O uso da metformina no diabetes Mellitus gestacional e na pré-eclâmpsia / The use of metformin in diabetes Mellitus gestational and pre-eclampsia

Gabriel Henrique Hobold, Ana Paula Vieira dos Santos Esteves

Abstract


Introdução: O Diabetes Mellitus Gestacional (DMG) é definido com uma alteração no metabolismo dos carboidratos que leva a hiperglicemia na gravidez e seu diagnóstico segue as recomendações da International Association of Diabetes in Pregnancy Study Group (IADPSG). A metformina é uma droga em expansão no papel terapêutico do DMG. Objetivos: Buscar evidências científicas da eficácia da metformina no tratamento do DMG, na prevenção de Pré-Eclâmpsia e comparar com a terapia insulínica. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática da literatura sem metanálise elaborada pela estratégia PICO que buscou evidências nas bases de dados Cochrane, PubMed, EBSCOhost, LILACS, SciELO e BVS através da análise dos estudos completos publicados nos últimos cinco anos em inglês ou português com o booleano “AND” para chaveamento dos descritores ou seus sinônimos. Resultados: As evidências presentes nos ensaios clínicos randomizados (ECRs) analisados sugerem que a terapia com metformina diminui taxas de grande para idade gestacional (GIG), pré-eclâmpsia, hipoglicemia neonatal, peso materno final, custo, hipertensão induzida pela gravidez e melhora o controle glicêmico; e a insulina diminui pequeno para idade gestacional (PIG) e prematuridade. Conclusões: Os desfechos maternos e neonatais são semelhantes na terapia com insulina ou metformina, porém não existem dados até o momento que explorem totalmente os efeitos a longo prazo e, portanto, não há evidências suficientes para definir qualquer conclusão sobre a terapia mais eficaz e esta pode ser baseada na experiência do médico em conjunto com a opinião da mulher ao incluir preferência, adesão, custo, acessibilidade a medicamentos e controle da hiperglicemia.


Keywords


metformina, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia.

References


Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Cadernos de Atenção Básica, nº 32: Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília. Editora do Ministério da Saúde. 2012.

Organização Pan-Americana da Saúde. Ministério da Saúde. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Sociedade Brasileira de Diabetes. Rastreamento e diagnóstico de diabetes mellitus gestacional no Brasil. Brasília. 2016.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Gestação de alto risco. 5ª edição. Brasília. Editora do Ministério da Saúde. 2012.

Oliveira J, Montenegro Junior R, Foss-Freitas M, Vencio S. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018. São Paulo. Editora Clannad. 2017.

American Diabetes Association. 2. Classification and Diagnosis of Diabetes. Diabetes Care. 2017.Vol.40.Nº1.P.1124. Disponívelem:http://care.diabetesjournals.org/content/diacare/suppl/2016/12/15/40.Supplement_1.DC1/DC_40_S1_final.pdf.

International Association of Diabetes and Pregnancy Study Groups Consensus Panel. International Association of Diabetes and Pregnancy Study Groups Recommendations on the Diagnosis and Classification of Hyperglycemia in Pregnancy. Diabetes Care. 2010. Vol. 33.Nº3.P.676682.Disponívelem:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2827530/.

American College of Obstetricians and Gynecologists Committee on Practice Bulletins, Caughey A. Gestational diabetes mellitus. Practice Bulletin. 2017. Vol. 130. Nº 1. P. 17-31.

Romero R et al. Metformin, the aspirin of the 21st century: its role in gestational diabetes mellitus, prevention of preeclampsia and cancer, and the promotion of longevity. Am J Obstet Gynecol. 2017. Vol. 201. Nº 3. P. 282-302. Disponível em: https://www.ajog.org/article/S0002-9378(17)30739-1/fulltext.

Baena CP. Revisão sistemática e metanálise: padrão ouro de evidência?. Rev Med UFPR. 2014. Vol. 1. Nº 2. P. 71-74. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revmedicaufpr/article/view/40706/pdf_4076.

Santos CMC, Pimenta CAM, Nobre MRC. A estratégia PICO para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Rev Latino-am Enfermagem. 2007. Vol. 15. Nº 3. P. 508-511. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v15n3/pt_v15n3a23.pdf.

Ainuddin J et al. Metformin versus insulin treatment in gestational diabetes in pregnancy in a developing country: A randomized control trial. Diabetes Res Cli Pract. Vol. 107. Nº 2. P. 290-299. Disponível em: https://www.diabetesresearchclinicalpractice.com/article/S0168-8227(14)00461-6/fulltext.

Eid SR at al. Is metformin a viable alternative to insulin in the treatment of gestational diabetes mellitus (GDM)? Comparison of maternal and neonatal outcomes. Egyptian Pediatric Association Gazette. 2018. Vol 66. Nº 1. P. 15-21. Disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1110663817300770?via%3Dihub.

Ruholamin S, Eshaghian S, Allame Z. Neonatal outcomes in women with gestational diabetes mellitus treated with metformin in compare with insulin: A randomized clinical trial. J Res Med Sci. 2014. Vol. 19. Nº 10. P. 970-975. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4274575/.

Powers AC, D’Alessio D. Pâncreas endócrino e farmacoterapia do diabetes melito e da hipoglicemia. In: Brunton L, Chabner B, Knollmann B. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman. 12ª edição. Porto Alegre. AMGH Editora Ltda. 2012. P. 1236-1273.

The HAPO Study Cooperative Research Group. Hyperglycemia and adverse pregnancy outcomes. N Engl J Med. 2008. Vol. 358. Nº 19. P. 1991-2002. Disponível em: https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa0707943.

Brown J et al. Insulin for the treatment os women with gestational diabetes. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2017. Vol. 11. Nº CD012037. Disponível em: http://cochranelibrary-wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD012037.pub2/epdf.

Alqudah A et al. Risk of pre-eclampsia in women taking metformin: a systematic review and meta-analysis. Diabet Med. 2018. Vol. 35. Nº 2. P. 160-172. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/dme.13523.

Farrar D et al. Treatments for gestational diabetes: a systematic review and meta-analysis. BMJOpen.2017.Vol.7.Nºe015557.Disponívelem:https://bmjopen.bmj.com/content/bmjopen/7/6/e015557.full.pdf.

Zhu B et al. Metformin versus insulin in gestational diabetes mellitus: a meta-analysis of randomized clinical trials. Ir J Med Sci. 2016. Vol. 185. Nº 2. P. 371-381. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s11845-016-1414-x.

Li G et al. Effect comparison of metformin with insulin treatment for gestational diabetes: a meta-analysis based on RCTs. Arch Gynecol Obstet. 2015. Vol. 292. Nº 1. P. 111-120. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs00404-014-3566-0.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-218

Refbacks

  • There are currently no refbacks.