Estudo etnobotânico de plantas medicinais utilizadas no Recanto Madre Paulina em Petrolina/PE / Ethnobotanical study of medicinal plants used in Recanto Madre Paulina in Petrolina / PE

Camila Mahara Dias Damasceno, Djenane Cristovam Souza, Ana Vitória Felix da Silva, Ana Mirelle Alves do Nascimento, Breno de Oliveira Amorim, Ioneide Barbosa Coelho

Abstract


As plantas medicinais são utilizadas há muito tempo pela população como alternativa para o tratamento de doenças, por isso estudos etnobotânicos, que consideram o saber popular, são de grande importância para os estudos de plantas medicinais. O objetivo geral desse trabalho foi realizar o estudo etnobotânico das plantas medicinais utilizadas no Recanto Madre Paulina em Petrolina-PE, instituição referência em fitoterapia. Foram coletadas todas as plantas cultivadas no Recanto, que no momento da coleta apresentavam partes férteis, para identificação botânica. Para coleta de dados sobre as plantas utilizadas pelos pacientes do Recanto Madre Paulina, foi realizada aleatoriamente uma busca nos prontuários de 140 pacientes. Dentre as 129 plantas cultivadas no Recanto Madre Paulina, foram identificadas 64 espécies, dessas, a mais utilizada foi Plantago major.


Keywords


etnobotânica, fitoterapia, plantas medicinais.

References


ALVIM, N. A. T. et al. O uso de plantas medicinais como recurso terapêutico: das influências da formação profissional às implicações éticas e legais de sua aplicabilidade como extensão da prática de cuidar realizada pela enfermeira. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 14, n. 3, p. 316-323.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília, 2006a. 92 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos

Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política nacional de plantas medicinais e fitoterápicos. Brasília, 2006b. 60 p.

INTERNATIONAL Plant Names Index (IPNI): banco de dados. Disponível

em:.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de

plantas arbóreas nativas do Brasil. vol. 1, 5. ed. Nova Odessa: Instituto

Plantarum de Estudos da Flora Ltda, 2008b. 384p.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de

plantas arbóreas nativas do Brasil. vol. 2, 3. ed. Nova Odessa: Instituto

Plantarum de Estudos da Flora Ltda, 2009a. 384p.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de

plantas arbóreas nativas do Brasil. vol. 3, 1. ed. Nova Odessa: Instituto

Plantarum de Estudos da Flora Ltda. 2009b. 384p.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e

exóticas. 1 Ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002. 512p.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e

exóticas. 2. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008. 544p.

LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: terrestre, aquáticas, parasitas e

tóxicas. 4. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008a. 640p.

MACIEL, M. A. M. et al. Plantas medicinais: a necessidade de estudos multidisciplinares. Química Nova, v. 25, n. 3, p. 429-438, 2002.

MISSOURI BOTANICAL GARDEN (MOBOT). Disponível em:

.

MORI, S. A. et al. Manual de manejo do herbário fanerogâmico. 2. ed. Ilhéus: Centro de Pesquisas do Cacau,1989.104p.

QUEIROZ, L. P. Leguminosas da Caatinga. Feira de Santana: Universidade

Estadual de Feira de Santana, 2009. 467p.

SANTOS, O. J.; TORRES, O. J. M. Phytotherapy evolution in the healing process in surgery. ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo), v. 25, n. 3, p. 139, 2012.

SANTOS, R. I. Metabolismo básico e origem dos metabólitos secundários. In: SIMÕES, C. M. O.; SCHENKEL, E. P.; GOSMANN, G.; MELLO, J. C. P.; MENTZ, L. A.; PETROVICK, P. R. (Org.). Farmacognosia da planta ao medicamento. 5. ed. Porto Alegre/Florianópolis: Editora da UFRGS/Editora da UFSC, 2004. cap. 16, p. 403-434.

SARTI, S. J.; CARVALHO, J. C. T. Fitoterapia e fitoterápicos. In: CARVALHO, J. C. T. Fitoterápicos anti-inflamatórios: aspectos químicos, farmacológicos e aplicações terapêuticas. Ribeirão Preto: Tecmedd, 2004. cap. 1, p. 14-38.

SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática: guia ilustrado para

identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira, baseado

em APG II. 3. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2012. 768p.

THE ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP - APG II. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG II. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 141, p. 399-436, 2003.

VEIGA JUNIOR, V. F.; PINTO, A. C.; MACIEL, M. A. M. Plantas medicinais: cura segura? Química Nova, v. 28, n. 3, p. 519-528, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-216

Refbacks

  • There are currently no refbacks.