Incidência do Papiloma Vírus Humano – HPV em gestantes: uma revisão integrativa / Incidence of Human Papilloma Virus - HPV in pregnant women: an integrative review

Emanuella Silva Cirino, Mirella Cristina Leto Barbosa

Abstract


Objetivo: fazer uma revisão integrativa da literatura para discutir incidência do Papiloma Vírus Humano – HPV em gestantes. Além disso traçar um perfil dessas gestantes, no que diz respeito a idade, grau de instrução escolar, número de gestações e parceiros e a acima de tudo verificar se as infecções foram causadas pela falta de conhecimento sobre a temática abordada. Metodologia: Para a realização da pesquisa bibliográfica foram utilizados artigos científicos indexados em bancos de dados de pesquisa eletrônica Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), PubMed e Google Acadêmico, foram considerados todos os artigos científicos publicados entre 2009 a 2019.Resultados: Somando-se todas as bases de dados, foram encon­trados 897 artigos. Para a seleção dos artigos foi dividida em três etapas. A primeira etapa constituiu-se na leitura do título dos artigos, em que foram selecionados 50 apenas aqueles com termos relacionados HPV. Em seguida, partiu-se para a segunda etapa, na qual foram lidos os resumos dos artigos incluídos na primeira fase, dentre os quais foram escolhidos 20 artigos que atendiam os critérios de inclusão inicialmente propostos. Na terceira e última etapa, foi avaliado o texto completo dos artigos selecionados na segunda etapa, e por fim, selecionou-se 7 artigos de interesse.  Conclusões: Os resultados deste estudo demonstraram que a prevalência de HPV em mulheres grávidas relaciona-se à falta de conhecimento e múltiplos parceiros. Foi possível observar que, em suma, a maioria delas são jovens e adolescentes que já estão na segunda ou terceira gravidez e que mesmo utilizando métodos contraceptivos não conseguiram se isentar de ambas as situações por conta da falta de conhecimento do uso dos métodos.


Keywords


Papiloma Vírus Humano, Gravidez, HPV, IST.

References


AYRES, J. R.; PAIVA, V.; JÚNIOR, I. F. CONCEITOS E PRÁTICAS DE PREVENÇÃO: DA HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA AO QUADRO DA VULNERABILIDADE E DIREITOS HUMANOS. In: PAIVA, V.; AYRES, J. R.;

Brandão, V.C.R.B., Lacerda , H.R., Ximenes, R.A.A. Frequência de Papilomavírus humano (HPV) e Chlamydia trachomatis em gestantes. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 19(1):43-50, jan-mar 2010

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS, AIDS E HEPATITES VIRAIS. Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde, 2016, 54p.

Carret MLV, Fassa AG, Silveira DS, Bertoldi AD, Hallal PC. Sintomas de doenças sexualmente transmissíveis em adultos: prevalência e fatores de risco. Rev Saude Publica. 2004 fev;38(1):76-84.

Cho G, Min KJ, Hong HR, Kim S, Hong JH, Lee JK, et al. High-risk human papillomavirus infection is associated with premature rupture of membranes.

BMC Pregnancy Childbirth. 2013 Sep;13:173.

COSTA, M.C. et al. Doenças sexualmente transmissíveis na gestação: uma síntese de particularidades. An Bras Dermatol. v.85, n.6, 2010.

FERREIRA, H.; LALA, E.R.P. & MANSOUR, F.R. Frequência de Papilomavirus Humano (HPV) em gestantes. Perspectivas Online: Biológicas e Saúde, v.7, n.25, p.44-53, 2017.

Instituto Nacional de Câncer (BR). Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil: neoplasia maligna da mama feminina e colo do útero [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2017 [citado 2018 abr 24]. Disponível em: http://www.inca.gov.br/ estimativa/2018/mapa-mama-feminina-colo-utero.asp.

Kwon JY, Romero R, Mor G. New insights into the relationship between viral infection and pregnancy complications. Am J Reprod Immunol. 2014 May;71(5):387-90.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARCHEZINI, R.M.R.; OLIVEIRA, D.A.M.; FAGUNDES, L.J. AS INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS EM SERVIÇO ESPECIALIZADO: QUAIS SÃO E QUEM AS TEM. RevEnferm UFPE online. Recife, v.12, n.1, p. 137-49, dez/jan. 2018.

Mendes SS. Saberes e atitudes dos adolescentes frente à contracepção. Rev.

paul. pediatr. 2011 .29(3):385-91.

Mor G, Cardenas I. The immune system in pregnancy: a unique complexity. Am J Reprod Immunol. 2010 May;63(6):425-33.

Nader PRA, Cosme LA. Parto prematuro de adolescentes: influência de fatores

sociodemográficos e reprodutivos. Esc. Anna Nery Rev. Enferm. 14(2):338-45.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Orientações para o tratamento de infecções sexualmente transmissíveis. 2005. 93p. Disponível em: < http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/42782/2/9248546269_por.pdf >

Pimenta a. t. m., Duarte G., Couto-FernanDez J. C., Correa i. a., melli P. P. S., Quintana S. m. GESTANTES HIV-1: CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS E SOCIODEMOGRÁFICAS. Revista de Atenção à Saúde, v. 13, no 45, jul./set. 2015, p.20-25

Pinto JF, Oliveira VJ, Souza MC. PERFIL DAS ADOLESCENTES GRÁVIDAS NO SETOR SAÚDE DO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS –

MINAS GERAIS. R. Enferm. Cent. O. Min. 2013 jan/abr; 3(1):518-530

Singhal P, Marfatia Y S. Human papillomavirus vaccine. Indian J Sex Transm Dis 2009;30:51-2

Skoczyn´ski M, Gozdzicka-Józefiak A, Kwasniewska A. The prevalence of human papillomavirus between the neonates and their mothers. BioMed Res Int. 2015;2015:126417

Sousa GP, et al. Aspectos clínicos e epidemiológicos da infecção genital pelo papilomavírus humano em gestantes. Rev Pan-Amaz Saude 2018; 9(3):31-38




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-214

Refbacks

  • There are currently no refbacks.