Percepção do homem sobre o implante da prótese peniana: Uma contribuição para a enfermagem / Perception of man on the implantation of penile prosthesis: A contribution to nursing

Elizabeth Rose Costa Martins, Fabrício Santos Alves, Karoline Lacerda de Oliveira, Andressa da Silva Medeiros, Leticia Guimarães Fassarella, Samara de Andrade Ferreira, Hulda Santana Franco, Gabriele Malta da Costa

Abstract


Trata-se de um estudo cujo objeto é o homem e o implante da prótese peniana. Tendo por objetivos: Compreender a percepção do homem sobre o implante da prótese peniana e descrever o impacto na vida do homem, sobre o implante da prótese peniana. Estudo descritivo com abordagem qualitativa, desenvolvido num hospital de uma universidade pública no município do Rio de Janeiro, com 15 homens a partir de 29 anos, que tenham sido submetidos a colocação de prótese peniana. Tendo como instrumento de coleta de dados a entrevista semiestruturada e para análise dos dados foi aplicada a técnica de análise de conteúdo. Através da análise dos dados emergiram duas categorias: Percepção de homens sobre o implante da prótese peniana em sua vida e o impacto do implante da prótese peniana na vida do homem e a sexualidade. Os resultados evidenciam o impasse de sentimentos entrelaçados em relação ao implante da prótese peniana e a sexualidade, cada homem apresenta uma percepção diferente sobre a sua nova realidade, que envolve a idade, suas crenças, cultura, condições socioeconômica, orientação sexual e necessidades especiais. A prótese peniana mudou sua vida para melhor, recuperou sua vida sexual e sua masculinidade. Conclui-se que a sexualidade do homem está muito ligada à sua forma de vida, que a perde-la é algo desesperador para esse homem. O homem coloca seu bem-estar sexual como a única coisa que necessita de cuidado. Desta forma pode-se repensar o fortalecimento do trabalho de enfermagem na promoção e prevenção a saúde, atendendo a essa população em sua integralidade, na tentativa de evitar que se precise de uma prótese peniana. Buscar mudanças de atitudes voltadas a situações do contexto masculino, como os dados que apontam as vulnerabilidades ainda existentes e as consequências dessas atitudes na saúde e na vida desses homens.

 


Keywords


Saúde do homem. Prótese de pênis. Masculinidade. Enfermagem.

References


Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem - PNAISH: princípios e diretrizes. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009 [acesso em: 29 abr.2019]. Disponível em:http://www.saude.gov.br.

Spizzirr G et al. O termo gênero e suas contextualizações. Diagn Tratamento, São Paulo, 2014.

Pozzati R et al. O Cuidado na saúde dos homens: realidade e perspectivas. Rev. Enfermagem UERJ. Rio de Janeiro, v.21, n.4, p.540-5, 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 maio de 2018.

Melo FMG. Papéis sociais de gênero na velhice: o olhar de si e do outro. Rev. bras. Enferm. Brasília, v.62, n.5, p.705-710, out. 2009.

Sarris AB et al. Fisiopatologia, avaliação e tratamento da disfunção erétil: artigo de revisão. Rev Med, São Paulo, Jan/Mar, 2016.

Xavier, ECL et al. As Representações Sociais dos Homens Penectomizados a Amputação, a Religiosidade e a Família. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, vol. 6, núm. 2, abril-junho, 2014, pp. 462-473.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento:pesquisa qualitativa em saúde.12ª ed. São Paulo:Hucitec;2010, p.189-99.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

Gomes R; Nascimento EF; Araújo FC. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.23, n.3, p.565-574, mar. 2007

Paschoalick RC; Lacerda MR; Centa ML. Gênero masculino e saúde. Cogitare Enferm. 2006.

Schwarz E et al. Política de saúde do homem. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 46, supl. 1, p. 108-116, dez. 2012. . Disponível em: . acesso on 01 Sept. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102012005000061.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-196

Refbacks

  • There are currently no refbacks.