Medicina antroposófica bases epistemológicas e filosóficas: Um estudo bibliométrico / Antroposophic medicine epistemological and philosophical bases: A bibliometric study

Pablo Ramon da Silva Carvalho, Kalyane Kelly Duarte de Oliveira, Andreza Halax Rebouças França, Bruno Vinicios Silva de Araújo, Helder Matheus Alves Fernandes, Maria Kalídia Gomes Pinto, Vinícius Costa Maia Monteiro, Wesley Queiroz Peixoto

Abstract


Este estudo objetiva conhecer o que a literatura especializada em saúde traz a respeito da antroposofia, como também descrever o panorama da produção científica sobre as bases epistemológica e filosófica desta ciência. Trata-se de uma pesquisa exploratória com abordagem quantitativa, foram utilizadas técnicas estatísticas e matemáticas para a análise da produção científica por meio da bibliometria. A busca por artigos desenvolveu-se pela procura de produções científicas baseada em artigos publicados em periódicos e anais de congressos indexados na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Definiu-se palavras-chaves em português e inglês, utilizando as seguintes expressões de busca: Antroposofia. Prática Holística. Corpo etérico. Como também, Anthroposophy. Holistic Nursing. Etheric body. Em seguida, foram definidos critérios de inclusão e exclusão. A pesquisa foi realizada de forma pareada para melhor quantificação dos resultados. A medicina antroposófica (MA) apresenta uma abordagem multidisciplinar que permite que outras modalidades de terapia sejam inclusos ao tratamento, além da medicamentosa. Permitindo que a assistência seja mais ampla e direcionado ao indivíduo  um todo, em sua total singulaidade. A pesquisa evidenciou diferentes campos de pesquisa, na qual o Brasil obteve destaque, como um dos países com maior número de publicações aos quais a medicina antroposófica e as suas respectivas bases foram evidenciadas. Entretanto, este pesquisa aponta para a necessidade de estudos mais aprofundados a respeito da MA.


Keywords


Antroposofia, Hermenêutica, Medicina complementar.

References


BARROS, Nelson Filice. In: A construção da medicina integrativa: um desafio para o campo da saúde; 2008.

BERGOLD LB, Alvim NAT. A música terapêutica como uma tecnologia aplicada ao cuidado e ao ensino de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009;13(3):537-42.

BOTT V. An introduction to anthroposophic medicine. Extending the art of healing. 2nd ed. Forest Row: Sophia Books; 2004

BOTT V. O método cognitivo de Goethe: linhas básicas para uma gnosiologia da cosmovião goetheana. São Paulo: Antroposófica; 2004.

CARVALHO G, Daniele Fernanda; DE OLIVEIRA NOGUEIRA, A. T; GIESBRECHT PUGGINA, A. C. O uso da música na assistência de enfermagem no Brasil: uma revisão bibliográfica. Cogitare enfermagem, v. 13, n. 4, 2008.

EVANS M, Rodger I. Anthroposophical medicine. Healing for body, soul and spirit. London: Thorsons; 1992.

FIGUEIREDO, N. M. Desenvolvimento e Avaliação de Coleções. Rio de Janeiro: Rabiskus, 1993.

FOLLADOR, Eliane Carapela Rodrigues. "Medicina antroposófica: um novo paradigma para as questões da medicina moderna." Revista de Medicina 92.3 (2013): 166-172.

HAMRE, H. J. et al. Long-term outcomes of anthroposophic treatment for chronic disease: a four-year follow-up analysis of 1510 patients from a prospective observational study in routine outpatient settings. BMC research notes, v. 6, n. 1, p. 269, 2013.

HANNS, L. A. (2004). Regulamentação em debate. Psicologia Ciência e Profissão - Diálogos, 1 (1), 6-13.

HEUSSER P. A basis for the understanding of anthroposophical medicine and cancer therapy. Trad. Harold Jurgens. Chestnut Ridge, NY: Mercury Press; 1991.

MERHY, E.E.; PINTO, A.H. Cuidado com o trabalho vivo em ato: interrogue-o. Rio de Janeiro, 2007.

PHILIPPINI, A. A. Transdisciplinaridade e arteterapia. Questões de arteterapia, p. 11- 7, 2004.

QUEIRÓZ, M. I. de P. O pesquisador, o problema da pesquisa, a escolha de técnicas: algumas reflexões. In: Lang, A.B.S.G., org. Reflexões sobre a pesquisa sociológica. São Paulo, Centro de Estudos Rurais e Urbanos, 1992. p. 13-29.

RACHMAN, S., &. Maser, J. D. (1988). Panic: Psychological perspectives. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum Associates.

RAO, I. K. Métodos Quantitativos em Biblioteconomia e em Ciência da Informação. Brasília: ABDF, 1986.

SAES, Sueli Gonsalez. Estudo bibliométrico das publicações em economia da saúde, no Brasil, 1989 – 1998. Dissertação de mestrado FSP/USP, 2000.

SCHWAB, J. H. et al. Eurythmy Therapy in Anxiety. Alternative Therapies in Health and Medicine, v. 17, n. 4, p. 56, 2011.

STEINER R, Wergman I. Elementos fundamentais para uma ampliação da arte de curar. São Paulo: Antroposófica; 2007.

STEINER R. A fisiologia oculta: aspectos supra-sensíveis do organismo humano: elementos para uma medicina ampliada. 4a ed. São Paulo: Antroposófica; 2007.

STEINER R. A fisiologia oculta: aspectos supra-sensíveis do organismo humano: elementos para uma medicina ampliada. 4a ed. São Paulo: Antroposófica; 2007.

STEINER R. The healing process: spirit, nature and our bodies: lectures. 28, 1923 – August 29, 1924, in various cities. Hudson: Anthroposophic Press; 1999.

VOGEL H-H, McKibbon M. Finding remedies. Spiritual knowledge of man and nature. Berlin: Natur Mensch Medizin Verlags; 2000.

WARREN, H.C. Dicionário de Psicologia. México (DF): Fondo de Cultura Economica, 1991.

WOOD, E.C.; BECKER, P.D. (1984). Massagem de Beard. Manole, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-206

Refbacks

  • There are currently no refbacks.