Perfil nutricional e dietético de artistas de teatro musical/ Nutritional and dietary profile of musical theater artists

Camilla de Freitas Ponchon da Silva, Edeli Simioni de Abreu

Abstract


Introdução: A voz humana é o principal meio de comunicação e é caracterizada pela produção de sons emitidos pela laringe com o ar que sai dos pulmões ao encontrar as pregas vocais, pronunciados pela boca. O teatro musical, que tem como principal instrumento a voz, tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil, e, há uma grande população inserida nesse meio. Uma alimentação balanceada e adequada pode ajudar e favorecer no desempenho físico e vocal desses artistas. Objetivo: Analisar o estado nutricional e o consumo alimentar de artistas de musicais na região metropolitana de São Paulo. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório de delineamento transversal com coleta de dados primários, que foi realizado com artistas de teatro musical da região metropolitana de São Paulo. Para avaliação da ingestão hídrica, do consumo de grupos de alimentos e do estado nutricional dos participantes foi aplicado um questionário adaptado sobre o consumo alimentar e de água, o peso e altura para o cálculo de IMC, foram autorreferidos pelos participantes do estudo. Esses dados foram coletados de um dia de trabalho e comparados com um dia de folga dos entrevistados. Resultados: Foram entrevistados 30 artistas de teatro musical da região metropolitana de São Paulo, sendo 20 deles do gênero feminino e 10 do masculino De acordo com os resultados encontrados, 20 dos participantes foram classificados como indivíduos eutróficos, enquanto 8 como portadores de sobrepeso e 2 como obesos. Do total de participantes, apenas 13 responderam realizar diferentes dietas nos dias de trabalho. Os dados obtidos pela pesquisa demonstraram que o número médio de copos de água ingeridos em um dia de trabalho foi de 9,83 copos, enquanto em um dia de folga a média caiu para 8,11 copos. O consumo de leite e derivados e café foi citado pela maioria dos participantes dessa pesquisa mesmo durante os períodos de trabalhos. Já a ingestão de álcool em períodos de trabalho foi afirmada apenas por 7 dos entrevistados. O consumo de frutas, verduras e legumes nos períodos de apresentações foi maior do que nos períodos de folga, com pouca diferença. Com relação ao consumo de frituras, 12 participantes responderam que fazem o consumo desses alimentos nos períodos de apresentações e nos períodos de folga, esse número aumenta para 21. Dos 30 artistas entrevistados, 17 responderam consumir chocolate em períodos de trabalhos enquanto na folga, o consumo desse alimento foi apresentado por 28 pessoas. Conclusão: Com esse trabalho, foi possível perceber que não há muitos estudos específicos sobre a alimentação e o estado nutricional de artistas do teatro musical, entretanto, pode-se concluir que algumas mudanças na alimentação e na hidratação do indivíduo favorecem para um melhor desempenho físico e vocal dos artistas.


Keywords


perfil nutricional, perfil dietético, artistas de teatro musical.

References


ANDRADA, M. A. S.; COSTA, H. O. Voz cantada. Editora Lovise, 1998.

BARBOSA, S. R. Orientações de higiene vocal para profissionais da voz. Monografia de Conclusão de Curso de Especialização em Voz do CEFAC - Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clinica Voz. São Paulo, 1997.

BEHLAU, M.; PONTES, P. Avaliação e tratamento das disfonias. São Paulo, 1995.

BEHLAU, M. S.; PONTES, P. Higiene Vocal – Informações Básicas. São Paulo, 1993.

BERKOW, R. Manual Merk de Medicina. 15 ed. São Paulo, Ed. Roca,1989.

BRASIL – 1ª Reunião Pró-Consenso nacional sobre Voz Profissional. Sociedade Brasileira de laringologia e Voz. Rio de Janeiro, 6-7/04/2001.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE: Guia Alimentar para População Brasileira. Brasília, 2014.

BRUNTON, L. L.; CHABNER, B. A.; KNOLLMANN, B. C. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman-12. AMGH Editora, 2012.

CARIBÉ J. CAMPOS, J. M. Plantas que ajudam o homem. São Paulo: Cultrix, 1991.

CASE, J. L. Clinical Management of Voice Disorders. 3 rd. ed. Austin, 1996.

CIELO, C. A.; CASARIN, M. T. Voiceless fricatives sounds. Revista CEFAC, v. 10, n. 3, p. 352-358, 2008.

COLTON, R. H.; CASPER, J. K. Compreendendo os problemas de voz. Porto Alegre. Artes Médicas, 1996.

DASSIE-LEITE, A.P., DUPRAT, A. DE C.; BUSCH, R. Comparação de hábitos de bem estar vocal entre cantores líricos e populares. Rev. CEFAC. Fev, 2011.

FUJITA, R.; FERREIRA, A. E. ; SARKOVAS, C. Avaliação videoquimográfica da vibração de pregas vocais no pré e pós-hidratação. Rev Bras Otorrinolaringol, v. 70, n. 6, p. 742-6, 2004.

GRANATO, L. A magia dos musicais no teatro brasileiro. Disponível em < HTTP://jpress.jornalismojunior.com.br/2011/10/historia-teatro-musical-brasileiro/> Acesso em 25 de Novembro de 2015

GHELMAN, R. Jornal semestral. Escola Waldorf de São Paulo. 2 ed., 1997.

INSTITUTO DA AUDIÇÃO. Mitos da voz. 20??. Disponível em: . Acesso em: 15 de Maio 2016.

KRYLLOS, L. C. R. O trabalho de impostação vocal: relato de experiência. In: Ferreira, L. P. (org.) Um pouco de nós sobre voz. 3.ed. São Paulo, Pró- Fono, 1994.

KYRILLOS, Leny; COTES, Cláudia; FEIJÓ, Deborah. Voz e corpo na TV: a fonoaudiologia a serviço da comunicação. Globo Livros, 2003.

OKAMOTO, G. A; PHILLIPS, T.J. Medicina física e reabilitação. São Paulo, 1990.

PINHO, S. M. R. Manual de Higiene Vocal para Profissionais da Voz. São Paulo: Pró Fono, 2007.

PORTAL EDUCAÇÃO. Cuidados e Dietas Vocais Para Cantores. Disponível em Acesso em 10 de Novembro de 2015

ROCHA, S. F; DIAS-NETO, E; GATTAZ, W. F. Ansiedade na performance musical: tradução, adaptação e validação do Kenny Music Performance Anxiety Inventory (K-MPAI) para a língua portuguesa. Rev. Psiquiatr. Clín. São Paulo, 2011.

RODRIGUES, G.; VIEIRA. V.P.; BEHLAU, M. Saúde vocal. São Paulo: Centro de Estudos da Voz; 2011. Disponível em: http://www.cevfono.com. Acesso em 27 de Novembro de 2015.

SATALOFF, R. T.; PIEGEL, J. R. Care of professional voice. Otolaryngol. Clin. North. Am.,1991.

SOARES, K.P.N.D. Avaliação da Função Fonatória em Mulheres idosas com diferentes Índices de Massa Corporal. Recife, 2007.

STEDMAN, T. L. Dicionário médico. 25a ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1996.

UEDA, Kelly Hitomi; DOS SANTOS, Leila Zambuze; OLIVEIRA, Iara Bittante de. 25 anos de cuidados com a voz profissional: avaliando ações. Rev. CEFAC, São Paulo , v. 10, n. 4, p. 557-565, Dec. 2008 .

Weffort, V.R.S. Alimentação na infância: Carência e excessos. Pediatria Moderna, 2014.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation on obesity. Geneva; 1998.

ZAMBÃO, V.R.; PENTEADO, R.Z.; CALÇADA, M.L.M. Working conditions and professional voice use by party band singers. Revista CEFAC, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-158

Refbacks

  • There are currently no refbacks.