Perfil Imunohistoquímico e tratamentos realizados em pacientes com câncer de mama atendidas em hospital de referência na região norte / Immunohistochemical profile and treatments performed in patients with breast cancer care at a reference hospital in the north region

Wellington dos Santos Silva, Alessandra Marques Bacciotti, Eliude Rodrigues do Nascimento Almeida, Francianne Silva Rocha

Abstract


O câncer de mama é um problema de saúde pública, não só em países subdesenvolvidos, como é o caso do Brasil, mas também desenvolvidos, como Estados Unidos e em alguns países da Europa Ocidental. A frequência de distribuição dos diferentes tipos de câncer é variável em função das características de cada região, o que enfatiza a necessidade do estudo das variações geográficas, dos fatores de risco e dos padrões desta doença que perpassam pelas particularidades regionais. Objetivo: O presente estudo descreve o perfil imunohistoquímico e os tratamentos das pacientes atendidas no hospital de referência em oncologia da região norte do país. Método: O estudo é transversal e descritivo, realizado por meio de entrevista e análise de prontuários clínicos de 114 pacientes atendidas no Hospital Ophir Loyola, entre os anos de 2016 e 2017, no município de Belém, no estado do Pará. Os dados foram apresentados em forma de frequência absoluta e relativa. Resultados: A classificação histopatológica de maior frequência foi carcinoma ductal invasivo e o perfil imunohistoquímico de maior ocorrência foi o luminal B, seguido de luminal A. Conclusão: O tipo histológico mais comum foi o carcinoma ductal infiltrativo e a imunohistoquimica com maior prevalência foi luminal B que estão diretamente associadas a mal prognóstico, o que evidencia a importância de ações de esclarecimento sobre detecção precoce, conhecimento da doença e incentivo à prática de exercício físico e alimentação saudável, de modo a reduzir a morbidade e mortalidade, melhorando o prognóstico das mulheres acometidas por esta patologia.


Keywords


câncer de mama, imunohistoquímica, tratamento oncológico.

References


GEBRIN, L.H.; QUADROS, L. G.A. Rastreamento do câncer de mama no Brasil. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. v.28, n.6, jun. 2006.

BRASIL. Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas do Carcinoma de Mama. Secretaria de Atenção à Saúde (MS). Portaria conjunta. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 mar. 18.

WANG, J.; YANG, X.; CAI, H.; TAN, W.; JIM & LILI, C. Discrimination of breast câncer with microcalfications on mammography by deep learning. Sci. Rep. v.6, n.27327. Disponível em: . Acesso em: 25 Ago 2016. doi: 10.1038/srep27327 (2016).

RIBEIRO, F.E.et al. Perfil físico e emocional de mulheres pós-cirurgia de câncer de mama. Colloquium Vitae, mai/ago 2014. v.6, n.2. p. 102-108. Disponível em: . Acesso em: 07 Jul 2015. DOI: 10.5747/cv.2014.v06.n2.v103

MARTA, G. N. et al. Câncer de mama estádio inicial e radioterapia: atualização. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 57, n. 4, p. 468-474, Ago. 2011. Disponível em . Acesso em: 25 Ago. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302011000400024

BRITO, C.; PORTELA, M.C.; VASCONCELLOS, M.T.L. Fatores associados à persistência à terapia hormonal em mulheres com câncer de mama. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 2, p. 284-295, Abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 07 Dez. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2014048004799.

RAFFO C.C., HUBIE, D.P et al. Perfil histológico e imuno-histoquímico das pacientes com câncer de mama operadas no Hospital Santa Casa de Curitiba no período de 2014 e 2015. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo. São Paulo (SP). 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 mar 18.

NOONE AM, Cronin KA, Altekruse SF, et al. Cancer incidence and survival trends by subtype using data from the surveillance epidemiology and end results program, 1992-2013. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2017; v. 26. n. 4. p. 32-41. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5380602/. Acesso em: 20 mar 18. doi: 10.1158/1055-9965.EPI-16-0520

ZHOU Z, QIAO JX, SHETTY A, et al. Retracted article: regulation of estrogen receptor signaling in breast carcinogenesis and breast cancer therapy. Cell Mol Life Sci. 2014; v. 71. n. 8. p. 1549

SARTURI et al. Perfil imunohistoquímicodo câncer de mama de pacientes atendidas no Hospital do Câncer de Cascavel – Paraná. Paraná (SC). Rev. Bras. de Oncologia Clínica. v. 8. n. 29. Julho – setembro. 2012.

CARLOS S, VALLEJOS HL, GÓMEZ WR. Cruz. Clinical breast cancer. 2010;10(4):294-300. In: CINTRA, J.R.D et al. Perfil imuno-histoquímico e variáveis clinicopatológicas no câncer de mama. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 58,n. 2,p. 178-187, Abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 1 Set. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302012000200013.

CIRQUEIRA M.B., et al. Subtipos moleculares do câncer de mama. Femina. Outubro 2011. v. 39. n. 10. Goiânia. Goiás. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100- 7254/2011/v39n10/a2965.pdf. Acesso em: 20 mar 18.

BARROS A.C.S.D. Câncer de mama. In: URBANETZ AA. Ginecologia e obstetrícia FEBRASGO para o médico residente. Barueri (SP): Manole; 2016. p.741-65.

CINTRA, J. R. D., et al . Perfil imuno-histoquímico e variáveis clinicopatológicas no câncer de mama. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo , v. 58, n. 2, p. 178-187, Abr. 2012 .

Disponívelem:.Acessoem27Mar.2018.http://dx.doi.org/10.1590/S010442302012000200013.

PERUZZI, C. P., ANDRADE, V.R.M. Análise dos marcadores imuno-histoquímicos associados com câncer de mama em mulheres na Região das Missões, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras Mastologia. 2016; v.26. n4. p.181-5. Disponível em: . Acesso em 27 mar 18.

SANTOS, J.W., TAKAKURA, E.T., SCHOELER, N.C., CORMANIQUE, T.F., PANIS, C. Estudo do perfil molecular do câncer de mama e seu prognóstico em mulheres do sudoeste do Paraná. Proceeding of the 1st Encontro Anual de Iniciação Científica, Tecnológica e Inovação; 2015. Centro de Ciências da Saúde, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel; 2015.

CARVALHO, F.M., BACCHI, L.M., PINCERATO, K.M., RIJN M.V., BACCHI, C.E. Geographic differences in the distribution of molecular subtypes of breast cancer in Brazil. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4153008/. Acesso em 27 mar. 18. BMC Women’s Health. 2014;14:102.

BARRETO-NETO N.J.S, PINHEIRO A.B., OLIVEIRA J.F., et al. Perfil epidemiológico dos subtipos moleculares de carcinoma ductal da mama em população de pacientes em Salvador, Bahia. Rev Bras Mastologia. 2014; v.24. n.4. p.98-102. Disponível em: . Acesso em 27 mar. 18. DOI: 10.5327/Z201400040002RBM

HADDAD, N.C., CARVALHO, A.C.A., NOVAES, C.O. Perfil sociodemográfico e de saúde de mulheres submetidas à cirurgia para câncer de mama. Rev Hosp Univers Pedro Ernesto.;n.14.v.1.p.2835.Disponívelem:. Acesso em 28 mar 18

BRASIL. Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas do Carcinoma de Mama. Secretaria de Atenção à Saúde (MS). Portaria conjunta. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 mar. 18.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-219

Refbacks

  • There are currently no refbacks.