Indicadores de qualidade na assistência à saúde da criança na atenção primária a saúde: uma revisão integrativa/Quality indicators in children's health care in primary health care: an integrative review

João Paulo Assunção Borges, Luciana Avila dos Santos, Ana Lúcia de Assis Simões

Abstract


Introdução: A Atenção Integral à Saúde da Criança representa uma das principais linhas de atuação para os profissionais que atuam na Estratégia de Saúde da Família (ESF), considerando a atual dimensão e complexidade das políticas públicas e a necessidade de fortalecimento dos eixos temáticos para o cuidado da criança, articulando as ações de saúde em todos os níveis de atenção. Os indicadores de qualidade podem ser empregados para planejar e estabelecer as ações assistenciais, de gestão e educação profissional continuada, analisar o desempenho e a qualidade da assistência, melhorar as atividades e adequar as não conformidades, permitindo o alinhamento das atividades com as metas da organização.Objetivos:Identificar as evidências científicas disponíveis sobre os indicadores de qualidade na assistência à saúde da criança na Atenção Primária a Saúde.Materiais e Métodos: Estudo qualitativo do tipo Revisão Não Sistemática (integrativa). A questão norteadora proposta para este estudo foi: “Quais são as evidências científicas disponíveis sobre os indicadores de qualidade na assistência à saúde da criança na Atenção Primária à Saúde? ” Foram realizadas as etapas: (1) escolha e delimitação do tema, (2) pesquisa nas bases de dados, (3) coleta de dados e categorização, (4) análise e avaliação dos artigos incluídos na revisão, (5) interpretação e discussão dos resultados, (6) síntese e apresentação dos resultados de forma descritiva. Para análise dos artigos utilizou-se um instrumento validado, composto pelos itens: 1) identificação (título do artigo, título do periódico, autores, país, idioma, ano de publicação); 2) instituição sede do estudo; 3) tipo de revista científica; 4) características metodológicas do estudo (tipo de pesquisa, objetivos, principais resultados, análise, implicações e nível de evidência) e 5) avaliação do rigor metodológico. Consultou-se as bases de dados científicas:  LILACS e MEDLINE. Realizada a leitura dos títulos, resumos e artigos completos, disponíveis on line, na íntegra, escritos em português e inglês, publicados entre janeiro de 2008 e janeiro de 2018. Resultados e Discussão: Foram obtidos 28 artigos na composição da amostra. Na etapa de coleta de dados e categorização dos estudos, o critério foi o semântico. A análise dos artigos permitiu compor as categorias: (1) Avaliação da APS e uso de indicadores, (2) Princípios da APS como indicadores de qualidade, (3) Percepção de profissionais, gestores e usuários sobre a APS e (4) Métodos e instrumentos de avaliação da APS. A primeira categoria foi denominada “Avaliação da APS e uso de indicadores”, encontrada em 50% (14) dos artigos. Avaliar o desempenho dos serviços e seu impacto na saúde da população oportuniza aos gestores que orientem a implantação, consolidação e reformulação das práticas da APS. Na segunda categoria encontrada em 25% (07) dos artigos, denominada “Princípios da APS como indicadores de qualidade”, foram agrupados artigos que tratam da avaliação dos atributos da APS. Os indicadores de saúde aplicados na ESF se referem à avaliação e monitoramento da qualidade da atenção, sobretudo do processo de trabalho das equipes. Além disso, avaliam a integralidade, embasando intervenções pontuais e coletivas, contribuindo na orientação ao usuário, prevenção e tratamento de doenças, favorecendo um acompanhamento direcionado à área de abrangência. A terceira categoria encontrada em 18% (05) dos artigos foi denominada “Percepção de profissionais, gestores e usuários sobre a APS”. Os artigos categorizados neste título convergem que a maioria dos profissionais da ESF possui algum conhecimento sobre os indicadores de saúde e, muitas vezes, o transmitem por meio de exemplos vivenciados na sua prática. Estes achados estão de acordo com a literatura científica que, além de monitorar e orientar ações, trabalhar com indicadores de saúde corresponde à construção de vínculo com o usuário, à mudança de foco para a dimensão do sujeito. Ressalta-se que os dados e indicadores da APS, são pouco empregados para nortear a tomada de decisões e a qualificação dos serviços e ações de saúde, visto que apenas monitorar não garante os avanços necessários. A quarta e última categoria, encontrada em 7% (02) dos artigos foi denominada “Métodos e instrumentos de avaliação da APS”. Avaliar o grau de orientação à APS de cada serviço de saúde ou equipe da ESF permite a produção de conhecimento sobre sua efetividade e qualidade.Conclusão: Avaliar o grau de orientação à APS de cada serviço de saúde ou da ESF permite a produção de conhecimento sobre sua efetividade e qualidade. A maioria dos artigos científicos acerca do tema central desta pesquisa convergem para a importância da avaliação dos serviços de saúde. Portanto, através deste estudo, foi possível verificar que ainda existem poucos trabalhos publicados na literatura nacional e internacional acerca da adoção de indicadores de qualidade específicos sobre atenção à saúde da criança, sendo necessária a realização de novas pesquisas a fim de conhecer mais profundamente sobre o tema.


Keywords


Atenção primária, Indicadores de Qualidade em Assistência à Saúde, Saúde da Criança.

References


Brasil. Portaria n. 2.488 de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1, 24 out. 2011.

Goulart FA de A. Saúde da Família: boas práticas e círculos virtuosos. Uberlândia: EDUFU, 2007.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.130, de 5 de agosto de 2015. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 149, 6 ago. 2015. Seção 1, p. 37.

Castro RCL, Knauth DR, Harzheim E, Hauser L, Duncan BB. Avaliação da qualidade da atenção primária pelos profissionais de saúde: comparação entre diferentes tipos de serviços. Cad. Saúde Pública [online]. 2012, 2012; 28(9): 1772-1784. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000900015.

Teixeira JDR, Camargo F de A, Tronchin DMM. A elaboração de indicadores de qualidade da assistência de enfermagem nos períodos puerperal e neonatal. Revista de Enfermagem da UERJ, 2006; 14(2): 271-86.

Mendes K, Silveira R, Galvão C. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Rev Texto & Contexto Enferm. 2008;17(4):758-764.

Pompeo D, Rossi L, Galvão C. Revisão integrativa: etapa inicial do processo de validação de diagnóstico de enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem. 2009;22(4):434-438.

Ursi E, Galvão C. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Revista Latino-americana de Enfermagem. 2006;14(1):124-131.

Carvalho MF, Vasconcelos MIO, Silva ARV, Meyer APGFV. Utilização de monitoramento e análise de indicadores na APS. SANARE, 2017; 16(1): 67-73.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Belo Horizonte: ESP-MG, 2009. 848p.

Oliveira e Silva CS, Fonseca ADG, Souza e Souza LP, Siqueira LG, Belasco AGS, Barbosa DA. Integralidade e Atenção Primária à Saúde: avaliação sob a ótica dos usuários. Ciência & Saúde Coletiva, 2014; 19(11): 4407-4415. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320141911.14122013.

Ribeiro JM, Siqueira SAV, Pinto LPS. Avaliação da atenção à saúde da criança (0-5 anos) no PSF de Teresópolis (RJ) segundo a percepção dos usuários. Ciência & Saúde Coletiva, 2010; 15(2): 517-527. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000200028.

Magalhães ACF, Ferreira AI, Corrêa LP, Rodrigues MC, Viegas SMF. Indicadores de saúde e qualidade de vida no contexto da atenção primária à saúde. Rev. Enferm. Cent. O. Min., 2012; 2(1): 31-42. http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.166

Oliveira WMA, Bezerra ALQ. Autoavaliação da estratégia saúde da família por Enfermeiros. Rev. enferm. UERJ, 2011; 19(1): 20-25.

van Stralen CJ, Almeida BS, van Stralen TBSousa, Lima AMD, Massote AW, Oliveira CL.Percepção dos usuários e profissionais de saúde sobre atenção básica. Cad. Saúde Pública. 2008; 24(Suppl 1): 148-158. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300019.

Andrade MV, Noronha K, Barbosa ACQ, Rocha TAH, Silva NC da, Calazans JA et al. A equidade na cobertura da Estratégia Saúde da Família em Minas Gerais, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2015; 31(6): 1175-1187. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00130414.

Almeida WS, Szwarcwald CL. Mortalidade infantil e acesso ao parto. Rev. Saúde Pública. 2012; 46(1): 68-76.

Cubas MR, Faoro NT, Moysés ST, Carvalho DR. Avaliação da Atenção Primária à Saúde: validação de instrumento para análise de desempenho dos serviços. Saúde Debate. 2017; 41(113): 471-485. http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201711310.

Lima A. Percepção dos gestores sobre o uso de indicadores nos serviços de saúde. Saúde Soc. 2015; 24(1): 61-71. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902015000100005.

Gil PJ. Primary care quality indicators for children: measuring quality in UK general practice. British Journal of General Practice. 2014; 64(629): 752-57. doi: 10.3399/bjgp14X682813

Sala A, Mendes JDV. Perfil de Indicadores da Atenção Primária à Saúde no Estado de São Paulo: retrospectiva de 10 anos. Saúde Soc. 2011; 20(4): 912-926. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902011000400009.

Fracolli LA, Gomes MFP, Nabão FRZ, Santos MS, Cappellini VK, Almeida ACC de. Instrumentos de avaliação da Atenção Primária à Saúde: revisão de literatura e metassíntese. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19(12): 4851-4860. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320141912.00572014.

Harzheim E, Duncan B, Stein A, Cunha C, Goncalves M, Trindade T et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC Health Serv Res. 2006; 5(156):1-7. doi: 10.1186/1472-6963-6-156.

Harzheim E, Starfield B, Rajmil L, Álvarez-Dardet C, Stein A. Internal consistency and reliability of Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil) for child health services. Cad Saude Pública. 2006; 22(8): 1649-659. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000800013.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.