O uso de substâncias psicoativas por universitários em uma IES (instituição de ensino superior) privada de Vitória da Conquista-BA / The use of psychoactive substances by universities in a HEI (Higher Education Institution) private with Victory from Conquista-BA

Josemar Silva Souza, Flávio Mendes De Souza, Marcelo José Costa Lima Espinheira

Abstract


O presente trabalho trata do impacto do uso substâncias psicoativas na vida acadêmica, refere-se a um estudo transversal, onde o objetivo foi verificar as possíveis causas e impactos gerados pelo uso de substâncias psicoativas por universitários em uma IES privada de Vitória da Conquista BA. A OMS destaca a importância de coletar, analisar e divulgar dados que tenha esse assunto em questão, pois é imprescindível para nortear as políticas de saúde pública e facilitar o planejamento, a implantação e a avaliação das intervenções para diminuir os encargos relacionados ao uso destas.  A entrada na universidade marca o começo da época de maior vulnerabilidade dos adolescentes, especialmente por conta das novas experiências, distanciamento do meio familiar e as novas amizades. Vale destacar que o abuso no uso de substâncias psicoativas é responsável pelo estímulo de comportamentos de risco, problemas com a família, sociedade, justiça e saúde. Além disso, pode ser um dos causadores de graves acidentes e comprometer o rendimento estudantil e trabalhista dos jovens. De acordo com pesquisas, ao menos 48,7% dos acadêmicos de universidades deixaram de usar preservativos em relações devido ao uso de entorpecentes, 27,3% apresentaram dores de cabeça e 3%, coma alcoólico. Como resultado desta pesquisa encontrou-se um número pequeno diante do grupo amostral, que responderam fazer uso frequente de substâncias psicoativas. Um número significativo de universitários faz uso frequente de analgésicos sem prescrição médica. Como eixo da discussão aborda-se a necessidade de observar os impactos neste número ainda que irrisório, e sugerir a continuação de pesquisas neste sentido.


Keywords


Universitários, Substâncias Psicoativas, Uso, Impacto, Instituição de Ensino Superior Privada.

References


ASHLEY, N.; Linden-Carmichael, AMY, L.; STAMATES; CATHY Lau-Barraco. Uso simultâneo de álcool e maconha: padrões e diferenças individuais. Substance Use & Misuse. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1080/10826084.2019.1638407 Acesso em: 28 set. 2019.

BRASIL. Lei Federal n. 8069, de 13 de julho de 1990. ECA _ Estatuto da Criança e do Adolescente. Senado Federal. Brasília. 1990.

BRASIL.MinistériodaSaúde.VigitelBrasil2018.Disponívelem:https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/julho/25/vigitel-brasil-2018.pdf. Acesso em: 28 mai. 2020.

DÁZIO, E. M. R.; ZAGO, M. M. F.; FAVA, S. M. C. L. Uso de álcool e outras drogas entre universitários do sexo masculino e seus significados. Revista Escola de Enfermagem USP ·2016;50(5):786792.Disponívelem:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342016000500785&lng=en&nrm=iso&tlng=pt Acesso em: 26 set. 2019.

EDWARDS, G., ARIF, A., & HADGSON, R. (1981). Nomenclature and classification of drug and alcohol-related problems: A WHO memorandum. Bulletin of the World Health Organization.59(2),225242.Disponívelem:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/6972816. Acesso em: 28 mai. 2020.

GILMAR, A. J.; CAROLINE, M. G. Implicações do uso de álcool, tabaco e outras drogas na vida do universitário. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, vol. 28, núm. 1, 2015,pp.6774UniforCeará,Brasil.Disponívelem:https://pdfs.semanticscholar.org/a2a9/815282d5fc56627c1c8f629325d220a5da7c.pdf Acesso em: 27 set. 2019.

LIMA, C. A. G.; MAIA, M. F. M.; MAGALHÃES, T. A.; OLIVEIRA, L.M. M.; REIS, V. M. C. P.; BRITO, M. F. S. F.; SILVEIRA, L. P. M. F.. Prevalência e fatores associados a comportamentos de risco à saúde em universitários no norte de Minas Gerais. Cadernos Saúde Coletiva, 25(2). 2017 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v25n2/1414-462X-cadsc1414462X201700020223.pdf. Acesso em: 28 mai. 2020.

LIMA, M. E. A. Dependência química e trabalho: Uso funcional e disfuncional de drogas nos contextos laborais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 35(122), 260-268.2010. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/rbso/v35n122/a08v35n122.pdf. Acesso em: 28 mai. 2020.

MEGAN, E.; PATRICK, DEBORAH, D. Kloska, Yvonne M. Terry-McElrath, Christine M. Lee, Patrick M. O’Malley & Lloyd D. Johnston. Padrões de uso simultâneo e simultâneo de álcool e maconha entre adolescentes. The American Journal of Drug and Alcohol Abuse. 2018,VOL.44,NO.4,441451.Disponívelem:https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00952990.2017.1402335 Acesso em: 28 set. 2019.

MOURA, N. A.; MONTEIRO, A. R. M.; FREITAS, R. J. M. Adolescentes usuários de drogas (i)lícitas e práticas de violência. Revista enfermagem UFPE online., Recife, 10(5):168593,maio.,2016.Disponívelem:https://pdfs.semanticscholar.org/0e5c/b1fefbd942ce10adee1c4c4655d1956ad48c.pdf Acesso em: 26 set. 2019.

NICASTRI, S.. Drogas: Classificação e efeitos no organismo. In Prevenção ao uso indevido de drogas: Curso de capacitação para conselheiros municipais (pp. 20-29). Brasília: SENAD.2008.

PADOVANI, R. C., NEUFELD, C. B., MALTONI, J., BARBOSA, L. N.F., SOUZA, W. F., CAVALCANTI, H. A. F., ... LAMEU, J. N.. Vulnerabilidade e bem-estar psicológicos do estudante universitário. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 10(1), 2-10. Disponível em: http://www.rbtc.org.br/detalhe_artigo.asp?id=188. Acesso em: 28 mai. 2020.

PAIVA, H. N.; SILVA, C. J. P.; GALO, R.; ZARZAR, P. M.; PAIVA, P. C. P. Associação do uso de drogas lícitas e ilícitas, sexo e condição socioeconômica entre adolescentes de 12 anos de idade. Cad. Saúde Colet., 2018, Rio de Janeiro, 26 (2): 153-159. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v26n2/1414-462X-cadsc-26-02-153.pdf Acesso em: 09 out. 2019.

WRIGHT, M. G. M.; Cumsille, F.; Padilha, M. I.; Ventura, C. A.; Sapag, J.; Brands, B. et al.. Programa internacional de capacitação em pesquisa para Profissionais de saúde sobre o estudo do fenômeno das Drogas na américa latina e caribe. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2015; 24 (Esp): 17-25. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v24nspe/0104-0707-tce-24-spe-00017.pdf Acesso em: 20 set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-198

Refbacks

  • There are currently no refbacks.