Análise antropométrica, somatotípica e dermatoglífica na categoria wellness / Anthropometric, somatotype and dermatoglyphic analysis in the welness category

Thiago Batista Campos de Sousa

Abstract


Tendo o desígnio primário de intervir numa das principais categorias do fisiculturismo, a intervenção manipulou variáveis antropométricas e somatotípicas, evidenciando as características corporais exigidas em competições e suas possíveis correlações com a banca de arbitragem. Metodologia: Tratando de um estudo de caso, do tipo confirmatório, contou com a participação de três voluntárias que competiram num dos eventos chancelados pela Federação Paraibana de culturismo Musculação e Fitness – FPCM-F. Resultados: Decorrente da maior manipulação dos protocolos, foram encontradas correlações entre as colocações das competidoras e determinadas classificações antropométricas, sendo destacado o condicionamento, tendo em vista o menor percentual adiposo, menor área gorda segmentar, maior percentual da massa muscular, desenvolvimento do tórax e quadril. Considerando que, com esses achados, as hipóteses anteriormente levantadas foram sutilmente confirmadas, proporcionando afirmar que os precisos protocolos antropométricos são capazes de discernir os desfechos das competições. Contudo, em toda a amostra foi alcançada a classificação da massa adiposa como muito baixa, e massa muscular muito alta quando comparada com a população comum, sendo nas análises das áreas segmentares que destacou o menor ou maior condicionamento, correlacionando com as colocações da amostra. A análise dermatoglífica evidenciou que, para a categoria wellness da referida competição, as mulheres primeiras colocadas foram favorecidas geneticamente, tendo indicativos para ótimas respostas a programas de treinamentos hipertróficos e de força. Conclusão: Sendo pioneira a investigar e identificar os critérios da banca de arbitragem, especificamente na categoria wellness, o presente trabalho também propicia, pelo maior cabedal de variáveis antropométricas manipuladas, que posteriores intervenções melhor explorem as possibilidades de matematização do quadro.


Keywords


imagem corporal, antropometria, dermatoglifia.

References


ALVAREZ, B.R.; PAVAN, A.L. Alturas e comprimentos. In: PETROSKI, E.L. (edt). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p.33-47.

BENEDETTI, T.R.B.; PINHO, R.A.; RAMOS, V.M. Dobras Cutâneas. In: PETROSKI, E.L. (edt). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p.49-60.

BERGMAN, R.N.; STEFANOVSKI, D.; BUCHANAN, T.A.; SUMNER, A.E.; REYNOLDS, J.C.; SEBRING, N.G.; XIANG, A.H.; WATANABE, R.M. A better index of body adiposity. Obesity Journal, v. 19, n. 5, p. 1083-1089, 2011.

BRAFF. Bate-Papo com o Presidente (14/08/2019). Rio de Janeiro: Confederação Brasil Fisiculturismo e Fitness, 2019. DVD-Rom.

CESCHINI, F.L. Avaliação Física para o Treinamento Individualizado. São Paulo: Viajando pela Fisiologia, 2018. Curso Online. Aula ao VIVO do dia 08/07 (Gravação). Disponível em: < https://avaliacaofisicatotalparatreina.club.hotmart.com/lesson/Zy4bNMNd4R/aulas-ao-vivo >. Acessado em 01 jan. 2020.

DE SOUSA, T. B. C. Intervenção Antropométrica, Somatotípica e Dermatoglífica num dos Campeonatos da Federação Paraibana de Culturismo, Musculação e Fitness. Coleção Pesquisa em Educação Física, Várzea Paulista, v. 18, n. 1, p. 75-84, 2019. Disponível em: < https://fontouraeditora.com.br/periodico/home/viewArticle/1408 >. Acessado em 01 jan. 2020

DE SOUSA, T.B.C. Intervenção Antropométrica, Somatotípica e Dermatoglífica em uma das Campeãs pela Federação Paraibana de Culturismo, Musculação e Fitness: estudo de caso. Biomotriz, Cruz Alta, v. 14, n. 1, p. 65-75, 2020. Disponível em: < http://revistaeletronica.unicruz.edu.br/index.php/BIOMOTRIZ/article/view/9519/pdf_168 >. Acessado em 01 jan. 2020.

EMA, R.; WAKAHARA, T.; MIYAMOTO, N.; KANEHISA, H.; KAWAKAMIYOICHI, Y. Inhomogeneous architectural changes of the quadriceps femoris induced by resistance training. European journal of applied physiology, v. 113, n. 11, p. 2691-2703, 2013.

FERNANDES FILHO, J. Dermatoglifia. Rio de Janeiro: JFF, 2016. CD-Rom.

GAINES, R.P. Comparison of Anthropometric Measures of Competitive Bodybuilders to Judges’ Scores and a Comparison of Judges’ Scores. 2001. 195f. Tese (Doutorado em Filosofia)–Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia, Blacksburg, 2001.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOTTFRIED, R.G. A comparison of anthropometric measurements from competitive female bodybuilders and their contest scores. 1990. 74f. Dissertação (Mestrado em Artes)–Universidade Estadual de São José, São José, 1990.

GUEDES, D.P.; GUEDES, J.E.R.P. Manual prático para avaliação em educação física. Barueri: Manole, 2006.

GUIMARÃES NETO, W.M.; MENDONÇA, A.R. Fecha a cara e treina. São Paulo: Phorte, 2013.

HOLWAY F. Composición corporal en nutrición deportiva. In: BOULLOSA, M.B.; PENICHE, Z.C. Nutrición Aplicada al deporte. Madrid: McGraw Hill, 2011. p. 195-218.

KERR, D.A. An anthropometric method for the fractionation of skin, adipose, muscle, bone and residual tissue masses in males and females age 6 to 77 years. 1988. 126f. Dissertação (Mestrado em Ciência na Escola de Cinesiologia)–Universidade Simon Fraser, Vancouver, 1988.

KOPECKÝ, M.; MATEJOVIČOVÁ, B.; CYMEK, L.; ROŻNOWSKI, J.; ŠVARC, M. Manual of Physical Anthropology. Univerzita Palackého v Olomouci, 2019.

LEE, J.Y.; ISTOOK, C.L.; NAM, Y.J.; PARK, S.M. Comparison of body shape between USA and Korean women. International Journal of Clothing Science and Technology, v. 19, n. 5, p. 374-391, 2007.

MARTINS, M.O.; LOPES, M.A. Perímetros. In: PETROSKI, E.L. (edt). Antropometria: técnicas e padronizações. 5.ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. p.61-74.

METZGER, N. „Es sind noch große Forschungserträge zu erhoffen “: entwicklungen der konstitutionslehre in den 1920er jahren" significant results are to be expected" trends in 1920s constitutional medicine. Medizinhistorisches Journal, n. 52, p. 270-307, 2017.

MOURA, J.A.R. Antropometria e composição corporal. Blumenau: Legere, 2014.

OLIVEIRA, L.S.; GOMES, J.R.D.; SOUZA, D.A.N.; MENDES, J.F.; CRISPINIANO, E.C.; ANICETO, R.R. Assimetrias de coxa não influenciam a força isométrica e dinâmica de mulheres adultas jovens. RBPFEX-Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 10, n. 58, p. 247-253, 2016.

PAIVA, L. Pronto pra Guerra. Manaus: OMP, 2009.

POMPEU, F.A.M.S. Manual de Cineantropometria. Rio de Janeiro: Sprint, 2004.

ROSS, W.D.; KERR, D.A. Fraccionament de la massa corporal: un nou métode per utilitzar en nutrició clínica i medicina esportiva. Apunts: medicina de l'esport, v. 28, n. 109, p. 175-188, 1991.

ROSS, W.D.; WILSON, N.C. A stratagem for proportional growth assessment. Acta Paediatr Belg, v. 28 (Suppl), p. 169-182, 1974.

STEWART, A.; MARFELL-JONES, M.; OLDS, T.; RIDDER. H. International Standards for Anthropometric Assessment. Lower Hutt: ISAK, 2011.

SUPLEMENTAÇÃO. São Paulo: [s.n.]. ano 11, n.56, 2018.

SUPLEMENTAÇÃO. São Paulo: [s.n.]. ano 12, n.60, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-215

Refbacks

  • There are currently no refbacks.