Queixas auditivas de trabalhadores expostos a ruído e produtos químicos em indústria de calçados/ Auditive complaints in workers exposed to noise and chemicals in footwear industry

Nancy Sotero Silva, Emykaelly Kauanne Lima Batista, Renato Jonatas da Silva Araújo, Kelly Dias Moura, Valéria de Sá Barreto Gonçalves, Jaims Franklin Ribeiro Soares, Wagner Teobaldo Lopes de Andrade

Abstract


A exposição a sons de forte intensidade pode trazer diversos prejuízos à saúde auditiva. Estes efeitos podem ser potencializados pela associação a outros agressores, como substâncias químicas, a exemplo do tolueno (cola de sapateiro) que é um produto conhecidamente ototóxico. Assim, objetivou-se investigar as queixas auditivas referidas por trabalhadores expostos ao ruído e tolueno em uma indústria do segmento de calçados. Foi aplicado o Protocolo de Impacto do Ruído na Saúde do Trabalhador de Santos, Andrade e Soares (2016) e analisada a ocorrência das queixas auditivas de 74 trabalhadores de ambos os sexos expostos a ruído e tolueno em uma empresa de calçados na Região Metropolitana de João Pessoa/PB. O projeto do estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos do Hospital Universitário Lauro Wanderley. A prevalência das queixas auditivas na população de trabalhadores foi de 6,8% para diminuição da audição, 41,9% para zumbido, 20,33% para otalgia, 25,7% para sensação de plenitude auricular, 29,7% para intolerância a sons intensos e 24,3% para dificuldade de compreensão de fala. Concluiu-se que os trabalhadores da empresa de calçados apresentaram considerável prevalência de queixas auditivas, uma vez que os impactos do ruído são evitáveis. As queixas auditivas mais prevalentes foram o zumbido e a intolerância a sons intensos e a de menor prevalência foi a diminuição da audição.


Keywords


ruído ocupacional, queixas auditivas, perda auditiva provocada por ruído ocupacional.

References


ABREU, V.C. et al. Educação permanente em saúde e sua implicância na saúde do trabalhador. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 2, n. 4, p. 2351-2364, jul./aug. 2019.

ADAS-SALIBA, T. et al. Alteraciones auditivas, percepción y conocimientos de estudiantes sobre ruido en una clinica de enseñanza odontológica. Rev salud pública, Bogotá, v. 21, n. 1, p. 84-88, 2019.

ALVES, A.S.; FIORINI, A.C. A autopercepção do handicap auditivo em trabalhadores de uma indústria têxtil. Distúrb Comun, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 337-349, dez. 2012.

AMORIM, R.G.G.; CAVALCANTE, A.F.L.; PEREIRA, S.P.A. Análise do ruído em oficinas mecânicas de Luziânia-Goiás. REVISA, Valparaíso de Goiás, v. 1, n. 1, p. 50-57, jan./jun. 2012.

ANDRADE, W.T.L.; LIMA, M.A.R.; SOARES, J.F.R. Queixas auditivas de trabalhadores de uma indústria cerâmica da cidade de João Pessoa/PB. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 17, n. 6, p. 1874-81, nov./dez. 2015.

BARCELOS, D.D.; ATAÍDE, S.G. Análise do risco ruído em indústria de confecção de roupa. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 39-49, jan./fev. 2014.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Portaria nº 19. Brasília, 1998. Disponível em: http://www.fonosp.org.br/legislacao/ministerio-do-trabalho/portaria-n%C2%BA-19-de-09-de-abril-de-1998-09-10-2/ Acesso em: 05 jun. 2020.

BUKSH, N. et al. Occupational noise exposure and its impact on worker's health and activities. Int J Public Health and Clin Sci, v. 5, n. 2, p. 180-95, mar./abr. 2018.

CAVALCANTE, F.; FERRITE, S.; MEIRA, T.C. Exposição ao ruído na indústria de transformação no Brasil. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 15, n. 5, p. 1364-1370, set-out. 2013.

CAVALCANTI, T.L.O.; ANDRADE, W.T.L. Efeitos auditivos e extra-auditivos decorrentes do ruído na saúde do dentista. Rev Bras Ciênc Saúde, João Pessoa, v. 16, n. 2, p. 161-166, 2012.

DELECRODE, C.A. et al. A prevalência do zumbido em trabalhadores expostos à ruído e organofosforados. Arch. Otorhinolaryngol., São Paulo, v. 16, n. 3, p. 328-334, jul./set. 2012.

FARIAS, V.H.V.; BURITI, A.K.L.; ROSA, M.R.D. Ocorrência de perda auditiva induzida pelo ruído em carpinteiros. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 413-422, maio/jun. 2012.

FARRELL, M.; AKUN, E. Noise exposure and induced hearing loss to workers in small and large scale industries. Int J Eng, v. 7, n. 4, p. 571-575, 2018.

FONTOURA, F.P. et al. Efeitos do ruído na audição de trabalhadores de lavanderia hospitalar. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 395-404, mar./abr. 2014.

FREDRIKSSON, S.; HUSSAIN-ALKHATEEB, L.; WAYE, K.P. The effect of occupational noise on hearing-related symptoms-exploring mediating and modifying effect of annoyance and stress. In: ICBEN Congresso on Noise as a Public Health Problem. 12, 2017, Zurich. Anais, p. 1-9.

GONÇALVES, C.G.O. et al. A percepção sobre protetores auriculares por trabalhadores participantes de programas de preservação auditiva: estudo preliminar. CoDAS, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 309-318, 2015.

GORDON, J.S. et al. Audiologic characteristics in a sample of recently-separated military veterans: the noise outcomes in service members epidemiology study (NOISE study). Hearing Research, v. 349, p. 21-30, jun. 2017.

LIBERMAN, M.C. Noise-induced and age-related hearing loss: new perspectives and potential therapies. F1000Res., v. 6, p. 1-11, 2017.

LIE, A. et al. Occupational noise exposure and hearing: a systematic review. Int Arch Occup Environ Health, Berlin, v. 89, p. 351-372, 2016.

MASSA, C.G.P. et al. P300 in workers exposed to occupational noise. Braz J Otorhinolaryngol, São Paulo, v. 78, n. 6, p. 107-112, nov./dez. 2012.

MEDEIROS, A.M.; ASSUNÇÃO, A.A.; SANTOS, J.M. Perda auditiva em trabalhadores do transporte urbano na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 31, n. 9, p. 1953-1963, set. 2015.

MELO, J.J.; MENESES, C.L.; MARCHIORI, L.L.M. Prevalência de zumbido, em idosos com e sem história de exposição ao ruído ocupacional. Int. Arch. Otorhinolaryngol., São Paulo, v. 16, n. 2, p. 222-225, 2012.

MENIN, E.G.; KUNZ, B.T.; BRAMATTI, L. Relação da perda auditiva induzida por ruído e o uso de tabaco em trabalhadores de uma indústria alimentícia. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 384-394, mar./abr. 2014.

NAEINI, R.L.; TAMRIN, S.B.M. The association between noise exposure level and occupational stress level as a non-auditory effects of noise among palm oil mill workers. Asian J. Med. Pharm. Res., v. 3, n. 4, p. 91-96, 2014.

ODUGBOSE, B. et al. Sound effects of occupational noise exposure on personnel in burr mill processing centres. FULafia Journal of Science & Technology, v. 5, n. 2, jun. 2019.

OLIVEIRA, R.C. et al. O impacto do ruído em trabalhadores de Unidades de Suporte Móveis. CoDAS, São Paulo, v. 27, n. 3, p. 215-222, 2015.

PFEIFFER, M. et al. Intercorrência audiológica em músicos após um show de rock. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 417-422, jul-set. 2007.

PRASHANTH, K.V.M.; VENUGOPALACHAR, S. The possible influence of noise frequency components on the health of exposed industrial workers - a review. Noise Health, v. 13, n. 50, p. 16-25, jan./feb. 2011.

REED, A.C. et al. Behavioral and neural discrimination of speech sounds after moderate or intense noise exposure in rats. Ear Hear., v. 35, n. 6, p. e248-e261, 2014.

RÉGIS, A.C.F.C.; CRISPIM, K.G.M.; FERREIRA, A.P. Incidência e prevalência de perda auditiva induzida por ruído em trabalhadores de uma indústria metalúrgica, Manaus - AM, Brasil. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 5, p. 1456-1462, set./out. 2014.

SANTOS, M.P. et al. Exposição a agentes químicos e ruído em indústria de couro. Rev Bras Saúde Ocup, São Paulo, v. 30, n. 111, p. 51-56, 2005.

SANTOS, I.C.; ANDRADE, W.T.L.; SOARES, J.F.R. Protocolo de avaliação das repercussões do ruído na saúde do trabalhador. In: Encontro Internacional de Audiologia. 31. Anais. São Paulo: Academia Brasileira de Audiologia, São Paulo, 2016.

SERVILHA, E.A.M.; DELATTI, M.A. Percepção de ruído no ambiente de trabalho e sintomas auditivos e extra-auditivos autorreferidos por professores universitários. J Soc Bras Fonoaudiol, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 233-238, 2012.

SIQUEIRA, R.C.L. Análise da exposição ao ruído e dos principais sintomas auditivos e extra-auditivos em motoristas do transporte coletivo de Goiânia. 96 f. Dissertação (Mestre em Ciências Ambientais e Saúde) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2012.

SONEGO, M.T.; SANTOS FILHA, V.A.V.; MORAES, A.B. Equipamento de proteção individual auricular: avaliação da efetividade em trabalhadores expostos a ruído. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 667-676, maio/jun. 2016.

VILLORIA, E.M. et al. Avaliação dos níveis de pressão sonora emitidos pelo aparelho de ressonância magnética. Rev CEFAC, v. 18, n. 1, p. 27-32, jan./fev. 2016.

WANG, J.; PUEL, J-L. Toward cochlear therapies. Physiol Rev, v. 98, p. 2477-2522, 2018.

WAQAS, M. et al. Ear hair cell protection in mammals against the noise-induced cochlear damage. Neural Plasticity, v. 2018, p. 1-9, 2018.

WELCH, D. et al. Road traffic noise and health-related quality of life: a cross-sectional study. Noise Health, v. 15, p. 224-230, jul./aug. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-197

Refbacks

  • There are currently no refbacks.