade da água utilizada para consumo em escolas no município de São Carlos, SP. Dissertação (Mestrado) apresentada ao programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição. Universidade Estadual Paulista, Araraquara. 2010.

SECO, B. M. S. et al. Avaliação bacteriológica das águas de bebedouros do campus da Universidade Estadual de Londrina – PR. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 33, n. 2, p. 193-200, jul./dez. 2012.

SILVA, A. K. S. AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA UTILIZADA NA PREPARAÇÃO DE MERENDAS ESCOLARES DE TRÊS ESCOLAS DO MUNICIPIO DE MISSÃO VELHA-CE. II Congresso Internacional das Ciencias Agrárias. COINTER – PDVAgro, 2017.

SILVA, G. A. M. et al. ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA TRATADA DO MUNICÍPIO DE CÓRREGO DO OURO. Revista Faculdade Montes Belos (FMB), v. 8, n° 1, p. 1-9, 2015.

SILVA, J. C. da. Análise da cobertura e qualidade da água para consumo humano e sua associação com o índice de desenvolvimento humano (IDH) em municípios do rio grande do sul, no período de 2007 a 2010. Mestrado em Saúde Coletiva. São Leopoldo (RS) Outubro de 2011.

SOARES, L. J.; OLIVEIRA, S. D. de. Estudo da Qualidade da Água dos Bebedouros do IFG – Câmpus Inhumas. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS. Trabalho de conclusão de curso. Inhumas, Março de 2017.

SOUZA, C. N. A. B. D. et al. Qualidade da água consumida em unidades de educação infantil no município de Mossoró-RN. Revista Ciência Plural, v. 1, n. 2, p. 11, 2015.

SOUZA, L. de, et al. QUALIDADE DA ÁGUA DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE IBIRAMA (SC)/BRASIL. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 7, n. 4, p. 563-587, out/dez. 2018.

SPERLING, M. V. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3º ed. Belo Horizonte v. 1: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, p. 452, 2005.

TRINDADE, G. de A. da, et al. Avaliação da qualidade da água em três Escolas Públicas da Cidade de Macapá, Amapá. Biota Amazônia, v. 5, n. 1, p. 7, 2015.

VIANA, M. S. et al. Qualidade físico-química das águas para abastecimento humano no município de Manhumirim (MG). REVISTA CIENTÍFICA DA FAMINAS – V. 6, N. 3, SET.-DEZ. de 2010.

VIANA, Milena Souza. Et al. Qualidade físico-química das águas para abastecimento humano no município de Manhumirim (MG). REVISTA CIENTÍFICA DA FAMINAS – V. 6, N. 3, SET.-DEZ. de 2010.

YASUI, J. C. ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA EM RESIDÊNCIAS LOCALIZADAS NO MUNICÍPIO DE PACAEMBU/SP. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). CAMPO MOURÃO, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n4-009

Refbacks

  • There are currently no refbacks.