Atribuições do enfermeiro na assistência e no apoio psicossocial prestados á vitimas do abuso sexual infantil / Nurse's duties in care and psychosocial support provided to victims of child sexual abuse

Andreza Halax Rebouças França, Pablo Ramon da Silva Carvalho, Vinicius Costa Maia Monteiro, Ana Júlia Queiroz Silva, Daniele Cristina Alves Fernandes, Ingrid Michelly Justino de Souza, Maria Kalídia Gomes Pinto, Wesley Queiroz Peixoto

Abstract


O presente artigo tem por função especificar as atribuições do enfermeiro diante do abuso infantil, apresentando a dominância de consequências comportamentais e clínicas. Trata-se de um estudo qualitativo da literatura, com caráter descritivo e exploratório. O enfermeiro tem uma maior relevância diante deste contexto mediante do cuidado, e apoio ao propagar o amor no que se diz a respeito da sistematização e da confiança na abordagem inicial do paciente. Além disso, objetivou apresentar a importância da atuação do enfermeiro na assistência e no apoio psicossocial as vítimas e familiares. Com isso, evidencia-se que o profissional precisa ter treinamento especifico para abordagem do abuso sexual infantil e ser preparado emocionalmente para melhor desenvolver suas atribuições e prestar um atendimento de qualidade.

 


Keywords


Sistematização do Atendimento. Abuso Sexual. Intrafamiliar. Cuidado Humanizado. Criança.

References


APOSTÓLICO M. R, EGRY E. Y, FORNARI L. F, GESSNER R. Accuracy of nursing diagnoses for identifying domestic violence against children. Rev Esc Enferm USP. 2017;51:e03290. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2017019103290

COSTA, S.F; TEIXEIRA, S. “A História Não Tem De Ser O Destino” o risco psicossocial em crianças com famílias disfuncionais. Revista de Psicologia da Criança e do Adolescente, v.7, n 1-2, p. 193-203, 2016.

EGRY, E.Y; APOSTÓLICO, M.R; MORAIS, T.C.P. Enfrentamento da violência infantil numa perspectiva de rede de atendimento dos profissionais da Atenção Primária em Saúde Atas CIAIQ, investigação qualitativa em saúde, 5º Congresso IBERO Americano em Investigação Qualitativa, v. 2. p. 1464-1471, 2016.

EGRY, E.Y; APOSTÓLICO, M.R; MORAIS, T.C.P. Notificação Da Violência Infantil, fluxos de atenção e o processo de trabalho dos profissionais da Atenção Primária em Saúde. Revista Ciência & Saúde Coletiva, V 23, n1, 2018.

EGRY, E.Y; APOSTÓLICO, M.R.; MORAIS, T.C.P; LISBOA, C.C.R. Enfrentar a violência infantil na atenção básica: como os profissionais percebem?. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 70, n. 1, p. 119-25, 2017.

ESTATUTODACRIANÇAEDOADOLESCENTE e legislação correlata [recurso eletrônico], Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990, e legislação correlata, 12 ed., Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014.

GARCIA, P.A; MACIEIRA, A.P; OLIVEIRA, D.E.S.D. O trabalho da equipe multiprofissional com crianças e adolescentes vítimas de violência sexual atendidas na unidade hospitalar. Revista do Laboratório de estudos da Violência da UNESP/Marília. N. 20, p. 29-56, 2017.

MARTINS, J.M. O abuso sexual infantil intrafamiliar: do segredo à elaboração. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica de Pernambuco. Pró- reitoria Acadêmica. Coordenação Geral de Pós Graduação. Mestrado em Psicologia Clínica. Recife, 2015.

OLIVEIRA, D.C.C; RUSSO, J.A. Abuso sexual infantil em laudos psicológicos: as “duas psicologias”. Physis Revista de Saúde Coletiva, v. 27, n. 3, p. 579- 604, 2017.

LEI FEDERAL PORTARIA Nº 1,968, DE 25 DE OUTUBRO DE 2001. O Ministro de Estado da Saúde, Art. 87, inciso II, da Constituição Federal, Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2001/prt1968_25_10_2001_rep.html

MATOS, A.T.C. Ideias e conhecimentos dos profissionais de saúde sobre o maltrato infantil. Tese (mestrado) – Universidade do Alarvo, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, 2017.

PIRES, A.C. Papel Do Enfermeiro Frente Ao Abuso Sexual De Crianças E Adolescentes. Centro Universitário De Brasilia- Uniceub, 2017.

RODRIGUES, A.A.B; SILVA, W.A.L; SANTOS, A.L; PARANHOS, S.B; AZEVEDO, B.A.R. A importância da assistência de enfermagem à criança e ao adolescente vítima de abuso sexual: uma revisão de literatura. Anais do IV Congresso de Educação em Saúde da Amazônia (COESA), Universidade Federal do Pará, 2015.

SÁ, C. M. Q; LIMA, E.I.S; RAMOS, F.M.C; SILVA, F.E.B; OLIVEIRA, R.S.; CARRILHO, C.A. Atuação da equipe de enfermagem frente à violência sexual contra crianças e adolescentes, Centro Universitário do Quixadá, Mostra Interdisciplinar do curso de Enfermagem, v. 2, 2016.

SANTOS, J.S; YAKUWA, M.S. A Estratégia Saúde da Família frente à violência contra crianças: revisão integrativo. Revista da Sociedade Brasileira de Enfermagem Pediátrica, v.15, n.1, p 38-43, 2015.

SANTOS, M.F.O; SANTOS, J.F; COSTA, M.F; FIGUEIREDO, N.C.G.A; TELES, P.F.S.P; TINOCO, K.F; SILVA, V.S; OLIVEIRA, F.B.M. Assistência de Enfermagem à criança vítima de abuso sexual, Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 9, n. 1, p. 995-1002, 2017.

SOARES, E.M.R; SILVA, N.L; MATOS, M.A.S; ARAÚJO, E. T. H; SILVA, L. E; LAGO, E. C. Perfil da Violência Sexual contra crianças e adolescentes Revista Interdisciplinar. V. 9, n. 1, p. 87-96, 2016.

SOMMER, D., FRANCISCATTO, L.G; GETELINA, G.O; SALVADOR, K. Caracterização da violência contra crianças e adolescentes: indicativos para a prática do enfermeiro. Revista de Enfermagem, FW,v.13, n.13, p. 14-28, 2017.

TAPIA, C.E.V; ANTONIASSI, L.J; AQUINO, J.P. O papel do enfermeiro frente ao abuso sexual de crianças e adolescentes. Revista Saúde em Foco, v. 1, n. 1, p. 93- 102, 2014.

UNICEF Brasil, 27 de maio de 2016. Disponível em: https://nacoesunidas.org/brasil-unicef-pede-tolerancia-zero-a-violencia-contra-criancas-e-adolescentes/amp/

VALERA, I.M.A; ALMEIDA, E.C; BALDISSERA, V.D.A; JAQUES, A.E; BUENO, S.M.V. Atuação da equipe de enfermagem diante da violência infanto-juvenil. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, v. 17, n.3, p.103-111, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-224

Refbacks

  • There are currently no refbacks.