Caracterização dos pacientes atendidos pelo programa de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) nos anos de 2016 e 2017 no município de Marabá, Pará / Characterization of patients treated by the Out of Home Treatment (TFD) program in the years 2016 and 2017 in the municipality of Maraba, Para

Lucas Lopes da Costa, Anderson Braga Rodrigues Cardoso, Lucas Ribeiro Silva Sodré, Pedro Henrique de Oliveira Fornaciari, Laís Balla Lucena, Dayane Diniz Martins, Karina Keila Monteiro Almeida, Cilene Aparecida de Souza Melo

Abstract


O programa de Tratamento Fora do Domicílio (TFD), instituído pelo Ministério da Saúde, é uma das estratégias que visa garantir o direito e a viabilidade da assistência de saúde dos pacientes em outras localidades. O presente estudo tem como objetivo, caracterizar o TFD no município de Marabá (PA), além de conhecer o perfil dos usuários. Trata-se de um estudo retrospectivo, transversal, quantitativo com enfoque descritivo, realizado na Secretaria Municipal de Saúde, sendo utilizado um questionário semiestruturado, contendo 14 perguntas para coleta dos dados nos prontuários nos anos de 2016 e 2017. O estudo demonstrou que a faixa etária mais prevalente na utilização do serviço foi a de 0 a 10 anos, para ambos os sexos. Sendo a principal patologia encontrada nos pacientes que buscam o TDF, os cânceres, em destaque, os de próstata, mama e útero. Referente aos custos totais observou-se gastos significativos para o município, cerca de R$ 420.160,75 nos dois anos do estudo, sendo os maiores relacionados aos pacientes de oncologia, com um montante de R$ 173.741,25. O presente trabalho é de extrema importância, constituindo-se uma ferramenta para gestão pública para Marabá, evidenciando uma ampla demanda de pacientes no TFD com elevado ônus para o município. Portanto, este estudo pode servir de subsídio para uma melhor gestão desses recursos, de forma que os resultados podem alicerçar a criação de políticas públicas que visem o aperfeiçoamento do programa e até mesmo modificar a estrutura da saúde no município através convênios ou instalação de serviços necessários para melhor atender à população.


Keywords


Estudo Retrospectivo, Assistência Ambulatorial, Serviço Hospitalar de Oncologia, Direitos do Paciente. Gastos em Saúde.

References


BARBOSA, H. H. M. M.; SANTOS, A. L. M.; CRUZ, R. A. P.; BORGES, R. G. L.; NETO, T. S. R. Perfil dos pacientes atendidos pelo programa Tratamento Fora de Domicílio no Município de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 3, p. 43-47, outubro, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. DATASUS. CNES - Estabelecimento por nível de atenção. Ambulatório e hospitais de média e alta complexidade segundo Município de Marabá-PA, 2018. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?cnes/cnv/atencpa.def. Acessado em: 18 de março de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 55, de 24/02/1999. Secretaria de Atenção à Saúde.Disponívelem:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/1999/prt0055_24_02_1999.html. Acessado em: 11 de maio de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual estadual de tratamento fora do domicílio – TFD. Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, 2010. Disponível em: https://www2.mppa.mp.br/sistemas/gcsubsites/upload/79/instrucoes_TFD.pdf. Acessado em: 01 de junho de 2018.

CHRISTÓFORO, R. Z. et al. Análise do impacto da ação Outubro Rosa: Exame colpocitopatológico do colo de útero. Anais. Conex, v. 12, p. 1-7, junho, 2014.

COUTO, V. B. M. et al. “Além da Mama”: o cenário do outubro rosa no aprendizado da formação médica. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 41, n. 1, p. 30-37, 2017.

ESPÍRITO SANTO. Secretaria do Estado da Saúde. Manual de normatização do tratamento fora do domicilio do estado do Espírito Santo – TFD. Vitória-ES: 2015. Disponível em: http://saude.es.gov.br/Media/sesa/TFD/Manual%20TFD%202015_.pdf. Acessado em: 11 de maio de 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Demográfico 2010, Marabá–PA. Rio de Janeiro: IBGE, 2017(a). Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/maraba/panorama. Acessado em: 03 de novembro de 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Demográfico 2010. Brasil: IBGE, 2017(b). Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama. Acessado em: 29 de maio de 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER – INCA. Incidência de câncer no Brasil para 2018. Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/casos-brasil-consolidado.asp. Acessado em: 29 de maio de 2018.

MINAS GERAIS. Secretaria Municipal de Saúde. Manual de normatização do tratamento fora do domicílio - TFD. Divinópolis - Minas Gerais, 2014. Disponível em: https://www.divinopolis.mg.gov.br/arquivos/46_tfd.pdf. Acessado em: 11 de maio de 2018.

RIO DE JANEIRO. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Estimativa 2016: Incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2015. Disponível em: http://santacasadermatoazulay.com.br/wp-content/uploads/2017/06/estimativa-2016-v11.pdf. Acessado em: 01 de junho de 2018.

SÁ, E.G.L.; SILVA, A.B.; LINS, R.R.; SANTOS, V.C.S. Programa Tratamento Fora de Domicílio (TFD): uma análise dos serviços prestados no município de Petrolina-PE. Congresso Internacional de Administração, 2016.

SANTOS, E.G.A. et al. Perfil clínico-epidemiológico de idosos submetidos à quimioterapia antineoplásica atendidos em um hospital de referência oncológica do estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde., v. 8, n. 2, p. 47-56, janeiro, 2017.

SILVA, S. B. et al. Uma comparação dos custos do transplante renal em relação às diálises no Brasil. Caderno Saúde Pública, v. 32, n. 6, junho, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-201

Refbacks

  • There are currently no refbacks.